Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Incontinência urinária em adultos

Por

Patrick J. Shenot

, MD, Thomas Jefferson University Hospital

Última revisão/alteração completa abr 2020| Última modificação do conteúdo abr 2020
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
Recursos do assunto

A incontinência urinária é a perda involuntária de urina.

A incontinência pode ocorrer em homens e mulheres em qualquer idade, mas é mais comum em mulheres e idosos, afetando cerca de 30% das idosas e 15% dos idosos. Embora a incontinência seja mais comum entre os idosos, não é uma parte normal do envelhecimento. A incontinência pode ser repentina e temporária, como quando uma pessoa está tomando medicamentos que têm efeito diurético ou pode ser duradoura (crônica). Mesmo a incontinência crônica pode, algumas vezes, ser aliviada.

Tipos de incontinência

Há vários tipos de incontinência:

  • Incontinência de urgência é vazamento de urina não controlado (de volume moderado a grande) que ocorre imediatamente após uma necessidade de urinar irreprimível e urgente. Levantar para urinar durante a noite (noctúria) e incontinência noturna são comuns.

  • Incontinência de esforço é o vazamento de urina devido a aumentos abruptos na pressão intra-abdominal (por exemplo, aqueles que ocorrem com a tosse, espirro, risada, flexão ou ao levantar peso). O volume de vazamento é normalmente de baixo a moderado.

  • Incontinência por transbordamento é o gotejamento de urina da bexiga sobrecarregada. O volume é normalmente pequeno, mas pode ser constante, resultando em grandes perdas totais.

  • Incontinência funcional é perda de urina devido a um problema com comprometimento mental ou físico não relacionado ao controle de micção. Por exemplo, uma pessoa com demência devido a doença de Alzheimer pode não reconhecer a necessidade de urinar ou não saber onde fica o banheiro. As pessoas acamadas podem não ser capazes de andar até o banheiro ou alcançar um urinol.

Frequentemente, entretanto, uma pessoa tem mais de um tipo de incontinência. As pessoas são então descritas como tendo incontinência mista.

Causas de incontinência urinária

Vários mecanismos podem levar à incontinência urinária. Frequentemente, mais de um mecanismo está presente:

  • Fraqueza do esfíncter urinário ou músculos pélvicos (chamada incompetência da saída da bexiga)

  • Alguma coisa bloqueando o trajeto de saída da urina da bexiga (chamada obstrução da saída da bexiga)

  • Espasmo ou superatividade dos músculos da parede da bexiga (algumas vezes chamada de bexiga hiperativa)

  • Fraqueza ou hipoatividade dos músculos da parede da bexiga

  • Coordenação ruim dos músculos da parede da bexiga com o esfíncter urinário

  • Um aumento no volume de urina

  • Problemas funcionais

Fraqueza ou hipoatividade dos músculos da parede da bexiga, obstrução da saída da bexiga ou particularmente ambas podem levar a incapacidade de urinar (retenção urinária Retenção urinária A retenção urinária é a incapacidade de urinar ou de esvaziar completamente a bexiga. As pessoas que têm esvaziamento incompleto da bexiga podem ter polaquiúria ou incontinência urinária. Se... leia mais ). A retenção urinária pode paradoxalmente levar a incontinência por transbordamento devido ao vazamento da bexiga excessivamente cheia.

Um aumento no volume da urina (por exemplo, causado por diabetes, uso de diuréticos ou ingestão excessiva de álcool ou bebidas com cafeína) pode aumentar a quantidade de urina perdida por incontinência, desencadear um episódio de incontinência ou até mesmo fazer com que incontinência temporária se desenvolva. Entretanto, não deve causar incontinência crônica. Os problemas funcionais comumente aumentam o volume da urina perdida entre as pessoas que sofrem de incontinência. Entretanto, os problemas funcionais são raramente a única causa de incontinência permanente.

Em geral, as causas mais comuns da incontinência são

Tabela
icon
Tabela
icon

Você sabia que...

  • As pessoas frequentemente vivem com incontinência porque elas acreditam, erroneamente, que é normal no envelhecimento.

Avaliação de incontinência urinária

A incontinência urinária normalmente não indica um distúrbio ameaçador à vida; entretanto, a incontinência pode causar vergonha ou levar as pessoas a restringir suas atividades desnecessariamente, contribuindo para um declínio em sua qualidade de vida. Raramente, também, a incontinência repentina pode ser um sintoma de um distúrbio da medula espinhal. As informações a seguir podem ajudar as pessoas a decidir quando a avaliação médica é necessária e a saber o que esperar durante a avaliação.

Sinais de alerta

Nas pessoas com incontinência urinária, certos sintomas e características são causas de preocupação. Incluem

  • Os sintomas da lesão na medula espinhal (por exemplo, fraqueza nas pernas ou perda de sensação nas pernas ou ao redor dos genitais ou ânus)

Quando consultar um médico

As pessoas com sinais alarmantes devem ir para o pronto-socorro imediatamente. As pessoas sem sinais de alerta devem consultar seus médicos. O médico decidirá quando elas precisam se consultar com base em seus outros sintomas e outros quadros clínicos conhecidos. Em geral, se a incontinência for o único sintoma, um retardo por volta de uma semana não é danoso.

A maioria das pessoas fica com vergonha de mencionar incontinência para seus médicos. Algumas pessoas acreditam que a incontinência é uma parte normal do envelhecimento. Entretanto a incontinência, mesmo a incontinência que está presente durante algum tempo ou que ocorre em pessoas idosas, pode ser ajudada por tratamento. Se os sintomas de incontinência primária são incômodos, interferem com atividades do dia a dia ou fazem as pessoas cortarem suas atividades sociais, elas devem consultar um médico.

O que o médico faz

Primeiro, os médicos fazem perguntas sobre os sintomas e o histórico médico. Em seguida, os médicos fazem um exame físico. O que eles encontram durante o histórico e o exame físico frequentemente sugere uma causa para a incontinência e os exames que podem ser necessários.

Os médicos fazem perguntas sobre as circunstâncias da perda de urina, incluindo quantidade, período do dia e quaisquer fatores precipitantes (como tosse, espirro ou esforço). Perguntam se as pessoas podem sentir a necessidade de urinar e, nesse caso, se a sensação é normal ou vem com urgência repentina. Os médicos também podem pedir às pessoas para estimarem a quantidade de vazamento de urina. Os médicos também perguntarão se a pessoa tem quaisquer problemas adicionais como dor ou queimação durante a micção, uma necessidade frequente de urinar, dificuldade em iniciar a micção ou um fluxo de urina fraco.

Algumas vezes os médicos podem pedir que as pessoas mantenham um registo de seus hábitos urinários por um dia ou dois. Este registro é chamado de diário de micção. Cada vez que a pessoa urina, o volume e o tempo são registrados. Após um episódio de incontinência, a pessoa também registra quaisquer atividades relacionadas, especialmente comida, bebida, uso de medicamento ou sono.

Os médicos perguntam se a pessoa tem outros distúrbios conhecidos por causar incontinência, como demência Demência A demência é uma diminuição, lenta e progressiva, da função mental, que afeta a memória, o pensamento, o juízo e a capacidade para aprender. Normalmente, os sintomas incluem perda de memória... leia mais , acidente vascular cerebral Considerações gerais sobre o acidente vascular cerebral Um acidente vascular cerebral ocorre quando uma artéria no cérebro fica bloqueada ou se rompe, resultando na morte de uma área do tecido cerebral devido à perda do suprimento sanguíneo (infarto... leia mais , cálculos no trato urinário Cálculos no trato urinário Os cálculos (pedras) são massas duras que se formam no trato urinário e podem provocar dor, hemorragia ou infecção ou bloqueio do fluxo da urina. Cálculos minúsculos podem não causar sintomas... leia mais Cálculos no trato urinário , distúrbios na medula espinhal Considerações gerais sobre doenças da medula espinhal Os distúrbios da medula espinhal podem causar problemas graves permanentes, como paralisia ou perda de controle da bexiga e do intestino (incontinência urinária e incontinência fecal). Às vezes... leia mais ou outros distúrbios neurológicos e distúrbios da próstata Distúrbios benignos da próstata leia mais . Os médicos precisam saber quais medicamentos uma pessoa está tomando porque alguns deles causam ou contribuem com a incontinência. Pergunta-se às mulheres quantos partos tiveram e de que tipo foram, além de quaisquer complicações. Pergunta-se a todas as pessoas sobre cirurgia pélvica e abdominal anteriores, particularmente cirurgia da próstata em homens.

O exame físico pode ajudar os médicos a estreitar as causas possíveis. Os médicos testam a força, sensação e reflexos nas pernas e a sensação ao redor dos genitais e ânus para detectar problemas nos nervos e músculos que podem tornar difícil para a pessoa permanecer continente.

Em mulheres, os médicos fazem exame pélvico para detectar anormalidades que poderiam causar incontinência, como atrofia vaginal Sintomas após a menopausa A menopausa é o fim permanente das menstruações e, consequentemente, da fertilidade. Por vários anos antes e logo após a menopausa, os níveis de estrogênio variam muito, as menstruações tornam-se... leia mais Sintomas após a menopausa (alterações da menopausa em que a mucosa vaginal se torna mais fina, mais seca e menos elástica, podendo ser acompanhadas por alterações no trato urinário) ou fraqueza dos músculos pélvicos Prolapso de órgãos pélvicos (POP) O prolapso de órgãos pélvicos consiste na queda (prolapso) da bexiga, uretra, intestino delgado, reto, útero ou vagina, causada por fraqueza ou lesão nos ligamentos, tecido conjuntivo e músculos... leia mais Prolapso de órgãos pélvicos (POP) . Em homens e mulheres, os médicos fazem um exame retal para procurar sinais de constipação ou lesão nos nervos que suprem o reto. Nos homens, o exame retal permite que os médicos verifiquem a próstata porque uma próstata aumentada Hiperplasia prostática benigna (HPB) A hiperplasia prostática benigna (HPB) é um aumento não canceroso (benigno) da glândula prostática, que pode dificultar a micção. A glândula da próstata aumenta conforme o homem envelhece. Os... leia mais ou, ocasionalmente, câncer de próstata Câncer de próstata O risco do câncer de próstata aumenta com a idade. Os sintomas, como dificuldade em urinar, necessidade de urinar frequente e urgentemente e sangue na urina, normalmente ocorrem somente após... leia mais Câncer de próstata pode contribuir para a incontinência. Pode ser pedido que a pessoa tussa com a bexiga cheia para detectar se há incontinência de esforço Incontinência ao esforço A incontinência urinária é a perda involuntária de urina. A incontinência pode ocorrer em homens e mulheres em qualquer idade, mas é mais comum em mulheres e idosos, afetando cerca de 30% das... leia mais Incontinência ao esforço . Pode ser pedido às mulheres que repitam esse procedimento durante um exame pélvico para verificar se ao apoiar algumas estruturas pélvicas (com os dedos do médico) elimina-se o vazamento de urina.

Exames

Frequentemente, as descobertas feitas durante o exame físico podem ajudar os médicos a determinar a causa ou identificar os fatores que contribuem para a incontinência. Entretanto, alguns exames são frequentemente necessários para que se possa fazer um diagnóstico firme. Os exames rotineiros incluem

O exame urodinâmico inclui cistometria, exame de taxa de fluxo urinário e cistometrografia, e é feito quando a avaliação clínica e os exames acima não revelam a causa da incontinência.

Apesar do exame urodinâmico, os resultados nem sempre predizem a resposta ao tratamento medicamentoso ou avaliam a importância relativa de causas múltiplas.

Tratamento de incontinência urinária

  • Tratamento de causas específicas

  • Algumas vezes, medicamentos para tratar certos de tipos de incontinência

  • Medidas gerais para reduzir a inconveniência da incontinência

A causa específica da incontinência frequentemente pode ser tratada. Também há medidas gerais que os médicos podem sugerir para todas as pessoas para reduzir a inconveniência da incontinência.

Quando um medicamento causa um problema, os médicos podem prescrever um medicamento diferente ou alterar a dosagem para fornecer alívio (por exemplo, a dose do diurético pode ser programada para que haja um banheiro por perto quando o medicamento fizer efeito). Entretanto, as pessoas devem conversar com o médico antes de parar de tomar o medicamento ou de alterar a quantidade ou dose.

Os medicamentos frequentemente são úteis para alguns tipos de incontinência, mas devem ser complementares e não substituir as medidas gerais. Os medicamentos incluem aqueles que relaxam o músculo da parede da bexiga e aqueles que aumentam o tônus do esfíncter. Os medicamentos que relaxam o esfíncter urinário podem ser usados para tratar a obstrução da saída em homens com incontinência de urgência ou por transbordamento.

Medidas gerais

Independentemente do tipo e causa da incontinência, algumas medidas gerais são normalmente úteis.

  • Modificação da ingestão de líquido

  • Treinamento da bexiga

  • Exercícios dos músculos pélvicos

A ingestão de líquidos pode ser limitada a certos horários (por exemplo, antes de sair ou três a quatro horas antes de se deitar). Os médicos podem sugerir que as pessoas evitem líquidos que irritem a bexiga (como líquidos contendo cafeína). Entretanto, as pessoas devem beber de 1.500 a 2.000 ml (de 48 a 64 onças) de líquido por dia porque a urina concentrada irrita a bexiga.

O treinamento da bexiga é uma técnica em que a pessoa segue uma programação fixa para urinar enquanto está acordada. O médico trabalha com a pessoa para estabelecer uma programação de micção a cada duas ou três horas e reduz a urgência de urinar em outros horários (por exemplo, relaxando e respirando profundamente). À medida que a pessoa se torna mais capaz de reduzir a urgência de urinar, o intervalo é gradualmente aumentado. Uma técnica similar, chamada de micção solicitada, pode ser usada por aqueles que cuidam de pessoas com demência ou outro problema cognitivo. Nela, pergunta-se à pessoa se ela precisa urinar e se fica úmida ou seca em intervalos específicos.

Exercícios dos músculos pélvicos (exercícios de Kegel Exercícios O prolapso de órgãos pélvicos consiste na queda (prolapso) da bexiga, uretra, intestino delgado, reto, útero ou vagina, causada por fraqueza ou lesão nos ligamentos, tecido conjuntivo e músculos... leia mais Exercícios ) são frequentemente eficazes, especialmente para a incontinência de esforço. As pessoas devem estar certas de que exercitam os músculos corretos, os músculos ao redor da uretra e reto que param o fluxo da urina. Os músculos são fortemente apertados por um a dois segundos e, em seguida, relaxados por cerca de dez segundos. Os exercícios são repetidos cerca de dez vezes, três vezes por dia. As pessoas ficam gradualmente capazes de aumentar o tempo que os músculos ficam apertados até a contração ser mantida por cerca de dez segundos a cada vez. Como pode ser difícil aprender a controlar os músculos corretamente, os médicos podem precisar fornecer instruções ou recomendar o uso de biofeedback ou estímulo elétrico (uma versão eletrônica dos exercícios do assoalho pélvico em que uma corrente elétrica é usada para estimular os músculos corretamente).

Tabela
icon

Incontinência de urgência

A meta é relaxar os músculos da parede da bexiga. O treinamento da bexiga, os exercícios de Kegel e as técnicas de relaxamento são tentadas em primeiro lugar. Biofeedback também pode ser tentado. Com a urgência para urinar, a pessoa pode tentar relaxar ficando em pé ou sentada ou apertando os músculos pélvicos. Os dois medicamentos mais comumente usados são oxibutinina e tolterodina. A oxibutinina está disponível como um adesivo para a pele ou gel para pele ou como pílula. Medicamentos mais novos incluem mirabegrona, fesoterodina, solifenacina, darifenacina e tróspio.

Se outros tratamentos são ineficazes para incontinência de urgência, tratamentos adicionais podem ser tentados, como estímulos elétricos suaves dos nervos sacrais por um dispositivo similar a um marca-passo, instilação dos produtos químicos na bexiga (quando a causa é um distúrbio da medula espinhal ou do cérebro) ou, raramente, cirurgia.

Incontinência ao esforço

O tratamento normalmente começa com treinamento da bexiga e exercícios de Kegel. Evitar esforços físicos que causam perda de urina (por exemplo, levantamento de peso) e perda de peso pode ajudar a controlar a incontinência. Pseudoefedrina pode ser útil em mulheres com incompetência da saída da bexiga. Imipramina pode ser usada para esforço misto e incontinência de urgência Incontinência de urgência A incontinência urinária é a perda involuntária de urina. A incontinência pode ocorrer em homens e mulheres em qualquer idade, mas é mais comum em mulheres e idosos, afetando cerca de 30% das... leia mais Incontinência de urgência ou para cada um deles, separadamente. Duloxetina também é usada para a incontinência de esforço. Se a incontinência de esforço é causada por uretrite atrófica ou vaginite, creme de estrogênio é frequentemente eficaz. Para as pessoas com incontinência de esforço, costuma ser útil urinar frequentemente para evitar que a bexiga se encha.

Para incontinência de esforço que não é aliviada com medicamentos e medidas comportamentais, a cirurgia ou dispositivos como pessários podem ser úteis. O procedimento de tipoia vaginal cria uma rede de suporte para ajudar a evitar que a uretra se abra durante a tosse, espirro ou risada. Mais comumente, uma tipoia é criada a partir de malha sintética. Os implantes de malha são eficazes, mas poucas pessoas com implantes de malha têm complicações. Alternativamente, os médicos podem criar uma tipoia usando o tecido da parede abdominal ou perna. Nos homens com incontinência de esforço, uma tipoia de malha ou um implante de esfíncter urinário artificial pode ser colocado ao redor da uretra para evitar o vazamento de urina.

Incontinência por transbordamento

O tratamento depende da causa, se é obstrução da saída da bexiga, músculos da parede da bexiga fracos ou ambos. Para a incontinência por transbordamento causada por obstrução de saída da bexiga, tratamentos específicos podem ajudar a aliviar a obstrução (por exemplo, cirurgia ou medicamentos para a doença da próstata, cirurgia para cistocele e dilatação ou colocação de stent para estreitamento da uretra).

Para incontinência por transbordamento causada por músculos fracos da parede da bexiga, os tratamentos podem incluir a redução da quantidade de urina na bexiga por inserção intermitente de um cateter de bexiga ou, raramente, inserção de um cateter que permanece na bexiga. A meta é reduzir o tamanho da bexiga, permitindo que suas paredes recuperem um pouco da capacidade de evitar o transbordamento. Outras medidas podem ajudar a esvaziar a bexiga após a micção. Podem incluir tentar urinar novamente após a micção ter terminado (chamada esvaziamento duplo) pressão no final da micção e/ou pressão sobre o baixo-ventre ao final da micção. Ocasionalmente, o estímulo elétrico pode ser usado para ajudar a esvaziar a bexiga mais completamente.

Informações essenciais para idosos: Incontinência urinária

Embora a incontinência seja mais comum entre os idosos, não é uma parte normal do envelhecimento.

Com a idade, a capacidade da bexiga diminui, a capacidade de retardar a micção diminui, contrações da bexiga involuntárias ocorrem com mais frequência e as contrações da bexiga enfraquecem. Dessa forma, a micção se torna mais difícil de retardar e tende a ser incompleta. Os músculos, ligamentos e tecido conjuntivo da pélvis enfraquecem, contribuindo para a incontinência. Nas mulheres na pós-menopausa, os níveis de estrogênio levam à ureterite atrófica, à vaginite atrófica e à diminuição de força do esfíncter uretral. Nos homens, o tamanho da próstata aumenta, obstruindo parcialmente a uretra e levando ao esvaziamento incompleto da bexiga e distensão do músculo da bexiga. Essas alterações ocorrem em muitos idosos continentes e normais e podem facilitar a incontinência, mas não a causa.

A incontinência reduz enormemente a qualidade de vida, causando vergonha, isolamento e depressão. A incontinência é, frequentemente, uma razão pela qual as pessoas requerem cuidado em instalação de cuidados de longo prazo. A urina irrita a pele, contribuindo para a formação de úlceras de decúbito Úlceras de decúbito As úlceras de decúbito são áreas de pele danificadas que decorrem da falta de irrigação sanguínea devido à pressão prolongada. As úlceras de decúbito muitas vezes resultam da pressão combinada... leia mais Úlceras de decúbito em pessoas que estão acamadas ou restritas a uma cadeira de rodas. Os idosos com incontinência de urgência estão em risco maior de sofrerem quedas e fraturas quando correm para o banheiro.

Os medicamentos mais eficazes para muitos tipos de incontinência têm efeitos anticolinérgicos (veja a barra lateral Anticolinérgicos: o que isso significa? ). Esses efeitos, como constipação, boca seca, visão turva e, algumas vezes, até mesmo confusão, pode ser particularmente complicado nos idosos.

Pontos-chave sobre incontinência urinária

  • A incontinência é comum e pode enormemente reduzir a qualidade de vida de uma pessoa, de forma que as pessoas devem ser avaliadas por um médico.

  • Embora a incontinência seja mais comum entre os idosos, não é uma consequência normal do envelhecimento.

  • Algumas causas são reversíveis, mesmo se duradouras.

Mais informações sobre incontinência urinária

  • National Association for Continence: Orientação abrangente sobre incontinência e ferramentas e recursos de apoio para pacientes, cuidadores e profissionais de saúde

  • The Simon Foundation for Continence: Acesso a projetos educacionais inovadores para pessoas com perda do controle da bexiga e do intestino

  • Urology Care Foundation: Informações de saúde atuais e abrangentes em urologia, incluindo um periódico para pacientes (Urology Health extra®) e atualizações de pesquisas

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Teste os seus conhecimentos
Bexiga neurogênica
Qual das opções a seguir é o principal sintoma de bexiga neurogênica?
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
PRINCIPAIS