honeypot link

Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Ceratite por herpes simples

(Herpes Simplex Keratoconjunctivitis)

Por

Melvin I. Roat

, MD, FACS, Sidney Kimmel Medical College at Thomas Jefferson University

Última revisão/alteração completa mai 2020| Última modificação do conteúdo mai 2020
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A ceratite por herpes simples é uma infecção ocular que envolve a córnea (a camada transparente na frente da íris e da pupila) e é causada pelo vírus herpes simples.

  • A sensação de dor, lacrimejamento, vermelhidão, sensação de corpo estranho dentro do olho e sensibilidade à luz intensa são sintomas comuns.

  • Médicos diagnosticam a ceratite por herpes simples com base em um exame da córnea da pessoa e, por vezes, através da coleta de um swab do olho para identificar o vírus.

  • O tratamento é com fármacos antivirais.

An Inside Look at the Eye

An Inside Look at the Eye

O vírus do herpes simples (que causa úlceras - herpes - decorrentes de infecções respiratórias) nunca deixa o corpo após uma infecção inicial (primária). Em vez disso, o vírus permanece em estágio latente (inativo) nos nervos. Por vezes, o vírus é reativado e causa recorrências e outros sintomas.

Infecções oculares primárias por herpes simples em geral ocorrem em crianças e causam uma ceratoconjuntivite leve, que é a inflamação da córnea e da conjuntiva (membrana que reveste as pálpebras e cobre o branco do olho).

A infecção primária se resolve sem tratamento. No entanto, em caso de reativação da infecção, esta pode afetar a córnea de modo mais sério e pode resultar em perda visual temporária ou permanente.

A ceratite por herpes simplex é a principal causa de cegueira em todo o mundo.

Sintomas

Os sintomas de infecções oculares primárias (primeira vez) por herpes simples costumam lembrar os da conjuntivite comum, e assim, não há diagnóstico de infecção por herpes simples.

Os sintomas de uma reativação incluem lacrimejamento, vermelhidão, sensação de corpo estranho dentro do olho e sensibilidade à luz intensa. Raramente, a infecção piora e a córnea inflama, provocando visão embaçada. Quanto mais frequente for a reincidência da infecção, maior a probabilidade de uma lesão futura na superfície da córnea. Várias reincidências podem originar úlceras profundas, cicatrizes permanentes, vasos sanguíneos crescendo sobre a córnea e dormência da superfície do olho.

Com múltiplas recorrências, o vírus do herpes simples pode causar comprometimento significativo da visão, que pode ser permanente.

Diagnóstico

  • Um exame do olho

  • Às vezes, uma cultura ou outros exames laboratoriais

Para diagnosticar uma infecção por herpes simples, o médico examina o olho usando uma lâmpada de fenda (instrumento que permite examinar o olho em alta resolução). Durante o exame, o médico pode aplicar colírios nos olhos que contêm um corante amarelo-esverdeado chamado fluoresceína. O corante fluoresceína temporariamente cora as lesões da córnea em verde-claro, tornando possível para o médico visualizar aquelas que não são visíveis.

Ele também pode coletar um esfregaço da área infectada para identificar o vírus (cultura viral).

Tratamento

  • Colírios antivirais

  • Fármacos antivirais tomados por via oral ou administrados por via intravenosa

  • Colírios a base de corticosteroides e colírios que dilatam a pupila

  • Algumas vezes remoção das células do olho infectadas e danificadas

O tratamento de ceratite por herpes simples deve ser iniciado o mais cedo possível.

O médico pode receitar um colírio antiviral, como o colírio de trifluridina ou gel de ganciclovir.

O aciclovir, outro medicamento antiviral, pode ser administrado por via oral ou por via intravenosa. O medicamento antiviral valaciclovir também pode ser administrado por via oral.

Infecções profundas que causam uma série de inflamações podem exigir o uso de colírios à base de corticosteroide e colírios para dilatar a pupila, como ciclopentolato, atropina ou escopolamina.

Algumas vezes, para acelerar a cura, o oftalmologista (médico especializado na avaliação e tratamento – cirúrgico e não cirúrgico – de doenças oculares) raspa suavemente a córnea com um cotonete próprio para eliminar as células mortas e as danificadas.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Feature.AlsoOfInterst.SocialMedia

PRINCIPAIS