Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Carregando

Injeções contraceptivas de progesterona

Por

Frances E. Casey

, MD, MPH,

  • Director of Family Planning Services and Assistant Professor
  • Virginia Commonwealth University Medical Center

Última modificação do conteúdo set 2018
Clique aqui para acessar Educação para o paciente

O acetato de medroxiprogesterona de depósito (DMPA) é uma formulação injetável do acetato de medroxiprogesterona de longa duração em uma suspensão cristalina. Outras injeções anticoncepcionais estão disponíveis no mundo todo.

Com o DMPA, as taxas de gestação no primeiro ano são 0,2% com o uso perfeito e cerca de 6% com o uso típico (atrasos entre as injeções).

O DMPA pode ser administrado como uma injeção IM (150 mg) ou por via subcutânea (104 mg) a cada 3 meses. O local da injeção não deve ser massageado porque fazer isso pode aumentar a taxa de absorção. Os níveis séricos hormonais contraceptivos eficazes são geralmente alcançados nas primeiras 24 h após a injeção e são mantidos durante pelo menos 14 semanas, embora os níveis possam permanecer eficazes por até 16 semanas. Se o intervalo entre as injeções for > 16 semanas, um teste de gestação é necessário para excluir gestação antes da próxima injeção. Pode-se iniciar o DMPA imediatamente (um protocolo de início rápido) se for administrado nos primeiros 5 a 7 dias do ciclo menstrual. Se ele não for iniciado durante esse período de tempo, um método contraceptivo alternativo deve ser utilizado concomitantemente, durante 7 dias. DMPA também pode ser administrado imediatamente após um aborto espontâneo ou induzido ou logo depois do parto, independentemente do estado do aleitamento materno.

Efeitos adversos

O efeito adverso mais comum do DMPA é sangramento vaginal irregular. No 3º mês após a primeira injeção de DMPA, cerca de 30% das mulheres têm amenorreia. Mais 30% têm sangramento de escape ou sangramento irregular (em geral leve) por cerca de > 11 dias/mês. Apesar dessas anomalias hemorrágicas, anemia costuma não ocorrer. Com o uso contínuo, o sangramento tende a diminuir. Após 2 anos, cerca de 70% dos usuários de DMPA têm amenorreia. Como o DMPA tem ação de longa duração, a ovulação pode ser postergada por até 18 meses depois da última injeção. Depois de ocorrer a ovulação, a fertilidade geralmente é rapidamente restaurada.

As mulheres caracteristicamente ganham 1,5 a 4 kg no primeiro ano de uso do DMPA, continuando a ganhar peso a partir de então. Como considera-se que alterações no apetite são responsáveis, e não no metabolismo, mulheres que desejam utilizar o DMPA são geralmente aconselhadas a limitar a ingestão calórica e aumentar o gasto energético.

A cefaleia é um motivo comum para interromper o uso de DMPA, mas a gravidade tende a diminuir com o tempo. A maioria das mulheres em uso de DMPA não tem cefaleias, e as cefaleias de tensão preexistentes e enxaquecas normalmente não pioram.

Pode ocorrer deterioração leve reversível da tolerância à glicose e do perfil lipídico.

Embora a densidade mineral óssea possa diminuir quando os níveis de estrogênio são baixos, não há evidências de aumento do risco de fratura, e cintilografia óssea não é recomendada para mulheres que usam DMPA. Adolescentes e mulheres jovens que usam DMPA, como aquelas que não usam, recomenda-se tomar 1.500 mg de cálcio e 400 unidades de vitamina D diariamente.

Benefícios

Ao contrário dos contraceptivos orais de combinação, o DMPA não aumenta o risco de hipertensão. Não se acredita que progestinas aumentem o risco de tromboembolismo; entretanto, algumas evidências sugerem que o uso de DMPA pode duplicar o risco de tromboembolismo. Mas essa associação não está bem estabelecida, e DMPA é atualmente considerado seguro para mulheres com contraindicações para o uso de estrogênio.

O DMPA não parece aumentar o risco de câncer de mama, de ovário ou cervical invasivo. O DMPA reduz o risco de

Algumas evidências sugerem que o DMPA pode reduzir a incidência de crise dolorida em mulheres com doença falciforme.

O DMPA pode ser uma opção anticoncepcional adequada para mulheres com convulsões.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS