Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link
Algumas causas e características da visão embaçada

Algumas causas e características da visão embaçada

Causa

Características comuns*

Diagnóstico†

Opacidade de estruturas oculares normalmente transparentes

Sintomas que começam gradualmente

Perda da capacidade de distinguir entre claro e escuro (perda de contraste) e ofuscamento (ver halos e clarões em volta de luzes)

Em geral nas pessoas com fator de risco (como idosos ou pessoas em uso de corticosteroides)

Exame médico

Cicatrizes na córnea após lesão ou infecção

Quase sempre em pessoas que já tiveram lesão ou infecção

Exame médico

Doenças que afetam a retina

Quase sempre sintomas que começam gradualmente

Perda de visão central (o que uma pessoa vê diretamente) mais do que a visão periférica (o que é visto do canto do olho)

Algumas vezes um exame de imagem do olho

Infecção da retina (como a causada por citomegalovírus ou parasitas Toxoplasma)

Quase sempre em pessoas que tiveram infecção por HIV ou outra doença que debilita o sistema imunológico

Em geral dor ou vermelhidão no olho

Exames para verificar organismos suspeitos de causarem a infecção

Sintomas que começam gradualmente

Principalmente cegueira noturna

Exames específicos (como aferição de respostas da retina à luz em diversas condições), realizados por um oftalmologista

Retinopatia (dano à retina) associada a uma doença sistêmica como pressão alta (consulte retinopatia hipertensiva Retinopatia hipertensiva A retinopatia hipertensiva é uma lesão da retina (estrutura transparente e sensível à luz localizada na parte posterior do olho) que tem como causa a pressão alta. Quando a pressão arterial... leia mais ), lúpus eritematoso sistêmico (lúpus Lúpus eritematoso sistêmico (LES) O lúpus eritematoso sistêmico é uma doença inflamatória autoimune crônica do tecido conjuntivo, que pode envolver as articulações, rins, pele, membranas mucosas e paredes dos vasos sanguíneos... leia mais Lúpus eritematoso sistêmico (LES) ), diabetes Diabetes mellitus (DM) O diabetes mellitus é uma doença na qual o organismo não produz uma quantidade suficiente de insulina ou não responde normalmente à insulina, fazendo com que o nível de açúcar (glicose) no sangue... leia mais (consulte retinopatia diabética Retinopatia diabética A retinopatia diabética é uma lesão da retina (estrutura transparente e sensível à luz, localizada na parte posterior do olho) que tem como causa o diabetes. Os vasos sanguíneos na retina podem... leia mais Retinopatia diabética ), macroglobulinemia de Waldenström Macroglobulinemia A macroglobulinemia é um câncer de plasmócitos no qual um único clone de plasmócitos produz quantidades excessivas de um determinado tipo de anticorpo de grandes dimensões (IgM), designado macroglobulina... leia mais e mieloma múltiplo Mieloma múltiplo O mieloma múltiplo é um câncer de plasmócitos no qual plasmócitos anormais se multiplicam sem controle na medula óssea e, ocasionalmente, em outras partes do corpo. As pessoas com frequência... leia mais Mieloma múltiplo ou outras doenças que podem causar o espessamento do sangue (síndrome da hiperviscosidade)

Quase sempre em pessoas que tiveram tais doenças

Em geral outros sintomas além da perda de visão

Exames para verificar doenças suspeitas de causarem a retinopatia

Fatores de risco (por exemplo, retinopatia diabética, uveíte, descolamento da retina ou lesão ocular) Visão embaçada ou distorcida (por exemplo, linhas retas parecem onduladas)

A oftalmoscopia (usar um instrumento para examinar sem dor o interior do olho)

Perfuração macular

Visão embaçada inicialmente em visão reta

A oftalmoscopia (usar um instrumento para examinar sem dor o interior do olho)

A tomografia de coerência óptica (exame de imagem especializado do fundo do olho)

Fatores de risco (por exemplo, hipertensão, idade, glaucoma) Perda indolor da visão (geralmente súbita) Algumas vezes, visão embaçada

A oftalmoscopia (usar um instrumento para examinar sem dor o interior do olho)

Às vezes, angiografia com fluoresceína (usando um corante fluorescente para obter imagens do fundo do olho)

Às vezes, tomografia de coerência óptica (exame de imagem especializado do fundo do olho)

Doenças que afetam o nervo óptico ou suas ligações com o cérebro

Não ver degraus ou partes de palavras escritas ou impressas

Medida da pressão dentro do olho (tonometria) e exame dos ângulos entre as estruturas do olho como a córnea e a íris (gonioscopia), e exames do nervo óptico, realizados por um oftalmologista

Em geral dor leve que pode piorar quando se movimenta um olho (quase sempre) ou ambos os olhos

Perda da visão parcial ou completa

Sintomas que se tornam graves em horas ou dias

Não afeta as pálpebras nem a córnea

Com frequência, ressonância magnética (RM) com contraste

Doenças que afetam o foco

Erros de refração Doenças de refração leia mais (como miopia, hipermetropia e astigmatismo)

Nitidez da visão (acuidade visual) que varia conforme a distância dos objetos

Acuidade reduzida pode ser corrigida com o uso de óculos ou de um orifício estenopeico

Exames de refração por um optometrista ou oftalmologista

* As características incluem os sintomas e os resultados do exame médico. As características mencionadas são típicas, mas nem sempre estão presentes.

† Embora um exame médico seja sempre realizado, ele só é mencionado nesta coluna se o diagnóstico puder ser feito exclusivamente pelo exame médico, sem nenhum exame.

HIV = vírus da imunodeficiência humana; RM = ressonância magnética.