Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Doença de Fabry

(Doença de Fabry; Angioceratoma corpóreo difuso)

Por

Matt Demczko

, MD, Sidney Kimmel Medical College of Thomas Jefferson University

Última revisão/alteração completa fev 2018| Última modificação do conteúdo fev 2018
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A doença de Fabry é um tipo de distúrbio de depósito lisossômico denominado esfingolipidose. Ela é causada por um acúmulo de glicolipídeos nos tecidos. Essa doença causa o surgimento de nódulos na pele, dores nas extremidades, visão ruim, episódios recorrentes de febre, insuficiência renal e doença cardíaca. A doença de Fabry ocorre quando os pais transmitem aos filhos um gene defeituoso que causa essa doença.

  • A doença de Fabry ocorre quando o corpo não tem as enzimas necessárias para decompor um glicolipídio.

  • Os sintomas incluem nódulos na pele, problemas oculares, insuficiência renal e doença cardíaca.

  • O diagnóstico toma por base os resultados de exames preventivos pré-natais, de exames preventivos no recém-nascido e de outros exames de sangue.

  • A maioria das crianças que tem a doença de Fabry vive até a idade adulta.

  • Tratamento consiste de terapia de reposição enzimática.

As esfingolipidoses ocorrem quando a pessoa não tem as enzimas necessárias para decompor (metabolizar) os esfingolipídeos, que são compostos que protegem a superfície celular e desempenham determinadas funções nas células. Existem vários tipos de esfingolipidoses além da doença de Fabry:

Na doença de Fabry, um glicolipídio, que é um produto do metabolismo das gorduras, se acumula nos tecidos. A enzima necessária para decompor o glicolipídio, denominada alfa-galactosidase A, não funciona corretamente. Uma vez que o gene defeituoso desse raro distúrbio hereditário é transportado no cromossomo X, a doença ocorre em sua forma plena somente em meninos (consulte Herança ligada ao X). Uma vez que as meninas têm dois cromossomos X, as meninas afetadas podem ter sintomas, mas não manifestar a doença de Fabry em sua forma plena.

O acúmulo de glicolipídeos causa a formação de nódulos de pele (angioceratomas) não cancerosos (benignos) na parte inferior do tronco. As córneas tornam-se opacas, o que resulta em visão ruim. É possível que ocorra uma dor em queimação nos braços e nas pernas e a criança pode ter episódios de febre. A criança com doença de Fabry acaba desenvolvendo insuficiência renal e doenças cardíacas, ainda que, na maioria das vezes, ela chegue à idade adulta. A insuficiência renal pode provocar hipertensão arterial, que pode causar acidente vascular cerebral.

Diagnóstico

  • Exames preventivos pré-natais

  • Exames preventivos no recém-nascido

  • Outros exames de sangue

Antes do nascimento, a doença de Fabry pode ser diagnosticada no feto mediante amostragem de vilosidades coriônicas ou amniocentese, que são exames preventivos pré-natais.

Depois do nascimento, a doença de Fabry pode ser diagnosticada, em alguns estados dos EUA, mediante exames preventivos de rotina no recém-nascido. O médico mede os níveis de alfa-galactosidase A no sangue ou nos glóbulos brancos.

Tratamento

  • Terapia de reposição enzimática

  • Às vezes, transplante renal

A doença de Fabry é tratada com terapia de reposição enzimática. O tratamento também consiste em tomar analgésicos para ajudar a aliviar a dor e a febre ou anticonvulsivantes. A pessoa com insuficiência renal pode precisar de um transplante de rim.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Síndrome de aspiração de mecônio (SAM)
Vídeo
Síndrome de aspiração de mecônio (SAM)
Durante a gravidez, o trato intestinal do feto é revestido de material fecal verde escuro...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Como a insulina funciona
Modelo 3D
Como a insulina funciona

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS