Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Introdução aos sintomas de doenças do cérebro, da medula espinhal e dos nervos

Por

Michael C. Levin

, MD, College of Medicine, University of Saskatchewan

Última revisão/alteração completa fev 2019| Última modificação do conteúdo fev 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

Doenças que afetam o cérebro, a medula espinhal e os nervos são chamadas doenças neurológicas.

Os sintomas neurológicos são causados por um transtorno que afeta parte de ou todo o sistema nervoso. Eles podem variar porque o sistema nervoso controla diversas funções orgânicas diferentes. Os sintomas podem incluir todas as formas de dor, incluindo cefaleia e dor nas costas. Os músculos, a sensibilidade da pele, os sentidos (visão, paladar, olfato e audição) e outros sentidos dependem dos nervos para funcionarem normalmente. Assim, os sintomas neurológicos podem incluir fraqueza muscular ou falta de coordenação, sensibilidade anormal na pele e perturbações da visão, paladar, olfato e audição.

Transtornos neurológicos podem interferir no sono, tornando um indivíduo ansioso ou animado na hora de dormir e, com isso, cansado e sonolento durante o dia.

Os sintomas neurológicos podem ser irrelevantes (como o pé dormente) ou representar risco à vida (como coma devido a um acidente vascular cerebral).

O que é um sintoma neurológico?

Os sintomas neurológicos são causados por um transtorno que afeta parte de ou todo o sistema nervoso. Eles podem variar porque o sistema nervoso controla diversas funções orgânicas diferentes. Os sintomas podem incluir todas as formas de dor e podem envolver funções musculares, sensações, sentidos específicos (visão, palato, odor e audição), sono, percepção (consciência) e função mental (cognição).

A seguir, alguns sintomas neurológicos relativamente comuns:

Dor

Disfunção muscular

  • Tremor (agitação rítmica de uma parte do corpo)

  • Paralisia

  • Movimentos involuntários (não intencionais) (como tiques)

  • Anomalias na locomoção

  • Inflexibilidade, rigidez e espasticidade (espasmos musculares resultantes de rigidez muscular)

  • Lentidão dos movimentos

Alterações na sensibilidade

  • Dormência da pele

  • Sensação de formigamento ou picadas

  • Aumento da sensibilidade (hipersensibilidade) a um leve toque

  • Perda de sensibilidade ao tato, ao frio, ao calor ou à dor

  • Perda do sentido de posição (saber onde as partes do corpo estão no espaço)

Alterações de sentidos específicos

Outros sintomas

Problemas de sono

Alterações no estado de consciência

Alterações na cognição (capacidades mentais)

  • Dificuldade em compreender a linguagem ou usar a língua para falar ou escrever (afasia)

  • Dificuldade com habilidades motoras comuns, como riscar um fósforo ou pentear o cabelo, apesar da força normal (apraxia)

  • Incapacidade de reconhecer objetos familiares (agnosia) ou rostos familiares (prosopagnosia)

  • Incapacidade de manter a concentração ao executar uma tarefa

  • Incapacidade de distinguir a direita da esquerda

  • Incapacidade de realizar cálculos matemáticos simples (acalculia)

  • Dificuldade para compreender as relações espaciais (por exemplo, incapaz de desenhar um relógio, ou perder-se enquanto dirige em um bairro conhecido)

  • Demência (comprometimento de diversas funções cognitivas)

  • Negligência de um lado do corpo ou negação de sua existência (muitas vezes por conta de uma lesão cerebral)

As características e o padrão dos sintomas permitem ao médico diagnosticar o transtorno neurológico. Médicos também realizam um exame neurológico, que pode detectar problemas no cérebro, medula espinhal e nervos em outras partes do corpo (nervos periféricos).

Os nervos periféricos incluem

  • Os nervos que conectam a cabeça, a face, os olhos, o nariz, os músculos e os ouvidos ao cérebro (nervos cranianos)

  • Os nervos que conectam a medula espinhal ao resto do corpo: 31 pares de nervos espinhais

  • Nervos que percorrem o corpo

Alguns nervos periféricos (nervos sensoriais) transportam informações sensoriais (sobre coisas como dor, temperatura, vibração, odores e sons) até a medula espinhal e, então, ao cérebro. Outros (nervos motores) enviam impulsos que controlam o movimento muscular do cérebro através da medula espinhal para os músculos. Outros ainda (chamados nervos autônomos) enviam informações sobre o corpo e o ambiente externo para os órgãos internos, tais como vasos sanguíneos, estômago, intestino, fígado, rins e bexiga. Em resposta a esta informação, os nervos autônomos estimulam ou inibem os órgãos que abastecem. Esses nervos funcionam automaticamente (de forma autônoma), sem esforço consciente da pessoa.

Se os nervos motores forem lesionados, os músculos podem ficar fracos ou paralisados. Se os nervos sensitivos forem danificados, sensações anormais podem ser sentidas, ou as sensações, a visão ou outro sentido pode ser comprometido ou perdido. Se os nervos autônomos forem danificados, o órgão que eles regulam pode apresentar mau funcionamento. Por exemplo, a pressão arterial pode não aumentar como normalmente acontece quando uma pessoa fica em pé, e a pessoa pode sentir tontura.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Anatomia da coluna cervical
Vídeo
Anatomia da coluna cervical
A coluna cervical consiste nos primeiros sete ossos da coluna vertebral e se estende da base...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Impulso nervoso
Modelo 3D
Impulso nervoso

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS