Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Carregando

Esteroides anabolizantes

Por

Gerald F. O’Malley

, DO, Grand Strand Regional Medical Center;


Rika O’Malley

, MD, Albert Einstein Medical Center

Última modificação do conteúdo mar 2018
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
Recursos do assunto

São utilizados, muitas vezes, para melhorar desempenho físico e promover crescimento muscular. Quando usados de forma inapropriada, cronicamente, em doses altas e sem supervisão médica, eles podem provocar comportamento errático e irracional e grande variedade de efeitos físicos adversos.

Esteroides anabolizantes incluem testosterona e quaisquer drogas química e farmacologicamente relacionadas à testosterona que promovem o crescimento muscular; diversas drogas estão disponíveis. Os esteroides anabolizantes são usados clinicamente para tratar níveis baixos de testosterona no hipogonadismo masculino. Adicionalmente, como os esteroides anabolizantes são anticatabólicos e aumentam a utilização de proteínas, são, algumas vezes, administrados a pacientes queimados, restritos ao leito ou a outros pacientes debilitados para evitar a perda muscular.

Alguns médicos os prescrevem anabólicos esteroides para pacientes com debilidade relacionada à aids ou com câncer. Entretanto, existem poucos dados para recomendar essa terapia e pouca orientação sobre como andrógenos suplementares podem afetar as doenças subjacentes. A testosterona tem a reputação de beneficiar a cicatrização de feridas e a lesão muscular, embora poucos dados embasem essas afirmações.

Os esteroides anabolizantes são utilizados ilicitamente para aumentar a massa muscular magra e a força; treinamento resistido e determinada dieta podem elevar esses efeitos. Não existem evidências diretas de que os esteroides anabolizantes aumentem a resistência ou a velocidade, mas evidências anedóticas substanciais sugerem que atletas que os utilizam podem realizar treinos de alta intensidade com mais frequência. A hipertrofia muscular é inequívoca.

As estimativas da incidência de abuso de esteroides anabolizantes variam de 0,5 a 5% da população, mas subpopulações variam significativamente (p. ex., taxas maiores em fisioculturistas e atletas competitivos). Nos EUA, a taxa de uso relatada é de 6 a 11% em homens com idade para estar no ensino médio, incluindo número inesperado de não atletas e cerca de 2,5% entre mulheres da mesma faixa etária.

Fisiopatologia

Os esteroides anabolizantes têm efeitos androgênicos (p. ex., mudanças em pelos ou na libido, agressividade) e anabolizantes (p. ex., aumento na utilização de proteínas, aumento na massa muscular). Os efeitos androgênicos não podem ser separados dos anabolizantes, mas alguns esteroides anabolizantes foram sintetizados para minimizar os efeitos androgênicos.

A testosterona é rapidamente degradada pelo fígado; a testosterona oral é inativada muito rápido para ser efetiva e a testosterona injetável deve ser modificada (p. ex., por esterificação) para retardar absorção e degradação. Muitas vezes, análogos modificados por 17-alfa-alquilação são eficazes por via oral, mas podem ter mais efeitos colaterais. Preparações transdérmicas também estão disponíveis.

Efeitos crônicos

Os efeitos colaterais variam significativamente com a dose e a droga. Em doses de reposição fisiológica ocorrem poucos efeitos colaterais (p. ex., metiltestosterona, 10 a 50 mg/dia ou seus equivalentes). Atletas podem utilizar doses 10 a 50 vezes superiores a essa faixa. Em doses altas, alguns efeitos são claros, enquanto outros são duvidosos ( Efeitos adversos dos esteroides anabolizantes). Existem incertezas, pois muitos estudos incluem abusadores que podem não relatar a dose de maneira precisa e que utilizam drogas do mercado negro, muitas das quais são falsificadas e contêm (apesar do rótulo) doses e substâncias variáveis.

Tabela
icon

Efeitos adversos dos esteroides anabolizantes

Demonstrados claramente

Eritrocitose

Perfil de lipídios anormal (diminuição de HDL, aumento de LDL)

Anormalidades hepáticas: peliose do fígado, adenoma

Transtornos de humor (com doses altas)

Efeitos androgênicos: acne, calvície, virilização e hirsutismo em mulheres

Supressão gonádica (diminuição da contagem de espermatozoides, atrofia testicular)

Ginecomastia

Fechamento prematuro de epífises

Duvidosa

Hipertensão/HVE

Piora de hipertrofia prostática ou de carcinoma preexistente

Carcinoma de fígado

Pouco demonstrados*

Aumento do risco de morte súbita em atletas

Transtorno do humor significativo com doses baixas

*Predominantemente com análogos 17-alfa-alquilados.

HDL = lipoproteína de alta densidade; LDL = lipoproteína de baixa densidade; LVH = hipertrofia ventricular esquerda.

Atletas podem tomar esteroides por certo período, parar e retomar o uso (promovendo um ciclo) várias vezes ao ano. Acredita-se que a interrupção de forma intermitente das drogas permite que os níveis endógenos de testosterona, contagem de espermatozoides e eixo hipotálamo-hipófise-gônadas voltem ao normal. Evidência anedótica sugere que promover tal ciclo pode diminuir os efeitos nocivos e a necessidade de aumentar as doses de drogas para obter o efeito desejado.

Atletas usam frequentemente muitas drogas de maneira simultânea (uma prática chamada de stacking) e vias alternativas de administração (via oral, IM ou transdérmica). Aumentar a dose em um ciclo (pirâmide) pode resultar em doses de 5 a 100 vezes a dose considerada fisiológica. Empilhamento e pirâmide têm por objetivo elevar a ligação com os receptores e minimizar os efeitos colaterais, mas esses benefícios não são comprovados.

Sinais e sintomas

O sinal mais característico é um rápido aumento na massa muscular. Velocidade e extensão do aumento estão diretamente relacionadas às doses tomadas. Pacientes que tomam doses fisiológicas terão crescimento lento e, muitas vezes, imperceptível; aqueles que tomam megadoses podem elevar o peso corporal magro em vários quilos por mês. O aumento nos níveis de energia e na libido (em homens) ocorre, mas são mais difíceis de identificar.

Os efeitos psicológicos (geralmente apenas com doses muito altas) são quase sempre percebidos por familiares:

  • Mudanças de humor erráticas e intensas

  • Comportamento irracional

  • Aumento da agressividade (“fúria dos anabolizantes”)

  • Irritabilidade

  • Aumento da libido

  • Depressão

Aumento de acnes é comum em ambos os sexos; a libido pode elevar ou, menos comumente, diminuir; a agressividade e o apetite podem aumentar. Ginecomastia, atrofia testicular e redução da fertilidade podem ocorrer em homens. Efeitos virilizantes (p. ex., alopecia, aumento do clitóris, hirsutismo, voz engrossada) são comuns em mulheres. Também, o tamanho das mamas pode diminuir; a mucosa vaginal pode atrofiar; e a menstruação pode mudar ou parar. A virilização e a ginecomastia podem ser irreversíveis.

Diagnóstico

  • Exame de urina

O rastreio na urina geralmente identifica usuários de esteroides anabolizantes. Metabólitos de esteroides anabolizantes podem ser detectados na urina em até 6 meses (ou mesmo mais tempo para alguns tipos de esteroides anabolizantes) depois que a droga é interrompida.

A testosterona utilizada exogenamente é indiferenciável da testosterona endógena. Entretanto, se altos níveis de testosterona são detectados, a razão entre testosterona e epitestosterona (um esteroide endógeno que quimicamente é quase idêntico à testosterona) é medida. Em geral, a razão é < 6:1; se a testosterona endógena estiver sendo utilizada, a razão é maior.

Tratamento

  • Interrupção do uso

O principal tratamento é a interrupção do uso. Embora não ocorra dependência física, dependência psicológica, particularmente em fisiculturistas competitivos, pode existir. A ginecomastia pode exigir redução cirúrgica.

Prevenção

Médicos que tratam de adolescentes e adultos jovens devem ficar alertas para os sinais de abuso de esteroides e ensinar aos pacientes sobre os riscos. A educação sobre os esteroides anabolizantes deve começar no quinto ano do ensino fundamental. O uso de programas que ensinam maneiras alternativas e saudáveis de aumentar o tamanho dos músculos e melhorar o desempenho por meio de boa nutrição e técnicas de treinamento com peso pode ajudar. Apresentar tanto os riscos como os benefícios do uso de esteroides anabolizantes parece ser uma forma mais eficaz de instruir os adolescentes sobre os efeitos negativos do uso ilícito de esteroides.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS