Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Hipotireoidismo no recém-nascido

Por

Andrew Calabria

, MD, Perelman School of Medicine at The University of Pennsylvania

Última revisão/alteração completa fev 2019| Última modificação do conteúdo fev 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais

O hipotireoidismo é uma redução na produção do hormônio da tireoide.

  • O hipotireoidismo no recém-nascido pode ocorrer se houver um problema estrutural na glândula tireoide.

  • Os sintomas podem incluir atraso no crescimento e no desenvolvimento com o passar do tempo.

  • O diagnóstico se baseia em exames preventivos, provas da função da tireoide e exames por imagem no recém-nascido.

  • O tratamento inclui a administração de terapia de reposição do hormônio da tireoide.

A glândula tireoide secreta o hormônio da tireoide. O hormônio da tireoide controla a velocidade do metabolismo do organismo, incluindo a rapidez com que o coração bate e como o organismo regula a temperatura. Se a glândula tireoide não produzir uma quantidade suficiente de hormônio da tireoide, ocorre uma redução na velocidade dessas funções.

O hipotireoidismo que está presente no nascimento é chamado de hipotireoidismo congênito. O hipotireoidismo congênito ocorre em aproximadamente um em cada 2.000 a 3.000 nascimentos. A maioria dos casos ocorre espontaneamente, mas aproximadamente 10 a 20% são hereditários.

A causa mais comum de hipotireoidismo no recém-nascido é

  • Ausência total da glândula tireoide, glândula tireoide subdesenvolvida ou desenvolvimento no local errado

Em casos menos frequentes, a glândula tireoide está presente, mas não produz quantidades normais dos hormônios da tireoide. Em alguns países em desenvolvimento, o hipotireoidismo ocorre quando a mãe tem deficiência de iodo. Em casos raros, alguns antibióticos que a mãe toma ou medicamentos que causam o aumento da glândula tireoide ou medicamentos antitireoidianos que a mãe toma atravessam a placenta e causam hipotireoidismo temporário no recém-nascido. Em outra causa rara, ocorre uma formação anormal da hipófise e ela não consegue estimular a glândula tireoide a produzir o hormônio da tireoide.

Sintomas

Inicialmente, é possível que o recém-nascido não apresente nenhum sintoma de hipotireoidismo. Posteriormente, se a causa primária do hipotireoidismo não for identificada e o hipotireoidismo continuar sem ser diagnosticado e sem tratamento, ocorre um atraso no desenvolvimento do sistema nervoso central. O recém-nascido pode se tornar lento (letárgico) e apresentar pouco apetite, tom amarelado da pele (icterícia), baixo tônus muscular, constipação, fontanelas amplas, choro rouco, frequência cardíaca baixa e uma protrusão do conteúdo abdominal no umbigo (chamado hérnia umbilical). Caso o recém-nascido tenha uma glândula tireoide aumentada (bócio congênito), a glândula pode pressionar a traqueia e interferir com a respiração no nascimento. Em casos raros, o atraso no diagnóstico e tratamento do hipotireoidismo grave causa atraso no desenvolvimento, incapacidade intelectual e baixa estatura. O bebê pode acabar desenvolvendo pele fria, seca e manchada, características faciais grosseiras (por exemplo, ponte nasal ampla e achatada e inchaço do rosto), além de ficar com a boca ligeiramente entreaberta e a língua aumentada.

Diagnóstico

  • Exames preventivos no recém-nascido

  • Exames de função da tireoide

  • Exames de diagnóstico por imagem

Uma vez que o tratamento precoce consegue prevenir a deficiência intelectual, todos os recém-nascidos realizam exames de sangue preventivos de rotina no hospital após o nascimento para avaliar o funcionamento da tireoide. Nos recém-nascidos afetados, o exame de sangue mostra uma concentração elevada de hormônio estimulante da tireoide e em geral uma concentração baixa de hormônio da tireoide.

Se o resultado dos exames preventivos for positivo, são realizadas provas de função da tireoide, que são um tipo de exame de sangue.

Após o diagnóstico do hipotireoidismo no recém-nascido, o médico realiza exames de imagem para avaliar o tamanho e a localização da glândula tireoide. Esses exames incluem exames de imagem de medicina nuclear ou ultrassonografia.

Tratamento

  • Terapia de reposição de hormônio da tireoide

A maioria dos recém-nascidos com hipotireoidismo precisa tomar hormônio da tireoide por via oral pelo resto da vida. Contudo, algumas crianças conseguem parar o tratamento após completarem três anos de idade. O tratamento do hipotireoidismo é determinado por um médico especializado no tratamento de crianças com problemas do sistema endócrino (chamado de endocrinologista pediátrico).

Mesmo quando tratado rapidamente, o hipotireoidismo grave pode ainda causar problemas de desenvolvimento sutis e perda da audição. A perda da audição pode ser tão leve que, às vezes, ela não é detectada pelos exames preventivos no recém-nascido de rotina, mas mesmo assim, pode interferir com a aprendizagem da língua. Para conseguir detectar perda auditiva sutil, os bebês são testados de novo quando ficam mais velhos.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Asma
Vídeo
Asma
A asma, ou doença reativa das vias respiratórias, é uma doença crônica que resulta na restrição...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Como a insulina funciona
Modelo 3D
Como a insulina funciona

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS