Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Eliminação de medicamentos

Por

Jennifer Le

, PharmD, MAS, BCPS-ID, FIDSA, FCCP, FCSHP, Skaggs School of Pharmacy and Pharmaceutical Sciences, University of California San Diego

Última revisão/alteração completa jun 2019| Última modificação do conteúdo jun 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais

A eliminação de medicamentos consiste na remoção de medicamentos do corpo.

Todos os medicamentos são eliminados do corpo em algum momento. Eles podem ser eliminados depois de serem modificados quimicamente (metabolizados) ou eliminados intactos. A maioria dos medicamentos, especialmente os medicamentos hidrossolúveis e seus metabólitos, é eliminada principalmente pelos rins na urina. Portanto, a dose do medicamento depende amplamente da função renal. Alguns medicamentos são eliminados por excreção na bile (um líquido amarelo esverdeado secretado pelo fígado e armazenado na vesícula biliar).

eliminação do medicamento na urina

Vários fatores, incluindo certas características dos medicamentos, afetam a capacidade de os rins os excretarem. Para que um medicamento ou um metabólito seja excretado extensivamente na urina, o mesmo deve ser hidrossolúvel e não estar muito ligado às proteínas na corrente sanguínea. A taxa na qual os rins excretam alguns medicamentos pode ser afetada pela acidez da urina, que sofre influência da dieta, do uso de medicamentos e da presença de problemas renais. No tratamento da intoxicação por alguns medicamentos e com o objetivo de aumentar a sua excreção, modifica-se a acidez da urina administrando-se antiácidos (como o bicarbonato de sódio) ou substâncias acidificantes (como cloreto de amônio) por via oral.

A capacidade de os rins excretarem medicamentos também depende do

  • Fluxo de urina

  • Fluxo sanguíneo pelos rins

  • A condição dos rins

A função renal pode ser afetada por muitas doenças (especialmente hipertensão arterial, diabetes e infecções renais recorrentes), pela exposição a concentrações elevadas de produtos químicos tóxicos e por alterações relacionadas à idade. O funcionamento dos rins vai diminuindo à medida que as pessoas envelhecem. Por exemplo, os rins de uma pessoa de 85 anos excretam medicamentos apenas com aproximadamente metade da eficiência do que os rins de uma pessoa de 35 anos.

Em pessoas cuja função renal tenha diminuído, a dose “normal” de um medicamento eliminado principalmente pelos rins pode ser muito alta e vir a causar efeitos colaterais. Portanto, algumas vezes, os profissionais de saúde devem ajustar a dose dos medicamentos com base na quantidade de redução da função renal da pessoa. Pessoas com função renal comprometida necessitam de doses de medicamentos menores do que aquelas com função renal normal.

Os profissionais de saúde têm várias maneiras de estimar a redução da função renal. Às vezes, eles se baseiam unicamente em uma estimativa feita com base na idade da pessoa. No entanto, eles podem obter uma estimativa mais precisa da função renal utilizando os resultados de testes que medem o nível de creatinina (um produto residual) no sangue e, às vezes, também na urina. Eles usam esses resultados para calcular a eficácia da remoção da creatinina do corpo (processo chamado depuração de creatinina – veja Testes de função renal), que reflete o funcionamento dos rins.

Eliminação do medicamento na bile

Alguns medicamentos passam pelo fígado e são excretados pela bile sem alterações. Outros medicamentos são transformados em metabólitos no fígado antes de serem excretados na bile. Em ambos os cenários, a bile entra no trato digestivo. No trato digestivo, os medicamentos podem ser eliminados nas fezes ou reabsorvidos, entrando na corrente sanguínea, onde, então, são reciclados.

Se o fígado não estiver funcionando normalmente, a dose de um medicamento eliminado principalmente por metabolismo hepático pode precisar ser ajustada. No entanto, não existem formas simples de estimar o quanto o fígado irá metabolizar (e então eliminar) medicamentos assim como ocorre para a função renal.

Outras formas de eliminação de medicamentos

Alguns medicamentos são eliminados na saliva, suor, leite materno e até mesmo no ar expirado. A maioria deles é excretada em pequenas quantidades. A excreção de medicamentos no leite materno é significativa somente porque o medicamento pode afetar o lactente (veja Medicamentos que não devem ser tomados durante a época da amamentação). A principal forma de eliminar anestésicos inalados é através da excreção pelo ar expirado.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Inaladores
Vídeo
Inaladores
Algumas pessoas sentem dificuldade para respirar devido a uma doença que cause constrição...
Considerações gerais sobre a absorção, metabolismo e excreção...
Vídeo
Considerações gerais sobre a absorção, metabolismo e excreção...

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS