honeypot link

Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Concussão relacionada a esportes

Por

James E. Wilberger

, MD, Drexel University College of Medicine;


Gordon Mao

, MD, Allegheny Health Network

Última revisão/alteração completa dez 2019| Última modificação do conteúdo dez 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos

As pessoas que sofrem concussões causadas por atividades esportivas correm o risco de sofrer consequências sérias, incluindo concussões repetidas e danos cerebrais possivelmente permanentes.

Uma concussão é uma alteração temporária do funcionamento do cérebro após um traumatismo craniano sem nenhum sinal de dano cerebral visível em exames de diagnóstico por imagem, tais como tomografia computadorizada (TC) ou imagem por ressonância magnética (RM).

Os esportes que envolvem colisões a alta velocidade (por exemplo, futebol americano, rúgbi, hóquei no gelo e lacrosse) apresentam as maiores taxas de concussões, mas poucos esportes, incluindo ser cheerleader, são livres de riscos. Quase 20% dos participantes de esportes de contato sofrem uma concussão ao longo de uma temporada. As estimativas do número de concussões relacionadas a esportes variam de 200.000 por ano a 3,8 milhões por ano. As estimativas variam dessa forma visto que é difícil obter uma contagem precisa quando as pessoas não são avaliadas em um hospital.

As concussões provavelmente não ocorrem com mais frequência nos atletas do que no passado, mas estão sendo identificadas mais frequentemente. O aumento da identificação de concussões deve-se ao fato de as pessoas estarem mais conscientes de que a ocorrência de concussões repetidas pode ter consequências sérias.

Lesão repetida

Ao contrário do que acontece com outras causas de concussão, tais como acidentes de automóvel e quedas, os participantes de esportes correm um risco contínuo de sofrer uma concussão. Assim, existe uma maior probabilidade de sofrer uma lesão repetida. Os atletas são particularmente sensíveis quando ocorre um outro traumatismo craniano antes de terem se recuperado totalmente de uma concussão anterior. E mesmo após a recuperação, os atletas que continuam participando dos esportes têm uma probabilidade duas a quatro vezes maior de sofrer outra concussão do que se nunca tivessem sofrido uma. Além disso, as concussões repetidas podem ser causadas por um impacto menos grave do que o impacto que causou a primeira.

Apesar de as pessoas acabarem por se recuperar totalmente de uma única concussão, cerca de 3% dos indivíduos que sofrem várias concussões (mesmo que aparentemente pouco graves) desenvolvem danos cerebrais a longo prazo. Esses danos são conhecidos como encefalopatia traumática crônica (ETC) e foram primeiramente descritos em pugilistas (e designadas demência pugilística). Contudo, a ETC pode ocorrer em qualquer pessoa que tenha sofrido várias concussões. As pessoas com ETC apresentam sinais de dano cerebral na TC ou RM e apresentam sintomas semelhantes aos sintomas da demência. Tais sintomas incluem:

  • Problemas de memória

  • Comprometimento da capacidade de julgamento e de tomar decisões

  • Alterações da personalidade (como tonar-se mais facilmente irritado e violento)

Vários atletas ilustres aposentados que sofreram múltiplas concussões cometeram suicídio, possivelmente causado pela ETC, pelo menos de forma parcial.

Síndrome do segundo impacto

A síndrome do segundo impacto é uma complicação rara, porém séria, de uma concussão. Nesta síndrome, o cérebro incha rapidamente depois que um atleta sofre uma segunda concussão antes de ter se recuperado totalmente da primeira concussão. Quase metade dos atletas com esta síndrome morre.

Sintomas

A pessoa com uma concussão pode ou não perder a consciência, mas apresenta sintomas de disfunção cerebral. Os sintomas incluem

  • Confusão: A pessoa parece aturdida ou atordoada, confusa sobre os adversários ou o placar, e/ou responde lentamente

  • Perda de memória: Não se lembra dos jogos ou exercícios e/ou não se lembra dos acontecimentos de logo antes ou logo depois da lesão

  • Distúrbios da visão: Visão dupla

  • Sensibilidade à luz

  • Tonturas, movimentos descoordenados e falta de equilíbrio

  • Dor de cabeça

  • Náusea e vômito

  • Zumbido nos ouvidos (acúfeno)

  • Perda do olfato ou do paladar

Síndrome pós-concussional

Determinados sintomas podem durar desde alguns dias até algumas semanas após a concussão. A pessoa pode apresentar

  • Cefaleias

  • Problemas com a memória recente

  • Dificuldade de concentração

  • Fadiga

  • Dificuldade em dormir

  • Alterações de personalidade (como irritabilidade ou alterações de humor)

  • Sensibilidade à luz e ao ruído

Em adolescentes, vários sintomas pós-concussão, especialmente irritabilidade, fadiga e dificuldades de concentração, poderão ser erroneamente atribuídos à adolescência normal.

Diagnóstico

  • Avaliação de um médico

Os atletas com sintomas de concussão devem ser avaliados por um médico experiente em avaliação e tratamento deste tipo de lesão. Por vezes, esses médicos encontram-se no local em eventos atléticos de alto nível. Quando não se encontram nesses eventos, o pessoal complementar deve ser treinado sobre como reconhecer uma concussão, como avaliar os atletas afetados e quando os encaminhar para uma avaliação aprofundada.

Ferramentas como a Ferramenta de Avaliação de Concussões Esportivas 2 (Sports Concussion Assessment Tool 2, SCAT2), SCAT3 ou SCAT5 podem ajudar a equipe técnica, os treinadores e outras pessoas a avaliar os atletas no local. A SCAT2 e a SCAT3 estão disponíveis online gratuitamente e podem também ser baixadas para dispositivos manuais. A SCAT5 é a versão mais recente e está disponível on-line gratuitamente. Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) também têm ferramentas e informações de treinamento para o pessoal complementar (programas "Heads Up" do CDC).

Os médicos e o pessoal complementar devem estar cientes de que os atletas podem negar ou subestimar os sintomas resultantes de uma concussão de modo a poderem continuar jogando.

Exames de imagem, como a tomografia computadorizada (TC), são feitos caso os médicos suspeitem de uma lesão mais séria, como o acúmulo de sangue dentro do cérebro ou entre o cérebro e o crânio (hematomas intracranianos) ou contusões do cérebro.

Em alguns programas, todos os atletas são submetidos a testes neurocognitivos (teste de determinadas funções do cérebro) antes da participação de esportes. Em seguida, no caso de suspeita de concussão, os médicos testam o atleta novamente e determinam se o funcionamento do cérebro se deteriorou ou não.

Tratamento

  • Fazer repouso

  • Paracetamol para a dor de cabeça

  • Não voltar a praticar o esporte até que os sintomas tenham desaparecido

O tratamento de concussões relacionadas a esportes é semelhante ao tratamento de outras pessoas que sofreram uma concussão. A pessoa deve repousar e tomar paracetamol conforme necessário para tratar a dor de cabeça. Deve-se evitar ir à escola e ao trabalho, dirigir, ingerir álcool e estimular excessivamente o cérebro (por exemplo, usar computadores, televisão e jogos eletrônicos).

Os familiares devem levar o atleta a um hospital se os sintomas piorarem.

Did You Know...

  • Os atletas podem negar ou subestimar os sintomas resultantes de uma concussão de modo a poder continuar jogando.

Retomar a atividade esportiva

Não é recomendado retomar as atividades esportivas até vários passos terem sido concluídos. Assim que os sintomas de concussão estiverem resolvidos, a pessoa pode começar praticando algum exercício aeróbico leve e, posteriormente, avançar ao longo de um treinamento específico para o esporte, exercícios sem contato, exercícios com contato completo e, finalmente, jogos competitivos. Os atletas não devem avançar para a fase seguinte até todos os sintomas da fase anterior estarem resolvidos.

Mesmo que os sintomas melhorem rapidamente, será melhor os atletas não voltarem a praticar plenamente jogos competitivos até todos os sintomas estarem resolvidos por pelo menos uma semana.

Uma pessoa que tenha sofrido uma concussão grave (por exemplo, uma pessoa que tenha estado inconsciente por mais de cinco minutos ou que tenha perdido a memória de eventos que ocorreram mais de 24 horas antes ou após a lesão) deve esperar pelo menos um mês antes de voltar a praticar plenamente jogos competitivos.

Uma pessoa que tenha sofrido múltiplas concussões em uma temporada deve compreender os riscos de uma participação contínua. A pessoa (ou os pais, caso se trate de uma criança) deve discutir estes riscos com um médico com experiência em traumatismos cerebrais.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Feature.AlsoOfInterst.SocialMedia

PRINCIPAIS