Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

honeypot link
Características das drogas injetáveis não insulina anti-hiperglicêmicos

Características das drogas injetáveis não insulina anti-hiperglicêmicos

Nome genérico

Dosagem diária

Duração da ação

Comentários

Agonistas do receptor do peptídeo 1 semelhante ao glucagon-1 (GLP-1)

Albiglutide

30 ou 50 mg por via subcutânea 1 vez/semana

7 dias

Baixo risco de hipoglicemia; pode promover perda ponderal modesta

Aumenta o risco de pancreatite

Tumores de células C da tireoide (carcinoma medular) observado em roedores

A apresentação semanal pode causar menos efeitos adversos gastrintestinais. Quando administrada 1 ou 2 vezes/dia, a menor dose inicial pode minimizar as náuseas

A liraglutida também vem associada a uma caneta com insulina degludeca.

A lixisenatida também está disponível em uma caneta combinada com insulina glargina.

A semaglutida está associada a maior progressão da retinopatia diabética.

Dulaglutide

0,75 mg ou 1,5 mg por via subcutânea 1 vez/semana

7 dias

Exenatide

5 ou 10 mcg, por via subcutânea duas vezes ao dia, antes das refeições

4–6 horas

Exenatida, 1 vez/semana

0,25 mg por via subcutânea 1 vez/dia

7 dias

Liraglutide

1,2–1,8 mg, por via subcutânea, uma vez ao dia

24 h

Lixisenatida

10 mcg ou 20 mcg por via subcutânea uma vez ao dia

24 h

Semaglutida

0,25 mg, 0,5 mg ou 1 mg por via subcutânea 1 vez/semana

7 dias

Análogo de amilina

Pranlintide

Para diabetes mellitus tipo 1: 30–60 mcg, por via subcutânea, antes das refeições

Para diabetes mellitus tipo 2: 120 mcg, por via subcutânea, antes das refeições

2–4 horas

Para ser utilizado associado a insulina, mas injetado utilizando uma seringa separada

Pode ser necessário ajuste da dose de insulina para evitar hipoglicemia

Náuseas são comuns mas diminuem com o tempo

Pode promover perda ponderal modesta