Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Cólera

Por

Larry M. Bush

, MD, FACP, Charles E. Schmidt College of Medicine, Florida Atlantic University

Última revisão/alteração completa fev 2020| Última modificação do conteúdo fev 2020
Clique aqui para a versão para profissionais

Cólera é uma infecção séria do intestino causada pela bactéria Gram-negativaVibrio cholerae e causa diarreia grave que, sem tratamento, pode ser fatal.

  • As pessoas são infectadas quando consomem alimentos (muitas vezes frutos do mar) ou água contaminados.

  • A cólera é rara, exceto em áreas onde a higiene é inadequada.

  • As pessoas apresentam diarreia aquosa e vômito, geralmente sem febre.

  • Identificar a bactéria em uma amostra de fezes confirma o diagnóstico.

  • Ao repor líquidos perdidos e dar antibióticos, trata-se a infecção eficazmente.

Várias espécies da bactéria Vibrio causam diarreia ({blank} Microorganisms That Cause Gastroenteritis). A doença mais séria, a cólera, é causada por Vibrio cholerae. A cólera pode ocorrer em grandes surtos.

A infecção pelo Vibrio cholerae é adquirida pela ingestão de água, frutos do mar ou outros alimentos contaminados por fezes de pessoas infectadas. Quando infectadas, as pessoas excretam a bactéria nas fezes. Assim, a infecção se alastra com rapidez, principalmente em áreas onde os excrementos humanos não são tratados.

Antes era comum em todo o mundo, mas a cólera atualmente está confinada a países em desenvolvimento nos trópicos e subtrópicos. É comum (endêmica) em partes da Ásia, Oriente Médio, África e América do Sul e Central. Alguns surtos ocorreram na Europa, Japão e Austrália. Nos Estados Unidos, a cólera pode ocorrer ao longo da costa do Golfo do México.

Grandes surtos de cólera continuam a ocorrer em todos os locais nos quais há pobreza e nos quais as pessoas não têm acesso a água potável e a uma rede de esgotos sanitários. Houve uma epidemia grave de cólera no Haiti após o terremoto de 2010 e esta perdurou até 2017. Durante esse surto, 700 mil pessoas adoeceram e 9 mil morreram. Um surto no Iêmen teve início em 2016 e persiste até hoje. Esse surto tem efeitos ainda mais devastadores. Mais de um milhão de pessoas no Iêmen adoeceram e mais de 2 mil morreram. Acredita-se que esse seja o maior surto e o de disseminação mais rápida da história moderna.

Em áreas endêmicas, os surtos geralmente ocorrem quando guerra e distúrbio civil tumultuam os serviços de higiene pública. A infecção é mais comum durante os meses quentes e entre as crianças. Em áreas recém-afetadas, os surtos podem ocorrer durante qualquer estação e afetar todas as idades de igual modo.

Para a infecção se desenvolver, devem ser consumidas muitas bactérias. Depois disso, elas podem ser numerosas demais para o ácido gástrico matar, e algumas bactérias conseguem alcançar o intestino delgado, onde crescem e produzem uma toxina. A toxina faz o intestino delgado secretar enormes quantidades de líquido de sais e água. O corpo perde esse líquido na diarreia aquosa. A causa de morte deve-se à perda de água e sais. As bactérias permanecem dentro do intestino delgado e não invadem os tecidos.

Como o ácido gástrico mata as bactérias, as pessoas que produzem menos ácido gástrico estão mais propensas a contrair a cólera. Essas pessoas incluem

  • Crianças pequenas

  • Pessoas mais idosas

  • Pessoas que tomam medicamentos para reduzir o ácido gástrico, incluindo inibidores da bomba de prótons (como omeprazol) e bloqueadores de histamina-2 (H2) (como a famotidina).

Pessoas que vivem em áreas endêmicas adquirem alguma imunidade gradualmente.

Did You Know...

  • Sem tratamento, mais de metade das pessoas com cólera grave morre.

Sintomas

A maioria das pessoas infectadas não apresenta sintomas.

Quando os sintomas da cólera ocorrem, eles começam um a três dias após a exposição, geralmente com diarreia aquosa indolor e vômito repentinos. Geralmente, as pessoas não têm febre.

A diarreia e o vômito podem ser de leves a intensos. Nas infecções graves em adultos, mais de um litro de água e sais é perdido por hora. As fezes ficam acinzentadas e possuem sinais de muco. São descritas como fezes com aspecto de água de arroz. Em poucas horas a desidratação torna-se grave, causando sede intensa, cãibras musculares e fraqueza. Muito pouca urina é produzida. Os olhos se afundam e a pele dos dedos se enruga bastante. Se a desidratação não for tratada, a perda de água e de sais pode levar à insuficiência renal, choque, coma e morte.

Em pessoas que sobrevivem, os sintomas da cólera costumam desaparecer em três a seis dias. A maioria das pessoas fica livre das bactérias em 2 semanas. As bactérias permanecem em algumas pessoas indefinidamente sem causar sintomas. Tais pessoas são chamadas portadoras.

Diagnóstico

  • Cultura de uma amostra de fezes

Os médicos podem obter uma amostra de fezes ou usar um esfregaço para obter amostra do reto. Ela é enviada a um laboratório, onde a bactéria da cólera, se presente, pode ser cultivada. Identificar o Vibrio cholerae na amostra confirma o diagnóstico. Os médicos podem usar a técnica de reação em cadeia da polimerase (PCR) para aumentar a quantidade de material genético (DNA) das bactérias para que elas possam ser detectadas mais rapidamente.

São feitos exames de sangue e urina para avaliar a desidratação e o funcionamento dos rins.

Prevenção

Os procedimentos a seguir são essenciais para a prevenção da cólera:

  • Purificação dos sistemas de abastecimento de água

  • Eliminação adequada dos resíduos humanos

Em áreas onde ocorre a cólera, outras precauções incluem

  • Usar água fervida ou clorada

  • Evitar legumes e verduras não cozidos e peixe e mariscos mal cozidos.

Os mariscos também podem transmitir outras formas de Vibrio.

Vacinas

Nos Estados Unidos, a vacina contra a cólera está disponível para pessoas de 18 a 64 anos de idade se estiverem viajando para áreas onde há cólera. Ela é tomada por via oral em uma dose única. Não entanto, não se sabe se essa vacina é eficaz por mais de três a seis meses.

Duas outras vacinas para a cólera estão disponíveis fora dos Estados Unidos. Essas vacinas conferem proteção de 60% a 85% por até cinco anos. Essas vacinas são tomadas por via oral em duas doses. São recomendadas doses de reforço depois de dois anos para pessoas que continuam em risco de contrair cólera.

Tratamento

  • Líquidos que contêm sal

  • Um antibiótico

Reposição de água e sais minerais do corpo perdidos

A rápida reposição de água e sais minerais do corpo perdidos salva vidas. A maioria das pessoas pode ser tratada de forma eficaz com uma solução administrada por via oral. Essas soluções são concebidas para repor os líquidos corporais perdidos.

Para pessoas gravemente desidratadas, que não conseguem beber, é dada uma solução salina por via intravenosa.

Em caso de epidemia, se a solução intravenosa não estiver disponível, as pessoas recebem uma solução salina por via oral ou, se necessário, por meio de sonda que se introduz pelo nariz até chegar ao estômago. Depois que líquidos suficientes são repostos para aliviar os sintomas, as pessoas devem beber pelo menos a solução salina suficiente para repor os líquidos que perderam pela diarreia e vômito.

As pessoas também são incentivadas a tomar tanta água quanto desejarem. Alimentos sólidos podem ser ingeridos após o vômito parar e o apetite retornar.

Mais de 50% das pessoas com cólera grave não tratada morrem. Menos de 1% das pessoas que recebem reposição imediata e adequada de líquidos morre.

Antibióticos

Geralmente se administra um antibiótico para reduzir a gravidade da diarreia e fazê-la parar antes. Além disso, as pessoas que recebem um antibiótico são ligeiramente menos propensas a transmitir a infecção durante um surto.

Os antibióticos que podem ser usados incluem doxiciclina, azitromicina e ciprofloxacino. Cada um desses antibióticos é tomado por via oral. Os médicos selecionam antibióticos que são conhecidos pela eficácia contra bactérias que causam cólera na comunidade local. Como a doxiciclina pode causar descoloração dos dentes em crianças com menos de 8 anos de idade, em seu lugar essas crianças recebem azitromicina.

Mais informações

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS