Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Luxação do ombro

Por

Danielle Campagne

, MD, University of San Francisco - Fresno

Última revisão/alteração completa jul 2019| Última modificação do conteúdo jul 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

As luxações do ombro ocorrem quando a cabeça em forma de esfera do osso do braço (úmero) salta para fora de seu encaixe arredondado na omoplata (escápula).

  • Quando o ombro está deslocado, ele costuma ser fortemente empurrado para frente, fora da articulação.

  • O ombro pode parecer distorcido e geralmente fica muito dolorido.

  • Frequentemente, os médicos conseguem diagnosticar uma luxação no ombro ao examiná-lo, mas podem ser tiradas radiografias para confirmá-lo.

  • Os médicos podem recolocar a articulação no lugar sem cirurgia, muitas vezes após as pessoas receberem medicamentos para ajudá-las a tolerar o procedimento.

O ombro é a grande articulação mais comumente deslocada. Em mais de 95% das luxações do ombro, o osso do braço é empurrado para frente, ficando para fora da articulação (luxação anterior). Mas ocasionalmente, ele é empurrado para trás ou para baixo. Geralmente, uma luxação para trás (posterior) ocorre quando uma pessoa tem uma convulsão ou recebe um choque elétrico (por exemplo, numa lesão por raio). As luxações inferiores são raras e geralmente óbvias. A maioria das pessoas com uma luxação inferior seguram o braço por cima da cabeça, tipicamente com o antebraço apoiado na cabeça.

O osso pode ser empurrado totalmente para fora da articulação — o que é chamado luxação completa – ou parcialmente – chamado luxação parcial (subluxação).

O ombro pode ser deslocado quando uma força potente (como um golpe súbito) puxar, empurrar ou torcer o ombro para fora, para cima ou para trás. Geralmente, o ombro é puxado e girado para fora. As causas comuns são lesões provocadas por esportes (como bloquear um lance ao jogar basquete), um acidente de carro e quedas.

Quando um ombro é deslocado, os tecidos ao redor da articulação, como ligamentos, tendões, vasos sanguíneos e nervos, também podem sofrer distensão ou ruptura. Às vezes um osso, geralmente a parte superior do osso do braço, é fraturado, sobretudo em pessoas acima de 45 anos.

Se a lesão for grave ou se as pessoas, principalmente as com menos de 30 anos, deslocarem o ombro várias vezes (por exemplo, ao continuar a praticar esportes), o ombro pode ficar instável e mais propenso a ser luxado novamente.

Sintomas

O ombro pode ficar visivelmente fora do lugar ou parecer distorcido. A área ao redor da articulação pode ficar inchada ou com hematomas. A dor costuma ser intensa. As pessoas não conseguem ou não querem afastar o braço do corpo. As luxações do ombro também podem causar dormência do músculo que cobre o ombro (o deltoide).

O traumatismo da luxação pode provocar espasmos nos músculos do ombro, geralmente piorando a dor.

Diagnóstico

  • Exame físico

  • Radiografias

Se as pessoas suspeitarem que seu ombro sofreu uma luxação, elas devem consultar um médico imediatamente. Elas não devem tentar recolocar o ombro no lugar. Fazer isso, pode danificar ainda mais a área. Até consultarem um médico, elas devem manter o braço o mais imóvel possível, eventualmente com uma tala ou tipoia, e aplicar gelo. O gelo pode ajudar a aliviar a dor e reduzir o inchaço.

Os médicos perguntam às pessoas como ocorreu a lesão, qual a intensidade da dor e se elas conseguem mexer o braço. Frequentemente, os médicos conseguem diagnosticar uma luxação no ombro ao examiná-lo. Todavia, geralmente são tiradas radiografias para confirmar o diagnóstico e excluir fraturas. Os médicos precisam saber se algum osso está fraturado antes de tentarem recolocar a articulação no lugar.

Tratamento

  • Manobras para recolocar a articulação no lugar.

  • Uma tipoia e bandagem para imobilizar a articulação

O tratamento das luxações do ombro consiste em recolocar a articulação no lugar (redução). Antes desta manobra, as pessoas muitas vezes recebem um sedativo, analgésicos fortes e/ou injeção de anestésico na articulação, mas elas permanecem conscientes. Muitas técnicas, como as técnicas Davos ou Hennepin, podem ser empregadas sem o uso de sedativos, mas elas exigem tempo (vários minutos) até que os músculos afetados relaxem o suficiente para que o ombro possa ser reduzido.

Há várias maneiras de recolocar o ombro no lugar. Incluem

  • Tração e contratração: a pessoa é mantida imóvel enquanto o profissional puxa o braço afetado para baixo e para fora.

  • Rotação externa: um exemplo é a técnica de Hennepin. O profissional flexiona o braço no cotovelo e, em seguida, lentamente roda o braço distanciando-se do corpo.

  • Manipulação da escápula (escapular): Esta manobra pode ser feita com a pessoa sentada ou deitada. O profissional move a extremidade inferior da escápula em direção à coluna. Um assistente puxa, rotaciona e pode aplicar uma pressão suave ao braço.

  • Técnica (de massagem) de Cunningham: o profissional se senta em frente à pessoa e coloca a mão da pessoa no ombro do profissional. Em seguida, ele massageia os músculos da parte superior do braço e do ombro e pede à pessoa para relaxar e encolher os ombros de volta, tentando fazer com que as escápulas encostem uma na outra. A massagem ajuda os músculos a relaxarem, para que a pessoa possa ter o ombro encaixado de volta no lugar.

  • Técnica de Davos (autorredução): A pessoa senta em uma cama, dobra o joelho no lado do ombro afetado e coloca o pé sobre a cama. A pessoa fecha as mãos na frente do joelho, com os cotovelos próximos à coxa, e o profissional envolve as mãos da pessoa com uma tira elástica, amarrando as mãos uma à outra e ao joelho, para manter as mãos na posição. O profissional então senta-se sobre o pé da pessoa e a instrui a inclinar a cabeça para trás. Ao inclinar a cabeça para trás, a pessoa exerce pressão sobre o ombro luxado, o que ajuda a colocá-lo de volta ao lugar.

  • Técnica de Stimson (pesos pendurados): A pessoa se deita de bruços sobre uma cama, com o braço do ombro luxado pendurado na lateral da cama. O profissional prende pesos ao pulso da pessoa. Depois de cerca de 30 minutos, os músculos do ombro geralmente relaxam o suficiente para que o ombro seja recolocado no lugar.

  • Técnica de FARES (rápida e confiável): A pessoa se deita de barriga para cima com o cotovelo estendido e o braço junto ao corpo. O profissional segura o braço da pessoa na altura da mão ou do pulso e afasta lentamente o braço do corpo da pessoa. Ao mesmo tempo, o profissional move o braço da pessoa para cima e para baixo em movimentos curtos, lentos e oscilantes de cima para baixo. Estes movimentos ajudam os músculos a relaxar.

Como recolocar o ombro no lugar: Tração e contratração

A pessoa se deita sobre uma superfície imóvel. Um profissional puxa um lençol dobrado ao redor do peito da pessoa para mantê-la imóvel enquanto outro profissional puxa o braço afetado para baixo e para fora. A técnica é chamada tração e contratração.

Como recolocar o ombro no lugar: Tração e contratração

Depois da redução, a articulação é imediatamente imobilizada com uma tipoia e bandagem.

Como recolocar o ombro no lugar: Técnica de Hennepin

O profissional flexiona o braço e, em seguida, lentamente roda‑o distanciando-se do corpo.

Como recolocar o ombro no lugar: Técnica de Hennepin

Tipoia e bandagem

Tipoia e bandagem
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Terapia de células-tronco alogênicas
Vídeo
Terapia de células-tronco alogênicas
Células-tronco são células ímpares localizadas na medula óssea ou no sangue periférico capazes...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Entorses e estiramentos
Modelo 3D
Entorses e estiramentos

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS