Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Carregando

Abscesso retrofaríngeo

Por

Clarence T. Sasaki

, MD,

  • The Charles W. Ohse Professor of Surgery and Director, Yale Larynx Lab
  • Yale University School of Medicine

Última modificação do conteúdo set 2019
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
Recursos do assunto

Abscessos retrofaríngeos, mais comuns entre as crianças, podem causar faringite, febre, rigidez de nuca e estridor. O diagnóstico requer radiografia lateral do pescoço ou TC. O tratamento é com entubação traqueal, drenagem e antibióticos.

Abscessos retrofaríngeos desenvolvem-se nos gânglios linfáticos retrofaríngeos, na parede posterior da faringe, adjacente às vértebras. Eles podem ser precedidos por infecção de faringe, seios paranasais, adenoides ou nariz. Eles ocorrem, principalmente, em crianças de 1 a 8 anos porque os gânglios linfáticos retrofaríngeos começam a involuir por volta dos 4 a 5 anos de idade. No entanto, os adultos podem desenvolver infecção após ingestão de corpo estranho ou depois de manipulação do local. Microrganismos comuns incluem bactérias aeróbias (Streptococcus e Staphylococcus spp) e anaeróbias (Bacteroides e Fusobacterium) e, cada vez mais frequente em adultos e crianças, HIV e tuberculose.

As consequências mais graves compreendem obstrução das vias respiratórias, choque séptico, ruptura do abscesso em via respiratória, resultando em pneumonia por aspiração ou asfixia, mediastinite, ruptura de carótida e tromboflebite supurativa das veias jugulares internas (síndrome de Lemierre).

Sinais e sintomas

São geralmente precedidos em crianças por infecção do trato respiratório superior aguda e em adultos, por ingestão de corpo estranho ou instrumentação. As crianças podem ter odinofagia, disfagia, febre, linfadenopatia cervical, rigidez de nuca, estridor, dispneia, roncos ou respiração ruidosa, e torcicolo. Adultos podem ter faringite grave, mas, com menos frequência, têm estridor. A parede posterior da faringe pode estar abaulada para um dos lados.

Diagnóstico

  • Radiografia

  • TC

Suspeita-se do diagnóstico em pacientes com forte faringite inexplicável e rigidez de nuca, estridor ou respiração ruidosa.

Radiografia lateral do pescoço, realizada em hiperextensão máxima possível e durante a inspiração, pode mostrar alargamento focal dos tecidos moles pré-vertebrais, inversão da lordose cervical normal, ar nos tecidos moles pré-vertebrais ou erosão do corpo vertebral adjacente.

TC pode ajudar a diagnosticar casos duvidosos, diferenciar a celulite de um abscesso e avaliar a extensão do abscesso.

Tratamento

  • Antibióticos (p. ex., ceftriaxona, clindamicina)

  • Com frequência, drenagem cirúrgica

Antibióticos, tais como cefalosporina de amplo espectro (p. ex., ceftriaxona 50 a 75 mg/kg, IV uma vez ao dia) ou clindamicina, podem ocasionalmente ser suficientes para as crianças com abscessos pequenos. Entretanto, a maioria dos pacientes também requer a drenagem através de incisão na parede posterior da faringe. A entubação endotraqueal é realizada no pré-operatório e mantida durante 24 a 48 horas.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS