Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Nódulos ovarianos não cancerosos

Por

Charlie C. Kilpatrick

, MD, MEd, Baylor College of Medicine

Última revisão/alteração completa mar 2021| Última modificação do conteúdo mar 2021
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

Nódulos ovarianos não cancerosos (benignos) incluem cistos (principalmente cistos funcionais) e tumores.

  • A maioria dos cistos e tumores não cancerosos não causa sintomas, mas alguns causam dor e sensação de peso na pelve.

  • É possível que o médico detecte nódulos durante um exame pélvico, e então utilize ultrassonografia para confirmar o diagnóstico.

  • Alguns cistos desaparecem sozinhos.

  • Cistos ou tumores podem ser removidos através de uma ou mais incisões pequenas ou mesmo uma incisão grande no abdômen e, às vezes, o ovário afetado também precisa ser removido.

Cistos ovarianos são bolsas repletas de líquido que se formam dentro ou sobre um ovário. Tais cistos são relativamente comuns. A maioria não é cancerosa (benigna) e desaparece sozinha. Cistos cancerosos costumam ocorrer em mulheres com mais de 40 anos de idade.

Cistos funcionais

Os cistos funcionais se formam a partir das cavidades repletas de líquido (folículos) nos ovários. Cada folículo contém um óvulo. Normalmente, durante cada ciclo menstrual, um folículo libera um óvulo e então desaparece depois que o óvulo é liberado. Contudo, se o óvulo não for liberado, o folículo pode continuar a aumentar, formando um cisto maior.

Aproximadamente um terço das mulheres que menstruam têm cistos. Cistos funcionais raramente surgem após a menopausa.

Há dois tipos de cistos funcionais:

  • Cistos foliculares: Esses cistos se formam conforme o óvulo está se desenvolvendo no folículo.

  • Cistos do corpo lúteo: Esses cistos se desenvolvem a partir da estrutura que se forma após a ruptura do folículo e liberação do óvulo. Essa estrutura é chamada de corpo lúteo. Os cistos do corpo lúteo podem sangrar, fazendo com que o ovário fique volumoso ou eles podem se romper. Se o cisto se romper, os líquidos escapam para os espaços no abdômen (cavidade abdominal) e podem causar dor intensa.

A maioria dos cistos funcionais tem menos de aproximadamente 1,5 centímetros de diâmetro. Alguns medem cinco centímetros ou mais.

Os cistos funcionais normalmente desaparecem sozinhos depois de alguns dias ou semanas.

Tumores benignos

Tumores de ovário não cancerosos (benignos) em geral crescem lentamente e é raro que se tornem cancerosos. Os mais comuns incluem:

  • Teratomas císticos benignos (cistos dermoides): Esses tumores normalmente se desenvolvem a partir de todas as três camadas de tecido no embrião (denominadas de célula germinativa). Todos os órgãos se formam a partir desses tecidos. Assim, teratomas podem conter tecidos de outras estruturas, como nervos, glândulas e pele.

  • Fibromas: Esses tumores são massas sólidas formadas por tecido conjuntivo (o tecido que une as estruturas). O crescimento dos fibromas é lento e eles costumam ter menos de sete centímetros de diâmetro. Normalmente ocorrem apenas em um lado.

  • Cistadenomas: Esses cistos repletos de líquidos se desenvolvem a partir da superfície do ovário e contêm algum tecido das glândulas nos ovários.

Sintomas

A maioria dos cistos funcionais e dos tumores ovarianos não cancerosos não causa sintomas. Ocasionalmente, há dor na área pélvica ou dor ocorre durante as relações sexuais.

Alguns cistos produzem hormônios que afetam os períodos menstruais. Assim, as menstruações podem ser irregulares ou mais intensas que o normal. É possível que ocorram manchas de sangue entre as menstruações. Em mulheres na pós-menopausa, tais cistos podem causar sangramento vaginal.

Se os cistos do corpo lúteo sangrarem, eles podem causar dor ou sensibilidade na área pélvica.

O acúmulo de fluido no abdômen (ascite Ascite A ascite consiste em um acúmulo de líquido (ascítico) que contém proteínas dentro do abdômen. Muitos distúrbios podem causar ascite, mas o mais comum é o aumento da pressão arterial nas veias... leia mais ) pode ocorrer na presença de fibromas ou câncer de ovário. A ascite pode causar uma sensação de pressão ou peso no abdômen.

Diagnóstico

  • Um exame pélvico

  • Ultrassonografia

Às vezes, o médico detecta cistos ou tumores durante um exame pélvico Exame pélvico Para cuidados ginecológicos, a mulher deve escolher um médico com quem possa discutir confortavelmente temas delicados, como sexo, métodos anticoncepcionais, gravidez e problemas relacionados... leia mais de rotina. Às vezes, a suspeita do médico toma por base os sintomas. Muitas vezes, eles são identificados quando um exame de diagnóstico por imagem (por exemplo, ultrassonografia) é realizado por outro motivo.

Caso os exames de imagem sugiram que o nódulo pode ser canceroso, o médico o remove e o examina ao microscópio. Um laparoscópio Laparoscopia Às vezes, os médicos recomendam exames preventivos, que são exames feitos para procurar distúrbios em pessoas assintomáticas. Se a mulher tiver sintomas relacionados ao aparelho reprodutor ... leia mais Laparoscopia inserido através de uma pequena incisão um pouco abaixo do umbigo pode ser utilizado para examinar os ovários e remover o nódulo.

O médico pode também realizar exames de sangue para verificar a presença de substâncias chamadas de marcadores de tumor, que podem aparecer no sangue ou aumentar quando alguns tipos de câncer estão presentes. Esses exames de sangue podem ajudar a confirmar ou descartar a hipótese de câncer.

Tratamento

  • Às vezes, cirurgia

Se os cistos ovarianos tiverem menos de aproximadamente cinco centímetros de diâmetro, eles normalmente desaparecem sem tratamento. A ultrassonografia é feita periodicamente para verificar.

Se um cisto tiver mais de cinco centímetros e não desaparecer, pode ser necessário removê-lo. Se o câncer não puder ser descartado, o ovário será removido. Se o cisto for canceroso, tanto os cistos como o ovário afetado e as trompas de Falópio são removidos.

Os tumores benignos, tais como fibromas e cistadenomas, exigem tratamento.

Se possível, o cisto ou tumor será removido por meio de um dos procedimentos a seguir:

  • Laparoscopia

  • Laparotomia

A laparoscopia exige a realização de uma ou mais incisões pequenas no abdômen. Ela é feita em um hospital e normalmente requer um anestésico geral. No entanto, a mulher talvez não precise passar a noite no hospital.

A laparotomia é parecida, mas exige a realização de uma incisão maior e uma internação de um dia para outro no hospital.

O procedimento que será usado depende do tamanho do nódulo e se outros órgãos foram afetados.

Caso tecnicamente possível, o objetivo do médico é preservar os ovários ao remover apenas o cisto (cistectomia).

A remoção do ovário afetado (ooforectomia) é necessária no caso de:

  • Fibromas ou outros tumores sólidos se o tumor não puder ser removido por cistectomia

  • Cistadenomas

  • Teratomas císticos maiores que 10 centímetros

  • Cistos que não podem ser cirurgicamente separados do ovário

  • A maioria dos cistos que ocorre em mulheres na pós-menopausa e que medem aproximadamente cinco centímetros ou mais

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS

Teste os seus conhecimentos

Vaginismo
Qual das opções a seguir pode piorar o vaginismo?
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
PRINCIPAIS