Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Transtornos de ansiedade social em crianças e adolescentes

(Fobia social)

Por

Josephine Elia

, MD, Sidney Kimmel Medical College of Thomas Jefferson University

Última revisão/alteração completa mar 2019| Última modificação do conteúdo mar 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais

O transtorno de ansiedade social envolve um medo persistente de ser constrangido, ridicularizado ou humilhado em situações sociais.

  • Crianças e adolescentes com transtorno de ansiedade social normalmente evitam eventos sociais e outras situações que poderiam expô-los a humilhação ou constrangimento.

  • O médico diagnostica o transtorno de ansiedade social tomando por base os sintomas.

  • Terapia comportamental pode ajudar, mas pode ser necessário um medicamento para reduzir a ansiedade.

Às vezes, o transtorno de ansiedade social se desenvolve após um incidente constrangedor.

Sintomas

O transtorno de ansiedade social costuma ser notado inicialmente quando

  • A criança tem ataques de raiva, chora, fica agarrada, fica paralisada ou se retrai ou se recusa a conversar em situações sociais.

  • O adolescente se preocupa excessivamente antes de ir a um evento social ou se prepara em excesso antes de uma apresentação em sala de aula.

Eles podem se recusar a ir à escola ou a eventos sociais. A razão que eles dão é com frequência um sintoma físico, tal como dor de estômago ou dor de cabeça.

As crianças ficam aterrorizadas com a possibilidade de se sentir humilhadas na frente de outras crianças dando a resposta errada ou dizendo algo impróprio; elas ficam envergonhadas ou até mesmo vomitam. Quando o medo é excessivo, as crianças podem se recusar a conversar ao telefone ou sair de casa.

Diagnóstico

  • Sintomas

O diagnóstico do transtorno de ansiedade social toma por base os sintomas, como a criança chora, tem ataques de raiva, fica paralisada, fica agarrada e se recusa a conversar em situações sociais. Para que o transtorno possa ser diagnosticado, os sintomas devem durar seis meses ou mais. Além disso, as crianças devem se sentir ansiosas em todas as situações similares – por exemplo, antes de todas as apresentações em sala de aula, não apenas para certas matérias ou professores – e elas devem se sentir ansiosas quando estão interagindo com outras crianças, não apenas com adultos.

Tratamento

  • Terapia comportamental

A terapia comportamental é usada com mais frequência. Ela envolve não permitir que as crianças faltem à escola. A ausência faz com que elas relutem ainda mais em ir à escola.

Caso a terapia comportamental seja ineficaz ou a criança não participe dela, um medicamento que pode reduzir a ansiedade, como um inibidor seletivo de recaptação da serotonina (ISRS) pode ajudar. O medicamento pode reduzir a ansiedade o suficiente para permitir que as crianças participem da terapia comportamental.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Administração de insulina
Vídeo
Administração de insulina
O diabetes é um quadro clínico que se desenvolve devido a concentrações elevadas de glicose...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Fibrose cística: Espessamento do muco
Modelo 3D
Fibrose cística: Espessamento do muco

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS