honeypot link

Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Hipernatremia neonatal

Por

Kevin C. Dysart

, MD, Perelman School of Medicine at the University of Pennsylvania

Última modificação do conteúdo dez 2018
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
Recursos do assunto

Hipernatremia refere-se à concentração de sódio sérico > 150 mEq/L (> 150 mmol/L), geralmente causada por desidratação. Os sinais incluem letargia e convulsões. O tratamento consiste na hidratação cautelosa com soro fisiológico IV.

Etiologia

A hipernatremia acontece quando

  • A perda de água excede a do sódio (desidratação hipernatrêmica)

  • A ingestão de sódio excede a perda de sódio (intoxicação salina)

  • Ambas

A perda de água acima da ingestão de sódio é mais comumente provocada por diarreia, vômitos ou febre alta. Também pode ser causada por carência alimentar nos primeiros dias de vida (p. ex., no período de adaptação ao aleitamento materno) e ainda nos recém-nascidos com muito baixo peso, nascidos com 24 a 28 semanas. Em lactentes com peso muito baixo, a perda hídrica insensível através da camada córnea imatura permeável à água está associada à função renal imatura e à capacidade reduzida de concentração urinária para levar à perda de água livre. A perda insensível de água através da pele também é significativamente aumentada pelo aquecimento e por luzes fototerápicas; recém-nascidos com peso muito baixo expostos podem necessitar de até 250 mL/kg/dia de água IV nos primeiros dias e então a epiderme se desenvolve e a perda de água insensível diminui. Uma causa rara é o diabetes insípido central ou o nefrogênico. Lactentes com hipernatremia e desidratação são frequentemente mais desidratados do que aparenta o exame físico, porque o aumento da osmolalidade ajuda a manter o espaço líquido extracelular (e, portanto, o volume de sangue circulante).

A sobrecarga de solutos resulta, mais comumente, do acréscimo de muito sal aos soros caseiros ou da administração de soluções hiperosmolares. O plasma fresco congelado e a albumina humana contêm sódio e podem contribuir para a hipernatremia quando administrados repetidamente aos prematuros.

Sinais e sintomas

Os sinais e sintomas da hipernatremia incluem letargia, inquietação, hiper-reflexia, espasticidade, hipertermia e convulsões. A textura da pele pode ser frouxa em vez de espessa.

Hemorragia intracraniana, trombose do seio venoso e necrose tubular renal aguda são complicações importantes da hipernatremia.

Diagnóstico

  • Concentração de sódio no soro

A suspeita diagnóstica da hipernatremia é fornecida pelos sinais e sintomas e confirmada pela dosagem de sódio no soro.

Os achados de laboratório adicionais podem incluir aumento do nitrogênio ureico no sangue, modesto aumento da glicemia e diminuição do cálcio sérico se o potássio sérico estiver baixo.

Tratamento

  • Solução salina a 0,9% IV e, em seguida, soro fisiológico hipotônica (0,3% ou 0,45%)

Lactentes com desidratação grave devem primeiro restabelecer o volume de sangue circulante, geralmente com soro fisiológico a 0,9%, em alíquotas de 20 mL/kg IV. O tratamento é com glicose a 5%/0,3% a 0,45% de soro fisiológico IV em volumes iguais aos do deficit (ver também Tratamento da desidratação em crianças) calculado do líquido administrado durante 2 a 3 dias para evitar rápida queda da osmolalidade sérica, o que pode provocar a rápida entrada de água para o interior das células e potencialmente levar a edema cerebral. Ao mesmo tempo, é mantida a manutenção de líquidos. O objetivo do tratamento é diminuir o sódio sérico até cerca de 10 mEq/L/dia (10 mmol/L/dia). A correção muito rápida do sódio sérico pode ter consequências adversas significativas, incluindo edema cerebral. O peso corpóreo, os eletrólitos do soro e a densidade e o volume urinários devem ser monitorados regularmente para que a administração de líquidos seja ajustada apropriadamente. Restabelecida a diurese normal, o potássio é acrescentado para manter as necessidades ou repor as perdas urinárias.

A hipernatremia extrema (sódio > 200 mEq/L [> 200 mmol/L]) causada por intoxicação salina deve ser tratada com diálise peritoneal, especialmente se a intoxicação resultar em elevação muito rápida do sódio.

Prevenção

A prevenção da hipernatremia exige atenção para o volume e a composição da perda extraordinária dos líquidos e da solução utilizada para manter a homeostase. Para os recém-nascidos e lactentes incapazes de sinalizar sede e de recompor perdas voluntariamente, o risco de desidratação é maior. É necessária atenção particular toda vez que a composição alimentar envolver associações (p. ex., algumas formulações para lactentes e preparações concentradas para alimentação por sonda), especialmente quando o potencial para desencadear desidratação for alto, como durante episódios de diarreia, ingestão diminuída de líquidos, vômitos ou febre alta.

Pontos-chave

  • Hipernatremia geralmente decorre de desidratação (p. ex., causada por diarreia, vômitos, febre alta); sobrecarga de sódio é rara.

  • Sinais e sintomas incluem letargia, inquietação, hiperreflexia, espasticidade, hipertermia e convulsões.

  • Hemorragia intracraniana, trombose do seio venoso e necrose tubular renal aguda podem ocorrer.

  • Diagnosticar descobrindo a concentração sérica de sódio > 150 mEq/L (> 150 mmol/L).

  • Se a causa é desidratação, restaurar o volume de sangue circulante com soro fisiológico a 0,9% e então administrar glicose a 5%/0,3% à soro fisiológico a 0,45% IV em volumes iguais ao deficit hídrico calculado.

  • Reidratar ao longo de 2 a 3 dias para evitar uma queda muito rápida no sódio sérico.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS