honeypot link

Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Uso de cigarro eletrônico (vaping)

Por

Gerald F. O’Malley

, DO, Grand Strand Regional Medical Center;


Rika O’Malley

, MD, Albert Einstein Medical Center

Última revisão/alteração completa jun 2020| Última modificação do conteúdo jun 2020
Clique aqui para a versão para profissionais

O uso do cigarro eletrônico consiste em inalar vapor (líquido transformado em vapor) produzido por um dispositivo alimentado por pilhas. O vapor pode conter nicotina, tetraidrocanabinol (THC) e óleos de canabinoide (CBD), além de outras substâncias, aromatizantes e aditivos. Embora os ingredientes líquidos sejam transformados em vapor por aquecimento, não ocorre, de fato, a combustão; a “fumaça” que aparece é vapor d’água.

Ingredientes

O princípio ativo dos cigarros eletrônicos (vape) é a nicotina líquida; nenhum outro produto derivado do tabaco está presente. Inicialmente, os cigarros eletrônicos e vaporizadores foram comercializados como um dispositivo para ajudar as pessoas a pararem de fumar tabaco, mas os usuários de cigarros eletrônicos continuam a ser dependentes de nicotina. O uso dos cigarros eletrônicos como dispositivos de cessação do tabagismo não recebeu aprovação da Agência de Administração de Alimentos e Medicamentos dos EUA (Food and Drug Administration, FDA). 

Algumas pessoas usam os vaporizadores para inalar ingredientes ativos além da nicotina, incluindo o princípio ativo da maconha (THC), óleos de haxixe, anfetaminas e canabinoides sintéticos.

Além da água e do ingrediente ativo, os líquidos para cigarro eletrônico fabricados comercialmente, em geral, contêm propilenoglicol ou líquidos à base de glicerina vegetal, juntamente com aromatizantes e outras substâncias químicas, incluindo pequenas quantidades de metais. Os líquidos para cigarro eletrônico fabricados ilegalmente provavelmente contêm outros princípios inativos, alguns dos quais, como o acetato de vitamina E, possivelmente estão envolvidos nas lesões pulmonares secundárias ao uso de cigarros eletrônicos.

Complicações do uso do cigarro eletrônico

As possíveis complicações do uso do cigarro eletrônico (vaping) incluem

  • O uso de nicotina por não fumantes, dando origem à dependência de nicotina

  • Lesão pulmonar grave

Uma das preocupações é que os não fumantes, especialmente os adolescentes, que inalam a nicotina, fiquem viciados.

Algumas substâncias no vapor parecem dar origem a danos pulmonares graves e, às vezes, à morte. Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (Centers for Disease Control and Prevention, CDC), a FDA e outros parceiros de saúde clínica e pública estão investigando um surto nacional de lesão pulmonar associada ao uso de produtos de cigarro eletrônico ou vaporizador (consulte CDC: Outbreak of Lung Injury Associated with the Use of E-Cigarette, or Vaping, Products).

Tanto os produtos contendo THC como aqueles contendo acetato de vitamina E estão ligados a casos de lesão pulmonar associada ao uso de produtos de cigarro eletrônico ou vaporizador. Os CDC e a FDA recomendam que as pessoas não usem cigarros eletrônicos ou produtos contendo THC, em especial aqueles oriundos de fontes informais como amigos, pessoas da família ou obtidos por meio de tráfico, tanto pessoalmente como pela internet. O acetato de vitamina E não deve ser adicionado a nenhum produto de cigarro eletrônico ou vaporizador.

Mais informações

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS