Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link
Substituindo uma válvula cardíaca
CVS_replacing_a_heart_valve_pt
Substituindo uma válvula cardíaca

    Uma válvula cardíaca danificada pode ser substituída por uma válvula mecânica feita de plástico e metal ou por uma válvula bioprostética feita de tecido de válvula cardíaca, geralmente de origem suína, colocada em um anel sintético. Existem muitos tipos de válvulas mecânicas. A válvula de St. Jude é a usada mais comumente.

    A escolha de uma válvula depende de muitos fatores, incluindo as características da válvula. A válvula mecânica dura mais do que uma válvula bioprostética, mas exige que anticoagulantes sejam tomados indefinidamente para evitar a formação de coágulos de sangue na válvula. A válvula bioprostética requer o uso de anticoagulantes apenas por um curto período. Então, a pessoa poder tomar anticoagulantes é um fator importante. Por exemplo, os anticoagulantes podem não ser apropriados para as mulheres em idade fértil, pois eles atravessam a placenta e podem afetar o feto. Também se leva em consideração

    Quando uma válvula aórtica está sendo substituída, geralmente é escolhida uma válvula mecânica para pessoas com menos de 55 anos e uma válvula bioprostética para pessoas com 55 anos ou mais.

    Quando uma válvula mitral está sendo substituída, geralmente é escolhida uma válvula mecânica para pessoas com menos de 70 anos e uma válvula bioprostética para pessoas com 70 anos ou mais.

    Em caso de substituição de válvula cardíaca, é dada anestesia geral. O coração deve estar parado para ser operado, assim, uma máquina coração-pulmão é usada para bombear o sangue através da circulação sanguínea. A válvula defeituosa é removida e a válvula substituta é costurada em seu lugar. As incisões são fechadas, a máquina coração-pulmão é desconectada e o coração é reiniciado. A operação leva de duas a cinco horas. Para algumas pessoas, uma válvula cardíaca pode ser substituída usando-se um procedimento menos invasivo (sem corte cortes pelo esterno), disponível em alguns centros médicos. A duração da hospitalização varia de pessoa para pessoa. A recuperação total pode levar de seis a oito semanas.