Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Neuralgia glossofaríngea

Por

Michael Rubin

, MDCM, Weill Cornell Medical College

Última revisão/alteração completa mai 2019| Última modificação do conteúdo mai 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A neuralgia glossofaríngea consiste de ataques recorrentes de dor intensa na parte posterior da garganta, na área próxima às amígdalas, parte posterior da língua, parte do olho e/ou área embaixo da parte posterior da mandíbula. A dor acontece por disfunção do 9º nervo craniano (nervo glossofaríngeo). O nervo glossofaríngeo ajuda a mover os músculos da garganta e conduz informações da garganta, das amígdalas e da língua para o cérebro.

  • Geralmente, a causa é desconhecida, mas, às vezes, é uma artéria mal posicionada que exerce pressão sobre (comprime) o nervo glossofaríngeo.

  • As pessoas têm breves ataques de dor torturante, afetando um lado da língua ou garganta e, às vezes, um ouvido.

  • Os médicos fazem o diagnóstico da doença com base na aparência da doença e se a aplicação de uma anestesia local na parte posterior da garganta elimina a dor.

  • Certos medicamentos anticonvulsivantes ou antidepressivos, baclofeno ou um anestésico local podem aliviar a dor, mas, às vezes, é preciso fazer a cirurgia.

A neuralgia glossofaríngea, um quadro raro, costuma iniciar-se após os 40 anos de idade e é mais frequente nos homens.

Causas

Muitas vezes, a causa da neuralgia glossofaríngea é desconhecida.

Mas algumas vezes a neuralgia glossofaríngea ocorre quando

  • Uma artéria mal posicionada comprime o nervo glossofaríngeo perto de onde o nervo sai do tronco cerebral.

  • O osso alongado na base do crânio (processo estiloide) tem uma forma anormalmente longa e comprime o nervo.

Raramente, a causa é um tumor no cérebro ou no pescoço, um abscesso, uma dilatação (aneurisma) em uma artéria no pescoço (artéria carótida) ou esclerose múltipla.

Sintomas

Na neuralgia glossofaríngea, os ataques são breves e intermitentes, mas causam dor torturante. Os ataques podem ser desencadeados por uma ação específica, como mastigar, engolir, bocejar, tossir ou espirrar. De forma geral, a dor começa na parte posterior da língua ou da garganta, ou na área próxima às amígdalas. Às vezes, a dor se espalha ao ouvido ou à área posterior da mandíbula. A dor pode durar desde vários segundos até alguns minutos e, normalmente, afeta apenas um lado da garganta e da língua.

Diagnóstico

  • Sintomas

  • Um teste usando um aplicador com um pouco de algodão na extremidade e um anestésico

  • Imagem por ressonância magnética

  • Algumas vezes, tomografia computadorizada

A neuralgia glossofaríngea diferencia-se da neuralgia do trigêmeo (que causa dor semelhante) pela localização da dor e pelos resultados de um teste específico. Para executar esse teste, o médico toca na parte posterior da garganta com um aplicador com um pouco de algodão na extremidade. Se doer, o médico aplica uma anestesia local na parte posterior da garganta. Se a anestesia eliminar a dor, é provável ser neuralgia glossofaríngea.

Imagem por ressonância magnética (RM) é realizada para verificação de tumores. Tomografia computadorizada (TC) pode ser realizada para determinar se o processo estiloide é anormalmente longo.

Tratamento

  • Medicamentos anticonvulsivantes

  • Um anestésico local

  • Algumas vezes, cirurgia

Os mesmos medicamentos usados para tratar a neuralgia do trigêmeo — medicamentos anticonvulsivantes (carbamazepina, oxcarbazepina, gabapentina ou fenitoína), baclofeno e antidepressivos tricíclicos podem ajudar.

Quando esses medicamentos não são eficazes, a aplicação de um anestésico local (como lidocaína) na parte posterior da garganta tende a proporcionar alívio temporário (e também a confirmar o diagnóstico).

Entretanto, para alívio permanente, talvez seja necessária a cirurgia. O nervo glossofaríngeo é separado da artéria que o está comprimindo colocando-se uma pequena esponja entre eles.

Retirar a pressão de um nervo

Quando a dor é provocada por uma artéria mal posicionada, que comprime um nervo craniano, pode-se aliviar a dor através de uma cirurgia denominada descompressão vascular.

O procedimento para o nervo glossofaríngeo em pessoas com neuralgia glossofaríngea é semelhante ao realizado para neuralgia do trigêmeo (descrito abaixo).

Se o nervo trigêmeo estiver comprimido, raspa-se uma área na região posterior da cabeça e faz-se uma incisão. O cirurgião faz um pequeno orifício no crânio e levanta o revestimento do cérebro para expor o nervo. Em seguida, separa a artéria do nervo e coloca uma pequena esponja entre eles. É necessária anestesia geral, mas o risco de reações adversas é baixo. Geralmente, a descompressão vascular alivia a dor.

Retirar a pressão de um nervo
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Esclerose múltipla
Vídeo
Esclerose múltipla
O sistema nervoso central é formado por células nervosas, ou neurônios, no cérebro e na medula...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Gânglios basais: Vista frontal
Modelo 3D
Gânglios basais: Vista frontal

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS