Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link
Leucemia linfocítica aguda
Leucemia linfocítica aguda
Leucemia linfocítica aguda

Dentro da área oca dos ossos, há um núcleo esponjoso chamado medula óssea. É aqui onde as células-tronco são produzidas. As células-tronco são células imaturas que podem se desenvolver em componentes do sangue: glóbulos vermelhos, que transportam oxigênio pelo corpo; glóbulos brancos ou linfócitos, que combatem infecções; e plaquetas, que ajudam o sangue a coagular.

A leucemia linfocítica aguda (LLA) é um câncer das células-tronco na medula óssea que produz linfócitos. O termo “agudo” significa que as células de câncer se multiplicam rapidamente, reduzindo a quantidade de células normais no sangue e na medula óssea. Além disso, à medida que o número de linfócitos doentes no sangue e na medula óssea aumenta, menos glóbulos vermelhos e plaquetas são produzidos. Se a medula óssea não for capaz de produzir quantidades suficientes de linfócitos sadios, o paciente não será capaz de combater infecções. As células leucêmicas podem viajar pela corrente sanguínea ou sofrer metástase para outros órgãos no corpo, onde começam a formar tumores adicionais.

Os sintomas comuns de LLA incluem febre persistente, fadiga, hemorragia, fácil formação de hematomas e linfonodos inchados.

A quimioterapia é a primeira linha de tratamento, com objetivo de destruir as células leucêmicas e possibilitar que células sanguíneas normais cresçam. Radioterapia, terapia biológica e transplante de medula óssea também podem ser utilizados, se a quimioterapia não obtiver sucesso. A LLA é o câncer mais comum em crianças pequenas. No entanto, praticamente 80% de todas as crianças com LLA podem ser curadas.