Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Fisioterapia (FT)

Por

Alex Moroz

, MD, New York University School of Medicine

Última revisão/alteração completa jun 2017| Última modificação do conteúdo jul 2017
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A fisioterapia, um foco típico de reabilitação, consiste em exercitar e em manipular o corpo. Pode melhorar a função articular e muscular, ajudar as pessoas a ficarem em pé, equilibrar-se, andar e subir escadas. As técnicas incluem

  • Exercícios de amplitude de movimento

  • Exercícios de fortalecimento muscular

  • Exercícios de coordenação e equilíbrio

  • Exercícios de deslocamento (caminhar)

  • Exercícios de condicionamento geral

  • Treinamento de transferência

  • Uso de uma mesa inclinada

Exercícios de amplitude de movimento

A amplitude de movimento geralmente se torna restrita após um acidente vascular cerebral ou repouso prolongado na cama. A amplitude de movimento restrita pode provocar dor, interferir na capacidade da pessoa de realizar suas funções e aumentar o risco de desgaste da pele (ruptura da pele) e úlceras de decúbito. A amplitude de movimento geralmente diminui conforme as pessoas envelhecem, embora essa redução geralmente não evite que os idosos saudáveis se cuidem sozinhos.

Aumento da amplitude de movimento dos ombros

Um terapeuta estabiliza o ombro da pessoa com uma mão, enquanto a pessoa levanta levemente o cotovelo o mais alto possível com o outro. Durante várias sessões, o cotovelo é gradualmente movido mais alto, aumentando assim a amplitude de movimento da articulação.

Aumento da amplitude de movimento dos ombros

Antes de começar a terapia, o fisioterapeuta avalia a amplitude de movimento com um instrumento chamado um goniômetro, que mede o tamanho do ângulo que uma articulação pode mover. O terapeuta também determina se o movimento restrito resulta de músculos, ligamentos ou tendões tensos. Se a causa for músculos tensos, uma articulação pode ser alongada com mais vigor. Se a causa for ligamentos ou tendões tensos, experimenta-se o alongamento suave, mas pode ser necessária uma cirurgia antes de o progresso ser atingido com os exercícios de amplitude de movimento. O alongamento é normalmente mais eficaz e menos dolorido quando os tecidos estão aquecidos. Assim, os terapeutas podem aplicar primeiro o calor.

Existem três tipos de exercícios de amplitude de movimento:

  • Exercício ativo: Esse tipo é destinado a pessoas que podem exercitar um músculo ou articulação sem ajuda. Elas devem mover seus membros sozinhas.

  • Exercício ativo-assistido: Esse tipo é destinado a pessoas que podem mover seus músculos com uma pequena ajuda ou que podem mover suas articulações, mas sentem dor. As pessoas movem seus membros sozinhas, mas um terapeuta ajuda a realizar a tarefa com as mãos, fitas ou outro equipamento.

  • Exercício passivo: Destinado a pessoas que não podem participar ativamente do exercício. Não é necessário que elas façam esforço. O terapeuta move seus membros.

Os exercícios ativos assistidos e passivos de amplitude de movimento são realizados muito gentilmente para evitar lesão, embora algum desconforto seja inevitável.

Para aumentar a amplitude de movimento, o terapeuta deve mover uma articulação afetada além do ponto da dor, mas o movimento não deve provocar dor residual (dor que continua uma vez interrompido o movimento). Um alongamento moderado e progressivo é muito mais eficaz do que um alongamento momentâneo e forçado.

Exercícios de fortalecimento muscular

Muitas formas de exercício aumentam a força muscular. Todas envolvem o uso de resistência progressivamente aumentada. Quando um músculo se encontra muito debilitado, o movimento apenas contra a gravidade é suficiente. Conforme a força muscular aumenta, a resistência é gradualmente aumentada pelo uso de fitas elásticas ou pesos. Deste modo, o tamanho (massa) e a força do músculo aumentam, além do aprimoramento da resistência.

Exercícios de coordenação e equilíbrio

Esses exercícios podem ajudar as pessoas que têm problemas de coordenação e equilíbrio, normalmente devido a um acidente vascular cerebral ou lesões cerebrais. Os exercícios de coordenação têm como objetivo ajudar as pessoas a realizar tarefas específicas. Os exercícios implicam a repetição de um movimento significativo que faça trabalhar mais de uma articulação e um músculo, como apanhar um objeto ou tocar uma parte do próprio corpo.

Os exercícios de equilíbrio são realizados inicialmente com uso de barras paralelas, com um terapeuta em pé à direita da pessoa. A pessoa alterna o peso entre as pernas direita e esquerda em um movimento de vai-e-vem. Uma vez que esse exercício possa ser realizado com segurança, o peso pode ser alternado para frente e para trás. Quando os exercícios forem praticados, a pessoa pode realizá-los sem as barras paralelas.

Exercícios de deslocamento

Caminhada (deslocamento), independente ou com assistência, pode ser o objetivo principal da reabilitação. Antes de começar os exercícios de deslocamento, as pessoas devem ser capazes de se equilibrar enquanto estiverem de pé. Para melhorar o equilíbrio, as pessoas normalmente seguram nas barras paralelas e alternam o peso lateralmente e de frente para trás. Para mantê-los em segurança, o terapeuta fica de pé na frente ou atrás. Antes de dar início aos exercícios de deslocamento, por vezes, é necessário melhorar a amplitude de movimento das articulações ou a força muscular. Algumas pessoas precisam de um dispositivo ortótico, como um suporte.

Você sabia que...

  • Para pessoas que têm dificuldade ao andar, aprender a se mover com segurança da cama para a cadeira ou da cadeira de rodas para o banheiro pode ajudá-las a viver com independência.

Quando as pessoas estiverem prontas para os exercícios de deslocamento, elas podem começar nas barras paralelas e, depois, progredir para caminhada com auxílio mecânico, como um andador, muletas ou uma bengala. Algumas pessoas devem usar um cinto que permite ao terapeuta evitar a sua queda.

Assim que as pessoas puderem caminhar com segurança no nível da superfície, elas podem aprender a contornar uma curva ou subir escadas. Ao subir escadas, elas são instruídas a subir o degrau primeiro com a perna não afetada. Ao descer escadas, elas são instruídas a descer o degrau primeiro com a perna não afetada. A frase "bom para subir, ruim para descer" pode ajudar as pessoas a lembrarem. Os familiares e cuidadores que ajudam as pessoas a caminhar devem aprender a apoiá-las corretamente.

Ajudar uma pessoa a caminhar

Se uma pessoa precisar de apoio durante a caminhada, os familiares ou os cuidadores podem colocar seus braços sob o braço da pessoa e suavemente segurar o antebraço. Então, eles devem travar seu braço, pressionando seu antebraço com firmeza contra o antebraço da pessoa. Assim, se a pessoa começar a cair, será fornecido apoio no ombro da pessoa. A pessoa pode usar um cinto especial que os cuidadores podem segurar nas costas, se necessário, para levantar a pessoa.

Ajudar uma pessoa a caminhar

Exercícios de condicionamento geral

Uma combinação de exercícios de amplitude de movimento, fortalecimento muscular e deslocamento é usada para contrabalançar os efeitos de repouso prolongado na cama ou imobilização. Os exercícios de condicionamento geral ajudam a aprimorar a capacidade cardiovascular (a capacidade que o coração, pulmões e vasos sanguíneos têm de fornecer oxigênio para o funcionamento dos músculos), bem como manter ou melhorar a flexibilidade e a força muscular.

Treinamento de transferência

Para muitas pessoas (especialmente as que têm uma fratura do quadril, uma amputação ou um acidente vascular cerebral), o treinamento de transferência é um objetivo essencial da reabilitação. É essencial para a permanência domiciliar que a pessoa seja capaz de se transferir com segurança e independência da cama para a cadeira, da cadeira de rodas para o vaso sanitário ou da cadeira para a posição de pé. As pessoas que não conseguirem se transferir sem ajuda normalmente precisam de assistência 24 horas. Os cuidadores podem ajudar a transferência com uso de dispositivos especiais, como um cinto de marcha ou suspensório.

As técnicas usadas no treinamento de transferência dependem:

  • Se as pessoas podem sustentar o peso em um ou nas duas pernas

  • Se elas se equilibram bem

  • Se elas têm paralisia em um lado do corpo

Os dispositivos de assistência podem ajudar algumas vezes. Por exemplo, para uma pessoa que tenha dificuldade em levantar-se, pode ser vantajoso o uso de uma cadeira com elevação automática ou uma cadeira com um assento elevado.

Mesa inclinada

Se as pessoas estiveram limitadas a repouso restrito na cama por várias semanas ou tiveram uma lesão da medula espinhal, elas podem ficar tontas quando se levantarem (hipotensão ortostática). Uma mesa inclinada pode ser usada para ajudar essas pessoas. Esse procedimento pode retreinar os vasos sanguíneos para se estreitarem (contrair) e ampliarem (dilatar) adequadamente, em resposta a alterações na postura. As pessoas deitam de costas em uma maca acolchoada com apoio para os pés, e são mantidas no local com um cinto de segurança. A mesa é inclinada muito lentamente, determinada pela tolerância da pessoa, até que esteja próxima de ficar em pé. A alteração lenta na postura habilita os vasos sanguíneos para a capacidade de contrair. Quanto tempo a posição de pé é mantida depende do quanto as pessoas toleram, mas não deve exceder 45 minutos.

O procedimento de mesa reclinável é realizado uma ou duas vezes por dia. Sua eficácia varia dependendo do tipo e do grau de incapacidade.

Mais informações

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
O corpo humano: Células, tecidos, órgãos e sistemas
Vídeo
O corpo humano: Células, tecidos, órgãos e sistemas

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS