honeypot link

Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Úlcera da córnea

Por

Melvin I. Roat

, MD, FACS, Sidney Kimmel Medical College at Thomas Jefferson University

Última revisão/alteração completa mai 2020| Última modificação do conteúdo mai 2020
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
Recursos do assunto

A úlcera da córnea é uma infecção ocular que provoca uma ferida aberta sobre a córnea (a camada transparente na frente da íris e da pupila).

  • Lentes de contato, lesões, doenças, medicamentos e deficiência nutricional podem fazer com que feridas abertas (úlceras) formem-se sobre a córnea.

  • Dor, sensação de corpo estranho (a dor e a sensação de corpo estranho podem ser intensas), vermelhidão, lacrimejamento e sensibilidade à luz são sintomas comuns.

  • Os médicos diagnosticam uma úlcera com base na aparência da córnea da pessoa.

  • Geralmente, são administrados colírios antibióticos, antivirais ou antifúngicos logo que possível.

An Inside Look at the Eye

An Inside Look at the Eye

Causas

As úlceras da córnea podem ser causadas por infecções com bactérias, fungos, vírus ou parasitas como Acanthamoeba (que vive em águas contaminadas). As úlceras podem começar com uma lesão da córnea, como em casos de secura intensa dos olhos, se um corpo estranho arranha, penetra ou se aloja no olho ou, mais frequentemente, se o olho estiver irritado devido a lentes de contato utilizadas ao dormir ou que não foram corretamente desinfetadas (consulte Cuidados e complicações). Úlceras virais na córnea (frequentemente causadas pelo vírus do herpes) podem reaparecer espontaneamente ou como resultado do estresse físico. A deficiência de vitamina A e de proteínas pode conduzir à formação de uma úlcera na córnea. No entanto, as úlceras desse tipo são raras nos Estados Unidos.

Quando as pálpebras não se fecham corretamente, a córnea pode secar e ficar irritada. Esse tipo de irritação pode dar origem a lesões e à formação de úlceras da córnea. Úlceras da córnea também podem ser o resultado do crescimento dos cílios para dentro (triquíase), da inversão das pálpebras (entrópio) ou de uma inflamação da pálpebra (blefarite).

Sintomas

As úlceras da córnea provocam vermelhidão, dor, sensação de corpo estranho no interior do olho, desconforto, hipersensibilidade à luz intensa e maior secreção lacrimal. Quase sempre a úlcera surge como uma mancha branca ou opaca e cinzenta na córnea. Em certos casos, as úlceras surgem sobre toda a córnea e podem penetrar em profundidade. Pode haver acúmulo de pus atrás da córnea, algumas vezes formando uma camada branca na parte inferior da córnea (chamada hipópio). Em geral, ocorre hemorragia conjuntival. Quanto mais profunda for a úlcera, mais graves os sintomas e as complicações.

Complicações da úlcera de córnea

As úlceras da córnea podem ser curadas com tratamento, mas podem deixar uma cicatriz fibrosa que compromete a visão.

Outras complicações incluem infecções persistentes, perfuração da córnea, deslocamento da íris e destruição da maioria ou de todo o tecido da cavidade ocular.

Diagnóstico

  • Um exame do olho

  • Às vezes, culturas

A úlcera é avaliada pelo médico com o uso da lâmpada de fenda (instrumento que permite examinar o olho em alta resolução). Para visualizar uma úlcera claramente, o médico pode aplicar colírios que contêm um corante amarelo-esverdeado chamado fluoresceína. A fluoresceína temporariamente cora as áreas danificadas da córnea, tornando possível para o médico visualizar aquelas que normalmente não são visíveis.

Em algumas situações, os médicos raspam a superfície de úlceras muito grandes para uma amostra. A amostra cresce, então, em um laboratório (cultivada) para identificar a bactéria, fungo, vírus ou protozoário causador da infecção. Uma vez identificado o organismo, os médicos escolhem o melhor medicamento para combater a infecção.

Tratamento

  • Colírios antibióticos, antivirais ou antifúngicos

  • Colírios para dilatar os olhos

  • Algumas vezes, transplante de córnea

A úlcera da córnea é uma emergência que deve ser tratada de imediato.

Colírios antibióticos, antivirais ou antifúngicos são necessários imediatamente e precisam ser administrados com frequência, muitas vezes de hora em hora por vários dias.

Colírios para dilatação da pupila, como atropina ou escopolamina, podem ajudar a reduzir a dor e também a chance de complicações.

Um transplante de córnea (ceratoplastia) pode ser às vezes necessário.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Feature.AlsoOfInterst.SocialMedia

PRINCIPAIS