honeypot link

Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Testes para drogas

Por

Gerald F. O’Malley

, DO, Grand Strand Regional Medical Center;


Rika O’Malley

, MD, Albert Einstein Medical Center

Última modificação do conteúdo mar 2018
Clique aqui para acessar Educação para o paciente

São realizados, sobretudo, para rastrear pessoas sistemática ou aleatoriamente para evidências de uso de uma ou mais substâncias com potencial de abuso. O teste deve ser feito para:

  • Certos grupos de pessoas, comumente incluindo estudantes, atletas e prisioneiros

  • Pessoas que se candidatam a certos tipos de trabalhos ou que já o exercem (p. ex., pilotos, motoristas de caminhões comerciais)

  • Pessoas que se envolveram em acidentes com veículos a motor ou embarcações ou acidentes de trabalho

  • Pessoas que tentaram suicídio por meios não claros

  • Pessoas em programas de tratamento ordenados pela justiça ou em período comprobatório ou liberdade condicional que exijam abstinência (para monitorar a adesão)

  • Pessoas em um programa de tratamento para abuso de substâncias (como uma característica padrão para obter evidências objetivas sobre o uso de substâncias e, assim, melhorar o tratamento)

  • Pessoas que devem participar de um programa de testes para drogas como parte da custódia ou de direitos parentais

  • Membros das forças armadas

Notificação ou consentimento pode ser exigência antes do teste, dependendo da jurisdição ou das circunstâncias. A mera documentação do uso pode ser suficiente para propósitos legais; porém, o teste não pode determinar a frequência e a intensidade do uso de substância e, portanto, não pode distinguir entre usuários casuais e aqueles com problemas mais sérios. Adicionalmente, os testes para drogas visam apenas ao número limitado de substâncias e, por conseguinte, não identificam muitas outras. O médico deve usar outra medida (p. ex., história, questionários) para identificar o grau em que o uso de substâncias afetou a vida do paciente.

As substâncias mais comumente testadas são

Testes para benzodiazepínicos e barbitúricos também podem ser feitos. Urina, sangue, ar exalado, saliva, suor ou amostras de cabelo podem ser utilizados. Os testes de urina são os mais comuns, pois não são invasivos, são rápidos e capazes de detectar qualitativamente ampla variedade de drogas. A janela de detecção depende da frequência e da quantidade de droga utilizada, mas é de cerca de 1 a 4 dias para a maioria dos drogas. Como os metabólitos canabinoides persistem, os testes de urina para maconha podem permanecer positivos por longos períodos após a interrupção do uso. Testes sanguíneos podem ser usados para quantificar os níveis de certas drogas, mas são menos comumente realizados, pois são invasivos e a janela de detecção para muitos drogas é muito curta, quase sempre, de apenas algumas horas. Análise do cabelo não está tão amplamente disponível, porém fornece a janela de detecção mais longa, 100 dias para alguns drogas.

A validade depende do tipo de teste realizado. Testes de rastreio são, em geral, imunoensaios rápidos qualitativos. Esses testes de rastreio estão associados a alguns resultados falso-positivos e falso-negativos e não detectam os opiáceos meperidina e fentanila. Além disso, LSD, gama-hidroxibutirato (GHB), mescalina e hidrocarbonetos inalados não são detectados em triagens prontamente disponíveis. Testes confirmatórios, que podem exigir várias horas usam, normalmente, cromatografia gasosa ou espectroscopia de massa.

Resultados falsos

Diversos fatores podem produzir resultados falso-negativos, em particular em testes de urina. Os pacientes podem submeter amostras fornecidas por outras pessoas (presumivelmente sem drogas). Essa possibilidade pode ser eliminada pela observação direta da coleta da amostra e lacrando-se as amostras imediatamente com lacres que evidenciem adulterações. Algumas pessoas tentam burlar o teste de urina bebendo grandes quantidades de líquidos ou tomando diuréticos antes do teste; entretanto, as amostras que parecerem muito claras podem ser rejeitadas se a densidade específica da amostra for muito baixa.

Falso-positivos podem resultar da ingestão de drogas terapêuticas prescritas e de venda livre e do consumo de certos alimentos. Sementes de papoula podem produzir resultados falso-positivos para opioides. Pseudoefedrina, antidepressivos tricíclicos e quetiapina podem produzir resultados falso-positivos para anfetaminas e ibuprofeno pode produzir resultados falso-positivos para maconha. No teste para cocaína, que detecta a benzoilecgonina, o seu metabólito primário, outras substâncias não causam resultado falso-positivos.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS