Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

honeypot link

Lesão do manguito rotador/bursite subacromial

Por

Paul L. Liebert

, MD, Tomah Memorial Hospital, Tomah, WI

Última modificação do conteúdo mar 2018
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
Recursos do assunto

A lesão do manguito rotador inclui tendinite e rompimentos parciais ou totais; bursite subacromial pode resultar de tendinite. Os sintomas são dor na região do ombro e, com rompimento grave, fraqueza. O diagnóstico é feito através do exame e, às vezes, testes diagnósticos. O tratamento inclui AINEs, manutenção da amplitude do movimento e exercícios de fortalecimento do manguito rotador.

O manguito rotador constitui-se dos músculos supraespinal, infraespinal, redondo menor e subescapular (SITS, supraspinatus, infraspinatus, teres minor, subscapularis), junto com o bíceps e tríceps; ajuda a estabilizar o úmero na fossa glenoide da escápula durante muitos movimentos esportivos em que os membros superiores são posicionados acima da cabeça (p. ex., arremesso, natação, levantamento de peso e no saque, em esportes com raquete).

Etiologia

A lesão do manguito rotador pode ser uma lesão aguda ou crônica do esporte, mas normalmente ocorre por razões não relacionadas a atividades esportivas e em pessoas sem história de uso excessivo.

Um estiramento do manguito rotador é uma lesão traumática, aguda e única aos músculos. Tendinite normalmente resulta de impressão crônica do tendão supraespinal entre cabeça umeral e arco coracoacromial (acrômio, articulação acromioclavicular, processo coracoide e ligamento caracoacromial). Atividades que requerem que o membro superior seja movido acima da cabeça repetidamente, como arremesso no beisebol, levantar pesos acima do ombro, dar o saque nos esportes com raquete e nadar estilo livre, borboleta ou de costas, aumentam o risco.

Acredita-se que o tendão supraespinal seja especialmente suscetível, pois apresenta região subvascularizada próxima à sua inserção na tuberosidade maior. Reação inflamatória resultante e edema posterior estreitam o espaço subacromial, acelerando a irrigação ou o dano do tendão. Se o processo não for interrompido, a inflamação pode levar ao rompimento parcial ou completo do manguito rotador. A tendinite degenerativa no manguito rotador é comum entre idosos não atletas (> 40 anos) pela mesma razão. A bursite subacromial (inflamação, edema e fibrose da região da bursa acima do manguito rotador) resulta normalmente de lesão no manguito.

Sinais e sintomas

Bursite subacromial, tendinite do manguito rotador e rompimento parcial do manguito causam dor no ombro, especialmente quando o membro superior é movido acima da cabeça. A dor normalmente é pior entre 60° e 120° (arco doloroso de movimento) de abdução ou flexão do ombro, sendo normalmente mínima ou ausente a < 60° ou > 120°. Pode ser descrita como uma dor persistente que está mal localizada. Rompimento completo resulta em dor aguda e fraqueza do ombro. Em rompimentos maiores do manguito rotador, fraqueza da rotação externa é particularmente aparente.

Diagnóstico

  • Exame físico

  • Às vezes, RM ou artroscopia

O diagnóstico é por história e exame físico, incluindo manobras provocativas (ver também Como examinar o ombro). O manguito rotador não pode ser palpado diretamente, porém pode ser examinado indiretamente por manobras que testam músculos específicos; dor significante ou fraqueza é considerada resultado positivo.

O músculo supraespinal é avaliado quando o paciente tenta resistir à pressão abaixo do membro superior mantido em flexão para frente, com os polegares apontando para baixo (teste da “caneca vazia” ou teste de Jobe).

Os músculos infraespinal e redondo menor são avaliados quando o paciente tenta resistir à pressão da rotação externa com os membros superiores mantidos ao lado do corpo, com os cotovelos flexionados a 90°; essa posição isola a função muscular do manguito rotador dos outros músculos, bem como do deltoide. Fraqueza durante esse teste sugere disfunção significante do manguito rotador (p. ex., rompimento total).

O músculo subescapular é avaliado quando o paciente coloca a mão no dorso com a parte posterior da mão tocando a coluna lombar. O examinador levanta a mão da região lombar. O paciente deve conseguir manter a mão sem tocar a pele dorsal (teste de levantamento de Gerber).

O teste de Neer verifica aprisionamento nos tendões do manguito rotador do arco coracoacromial. Ele é feito colocando o membro superior do paciente em flexão forçada (braço levantado sobre a cabeça) com o membro superior totalmente pronado.

O teste de Hawkins também verifica aprisionamento. É feito pela elevação do membro superior do paciente a 90°, flexionando o cotovelo em 90° e então rotacionando forçosamente o ombro no sentido interno.

O teste de Apley verifica a amplitude de movimento do ombro pedindo que o paciente tente tocar a escápula oposta: alcançar por cima da cabeça, atrás do pescoço e a escápula oposta com as pontas dos dedos testa abdução e rotação externas; alcançar por baixo, atrás das costas e através da escápula oposta com a parte traseira da mão testa abdução e rotação internas.

Articulações acromioclavicular e esternoclavicular, coluna cervical, tendão do bíceps e escápula podem ser fonte da dor no ombro. Essas áreas devem ser examinadas para verificar sensibilidade ou deformidade, o que indica problema no local.

O pescoço deve sempre ser examinado como parte da avaliação do ombro, pois a dor pode ser referida ao ombro pela coluna cervical (especialmente com radiculopatia C5).

A suspeita de lesão no manguito rotador pode ser avaliada com RM se um breve ciclo de tratamento conservador não resultar em resolução dos sintomas.

Tratamento

  • AINEs

  • Exercícios

  • Algumas vezes, cirurgia

Na maioria dos casos de tendinite e bursite, repouso, AINEs e exercícios de fortalecimento do manguito rotador são suficientes. Injeções de corticoides no espaço subacromial são ocasionalmente indicadas (p. ex., quando os sintomas são agudos e graves ou quando tratamentos anteriores foram ineficazes). A cirurgia pode ser necessária para bursite crônica que é resistente ao tratamento conservador que consiste em remover o excesso de osso e diminuir o impacto. O reparo cirúrgico é recomendado se uma lesão no manguito rotador for grave (p. ex., um rompimento completo).

Exercícios de fortalecimento do manguito rotador

Pontos-chave

  • O manguito rotador constitui-se dos músculos supraespinal, infraespinal, redondo menor e subescapular (SITS, supraspinatus, infraspinatus, teres minor, subscapularis); eles ajudam a estabilizar a cabeça do úmero durante muitos movimentos esportivos em que os membros superiores são posicionados acima da cabeça (p. ex., arremesso, natação, levantamento de peso e no saque, em esportes com raquete) e ajudam na elevação e rotação do ombro.

  • A musculatura do manguito rotador pode romper-se em um quadro agudo; instabilidade do ombro, fraqueza do manguito rotador ou choque mecânico no espaço subacromial podem causar tendinite (em particular do tendão supraespinhal) e resultar em bursite subacromial.

  • O diagnóstico geralmente baseia-se em exame físico, mas alguns pacientes requerem RM e/ou artroscopia.

  • Tratar com AINEs, repouso e exercícios para o manguito rotador.

  • O reparo cirúrgico é recomendado se uma lesão for grave (p. ex., um rompimento completo).

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS ANDROID iOS
PRINCIPAIS