Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

honeypot link
Algumas causas de perda auditiva adquirida

Algumas causas de perda auditiva adquirida

Causa*

Achados sugestivos

Abordagem diagnóstica†

Orelha externa (perda condutiva)

Visíveis à otoscopia

Otoscopia

Orelha média (perda condutiva)

Perda auditiva que pode flutuar

Eventualmente também tontura, dor ou plenitude aural

Quase sempre alteração na MT

Com frequência, história de otite média aguda ou outro evento causador

Otoscopia

Audiometria e timpanometria

Otorreia crônica

Perfuração geralmente visível

Tecido de granulação ou pólipo no canal

Colesteatoma, eventualmente

Otoscopia

TC ou RM para colesteatoma

Aparente pela história

Com frequência, perfuração visível da MT, sangue no canal atrás da MT (se intacta)

Otoscopia

História familiar

Idade de início aos 20 a 30 anos

Lentamente progressiva

Timpanograma

Perda unilateral

Muitas vezes, lesão visível durante a otoscopia

TC ou RM

Orelha interna (perda sensorial)

Doenças genéticas (p. ex., mutação na conexina 26, síndrome de Waardenburg, síndrome de Usher, síndrome de Pendred)

Às vezes, história familiar positiva (mas normalmente negativo)

Consanguinidade

Mutações da conexina 26 são responsáveis pela grande maioria dos casos de perda auditiva não sindrômica e devem ser pesquisadas inicialmente

Às vezes, mechas brancas no cabelo ou coloração diferente dos olhos sugere síndrome de Waardenburg

Perda de visão e audição pode sugerir síndrome de Usher

Exame genético

TC e/ou MR

Quase sempre aparente pela história

Avaliação clínica

> 55 anos em homens, > 65 anos em mulheres

Perda bilateral progressiva

Exame neurológico normal

Avaliação clínica

História de uso

Perda bilateral

Sintomas vestibulares variáveis

Insuficiência renal

Avaliação clínica

Exames de sangue para dosar os níveis dos medicamentos

História evidente de infecção

Sintomas que se iniciam durante ou logo após uma infecção

Avaliação clínica

Inflamação das articulações, exantema

Às vezes, alteração repentina na visão ou irritação nos olhos

Com frequência, doença autoimune conhecida

Exames sorológicos

Episódios de perda auditiva unilateral flutuante acompanhada por plenitude auricular, zumbido e vertigem

Ressonância magnética com gadolínio para descartar tumor

História de mudança abrupta na pressão (p. ex., mergulho, descida rápida em um avião) ou sopro no canal auditivo

Dor grave ou vertigem, eventualmente

Timpanometria e testes de função de equilíbrio

TC do osso temporal

Exploração cirúrgica se a vertigem persistir

Traumatismo craniano (com fratura da base do crânio ou concussão coclear)‡

História de lesão significante

Possivelmente sintomas vestibulares, fraqueza facial

Às vezes, sinais de hemotímpano, fístula liquórica, equimose em região mastoidea

TC ou RM

Neuropatia auditiva‡

Boa detecção sonora, mas compreensão ruim de palavras

Testes auditivos (ABR, emissões otoacústicas)

RM

Sistema nervoso central (perda neural)

Perda auditiva unilateral, frequentemente com zumbido

Alterações vestibulares

Às vezes, deficits de nervo facial ou trigêmeo

RM com gadolínio

Perda unilateral

Multifocal

Sintomas em surto e remissão

RM do encéfalo

Algumas vezes, punção lombar

* Cada grupo é listado em ordem aproximada de frequência.

† Todos os pacientes devem passar por otoscopia e realizar avaliação audiológica.

‡ Perda neurossensorial e condutora mista também pode estar presente.

MT = membrana timpânica.