Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando
Fatos rápidos

Cronograma de vacinação na infância

Por

The Manual's Editorial Staff

Última revisão/alteração completa set 2019| Última modificação do conteúdo set 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha os detalhes completos
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

O que é o cronograma de vacinação infantil recomendado?

  • É um cronograma elaborado pela Sociedade Americana de Pediatria (American Academy of Pediatrics) e pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (Centers for Disease Control and Prevention, CDC) nos Estados Unidos

  • Ele mostra quais vacinas a criança precisa tomar, a idade que elas são administradas e o número de injeções que é aplicado

  • Ele foi concebido de modo a que a criança seja vacinada assim que ela começa a ter a chance de ter determinadas infecções

A criança pode ser vacinada se estiver doente?

A criança pode ser vacinada mesmo que esteja com uma febre baixa causada por uma infecção leve, como um resfriado comum. O médico da criança ajudará a tomar essa decisão.

É possível deixar que a criança atrase ou pule algumas vacinas?

A criança tem mais propensão de adquirir determinadas infecções se o cronograma recomendado não for seguido. Contudo, um breve atraso geralmente não é prejudicial à criança, nem faz com que a ela precise recomeçar a vacinação. Converse com o médico da criança, caso tenha dúvidas sobre o cronograma recomendado.

Vacinações de rotina para crianças e bebês

Seguir o cronograma de vacinação recomendado é importante porque ajuda a proteger bebês e crianças contra infecções que podem ser prevenidas. O cronograma abaixo se baseia naquele recomendado pela Sociedade Americana de Pediatria e pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (consulte Cronogramas de imunização para crianças e bebês). O cronograma indica quais vacinas são necessárias, em quais idades e quantas doses (indicadas pelos números nos símbolos).

Há uma faixa de idades aceitáveis para muitas vacinas. O médico da criança pode fornecer recomendações específicas que podem variar dependendo da condição de saúde da criança e de outras circunstâncias. Vacinas combinadas são usadas com frequência, de maneira que as crianças recebam menos injeções. Nas crianças não vacinadas de acordo com o cronograma, vacinação de compensação é recomendada e os pais devem contatar um médico ou clínica de saúde para descobrir como fazê-lo. Os pais devem relatar qualquer efeito colateral após a vacinação ao médico da criança.

Para obter mais informações sobre esse cronograma, os pais devem conversar com um médico ou visitar o site da Internet do Programa Nacional de Imunização (National Immunization Program) dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças.

Vacinações de rotina para crianças e bebês

aVacina contra a hepatite B: Esta vacina é administrada à maioria dos recém-nascidos antes de receberem alta hospitalar. A segunda dose é administrada entre 1 a 2 meses de idade, seguida por uma terceira dose entre 6 a 18 meses de idade.

bVacina contra o rotavírus: Dependendo da vacina usada, duas ou três doses da vacina são administradas: com 2 meses, 4 meses e 6 meses de idade ou com 2 e 4 meses de idade.

cVacina contra o Haemophilus influenzae tipo b (Hib): Dependendo da vacina usada, duas ou três doses da vacina Hib são administradas: aos 2 meses, 4 meses e 12 a 15 meses de idade ou aos 2 meses, 4 meses, 6 meses e 12 a 15 meses de idade.

dVacina contra o poliovírus: Quatro doses da vacina são administradas: aos 2 meses, aos 4 meses, entre os 6 e os 18 meses e entre os 4 e os 6 anos de idade.

eVacina contra difteria, tétano e coqueluche acelular: Antes dos 7 anos de idade, as crianças recebem o preparado contra difteria, tétano e coqueluche acelular (DTaP). Cinco doses da vacina DTaP são administradas: aos 2 meses, aos 4 meses, aos 6 meses, entre os 15 e os 18 meses e entre os 4 e os 6 anos de idade.

Uma dose de um preparado contra tétano, difteria e coqueluche (Tdap) para adolescentes é recomendado entre 11 e 12 anos de idade.

fVacina pneumocócica: Quatro doses da vacina são administradas: aos 2 meses, aos 4 meses, aos 6 meses e entre os 12 e os 15 meses de idade.

gVacina meningocócica: Duas doses são administradas: aos 11 a 12 anos de idade e 16 anos (não mostrado no cronograma acima).

hVacina contra a gripe: A vacina contra a gripe deve ser administrada anualmente a todas as pessoas, começando aos 6 meses de idade. A maioria das pessoas precisa de somente uma dose. As crianças entre 6 meses e 8 anos de idade recebem pelo menos duas doses com no mínimo quatro semanas de intervalo entre elas, caso estejam recebendo a vacina contra a gripe pela primeira vez.

iVacina contra sarampo, caxumba e rubéola (MMR): Duas doses são administradas: entre os 12 e os 15 meses e entre os 4 e 6 anos de idade.

jVacina contra a varicela: Duas doses são administradas: entre os 12 e os 15 meses e entre os 4 e 6 anos de idade.

kVacina contra a hepatite A: São necessárias duas doses da vacina contra a hepatite A para obter uma proteção duradoura. A primeira dose é administrada entre os 12 e 23 meses de idade e a segunda é administrada 6 a 18 meses depois. Se a criança com mais de 23 meses de idade não tiver sido vacinada, ela pode receber a vacina contra a hepatite A para ajudar na proteção contra a hepatite A.

lVacina contra o papilomavírus humano (HPV): A vacina contra o papilomavírus humano é administrada a adolescentes (meninas e meninos) em 2 ou 3 doses. O número de doses depende da idade da adolescente ao receber a primeira dose. Aquelas que recebem a primeira dose entre 9 e 14 anos de idade recebem 2 doses, com intervalo mínimo de 5 meses. Aquelas que recebem a primeira dose a partir dos 15 anos de idade recebem 3 doses. A segunda dose é administrada pelo menos um mês após a primeira dose e a terceira dose é administrada pelo menos 5 meses após a primeira dose. A vacinação de rotina é recomendada entre os 11 e 12 anos de idade.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS