Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Outros sintomas oculares

Por

Christopher J. Brady

, MD, Wilmer Eye Institute, Retina Division, Johns Hopkins University School of Medicine

Última revisão/alteração completa dez 2019| Última modificação do conteúdo dez 2019
Clique aqui para a versão para profissionais

Vários outros sintomas e problemas podem afetar os olhos, incluindo alterações na aparência dos olhos, daltonismo, olhos secos, ofuscamento e halos, percepção de profundidade comprometida, coceira nos olhos, sensibilidade à luz e cegueira noturna.

Percepção de profundidade comprometida

A percepção de profundidade é a capacidade de determinar a posição dos objetos no espaço. As pessoas com dificuldade na percepção de profundidade consideram difícil determinar entre dois objetos qual se encontra mais próximo.

A retina é a estrutura no fundo do olho que detecta a luz. É uma superfície bidimensional como um pedaço de um filme em uma câmera e que somente consegue gerar uma imagem bidimensional. O cérebro integra as imagens bidimensionais de cada olho para criar uma sensação de três dimensões (estereopse). A estereopse permite que a pessoa perceba a profundidade de modo intuitivo. Doenças em um dos olhos que não se alinha corretamente (como o estrabismo) pode interferir na estereopse.

No entanto, a estereopse é eficaz apenas em uma curta distância, tal como no alcance dos braços. Se objetos estão mais distantes do que cerca de três metros, indícios de percepção de profundidade obtidas apenas de um olho (por exemplo, o tamanho aparente de objetos) fornecem mais informação em relação à posição do que a estereopse. Portanto, uma pessoa que vê apenas com um olho terá problemas em derramar uma xícara de chá, porém não terá problemas para estacionar um carro.

Ofuscamento e halos

Algumas pessoas veem ofuscamento (pontos luminosos) ou halos (auréolas) em volta das luzes, sobretudo ao dirigir à noite. Esses sintomas são mais frequentes nas pessoas mais velhas, nas que foram submetidas a alguns tipos de cirurgia refrativa, ou naquelas que têm alguns tipos de catarata Catarata leia mais . O ofuscamento e halos podem ocorrer em pessoas que tenham a pupila muito dilatada (por exemplo, se receberam colírio para um exame). Quando a pupila está muito dilatada, a luz pode passar pela parte periférica do cristalino do olho, onde se curva de modo diferente da luz que passa pelas zonas mais centrais do cristalino, causando o ofuscamento.

É realizado o exame do olho. Muitas vezes os sintomas podem ser minimizados ao se tratar a causa (por exemplo, a catarata). De outro modo, as pessoas devem tomar medidas de precaução, como procurar não dirigir à noite ou depois de pingar colírio para um exame ocular, e evitar olhar diretamente nas luzes dos faróis que vêm em sentido contrário.

Cegueira noturna

As pessoas mais velhas quase sempre têm dificuldade em enxergar com pouca luz. Esse sintoma é conhecido também como cegueira noturna. Com mais frequência, a cegueira noturna é o resultado da presença de catarata, embora a cegueira noturna seja uma característica de algumas formas de degeneração da retina, como a retinite pigmentosa Retinite Pigmentosa Retinite pigmentosa é uma degeneração rara e progressiva da retina (estrutura transparente e sensível à luz localizada na parte posterior do olho) que pode levar à perda de visão moderada a... leia mais . Os olhos de algumas pessoas de idade se dilatam mais devagar e levam mais tempo para se adaptar à luz. O exame ocular deve se concentrar na detecção da catarata e deve incluir uma oftalmoscopia. A causa é tratada. Para melhorar a segurança da casa, melhorar a iluminação, principalmente na cozinha e em torno de degraus, e em outras áreas com risco de acidentes.

Daltonismo

As pessoas com daltonismo (discromatopsia) são incapazes de distinguir algumas cores ou as interpretam com uma intensidade diferente das pessoas não afetadas pela doença. Por exemplo, na forma mais comum de daltonismo (falta de percepção das cores vermelha e verde), as pessoas podem ter menos capacidade de distinguir o verde, o vermelho, ou ambos. Nos semáforos, a pessoa com daltonismo para as cores vermelho e verde deve ser orientada por sinais que não a cor da luz.

As alterações são muitas vezes sutis e várias pessoas não percebem que têm daltonismo.

Em geral, o daltonismo existe desde o nascimento e quase sempre se deve a um gene recessivo ligado ao cromossomo X Distúrbios recessivos com ligação X Os genes são segmentos de ácido desoxirribonucleico (DNA) que contêm o código para uma proteína específica que funciona em um ou mais tipos de células no organismo. Os cromossomos são compostos... leia mais , o que significa que praticamente todas as pessoas afetadas são do sexo masculino. As mulheres não costumam ser afetadas, mas podem passar aos seus filhos o gene do daltonismo.

A maioria dos casos de daltonismo se deve a uma deficiência relativa ou anomalia de um dos tipos de células da retina que detectam a luz (fotorreceptores). Um exemplo é o daltonismo para as cores vermelho-verde, a sua forma mais comum. No entanto, o daltonismo para as cores azul e amarela pode ter como causa uma doença do nervo óptico e geralmente é adquirida, mais do que uma doença hereditária. O daltonismo também pode ter como causa um problema do cérebro em interpretar a cor (mais que um problema nos olhos).

As pessoas devem se submeter a um exame para o daltonismo se um familiar tiver esta anomalia. Alguns indivíduos podem ser examinados se percebem que têm dificuldade em distinguir as cores. Outras pessoas podem não perceber o problema até fazerem um exame de vista necessário para um trabalho ou para tirar uma licença (como para pilotar um avião) que exige a capacidade de distinguir as cores.

O daltonismo não pode ser tratado.

Sensibilidade à luz

A sensibilidade à luz intensa costuma ocorrer em ambientes extremamente iluminados ou quando se sai de um ambiente escuro para a luz solar forte. Tal sensibilidade pode ser causada por medicamentos para dilatação da pupila (midriáticos). No entanto, o desconforto resultante da sensibilidade à luz intensa (fotofobia) pode ser um sintoma de enxaqueca ou uma série de doenças oculares como, por exemplo, inflamação ou infecção da parte anterior do olho (uveíte Uveíte Uveíte é a inflamação em qualquer lugar do revestimento interior pigmentado do olho, conhecido como úvea ou trato uveal. A úvea pode ficar inflamada devido a infecção, lesão, distúrbio autoimune... leia mais ), uma doença da córnea (como a ceratite) ou uma lesão ocular. A causa também pode ser meningite Meningite bacteriana aguda A meningite bacteriana aguda é uma inflamação, que se desenvolve rapidamente, das camadas do tecido que cobrem o cérebro e a medula espinhal (meninges) e o espaço preenchido por líquido entre... leia mais (que normalmente causa dores de cabeça intensas e rigidez do pescoço).

Primeiro, os médicos tentam diferenciar a sensibilidade à luz da fotofobia. A causa da sensibilidade à luz ou fotofobia quase sempre pode ser determinada pelos sintomas e exame ocular do paciente. Um exame com lâmpada de fenda Exame com lâmpada de fenda Uma pessoa com sintomas nos olhos deve ser examinada por um médico. No entanto, algumas doenças oculares causam poucos ou nenhum sintoma nos estágios iniciais, por isso os olhos devem ser examinados... leia mais é bastante útil para detectar doenças causadoras da fotofobia. Sensibilidade à luz e fotofobia podem ser minimizadas ao proteger os olhos da luz (por exemplo, com o uso de óculos escuros). Quando a fotofobia é o resultado de inflamação dentro do olho, colírios para dilatação da pupila podem ajudar a aliviar a dor

Coceira nos olhos

Olhos secos

A produção de lágrimas pode ser avaliada, principalmente se houver suspeita de síndrome de Sjögren. Os médicos também podem tentar saber se as lágrimas evaporam com muita rapidez. É colocada uma pequena quantidade de corante amarelo (fluoresceína) em um olho aberto e medido o tempo que leva para as lágrimas evaporarem. Ao longo do dia, olhos secos podem ser aliviados com o uso de colírios que substituem as lágrimas naturais da pessoa (lágrimas artificiais). À noite, pode ser usada uma pomada antes de dormir para diminuir a secura matinal.

Alterações no aspecto dos olhos

Manchas escuras (pigmentadas) podem surgir na íris ou na conjuntiva. Algumas são congênitas, mas outras podem aparecer com a idade. Embora quase sempre insignificantes, toda mancha escura que se desenvolve deve ser avaliada por um oftalmologista (médico especializado na avaliação e tratamento—cirúrgico e não cirúrgico—de doenças oculares) para se ter certeza se é ou não um câncer.

Pessoas com esses sintomas precisam que os olhos sejam examinados e também de uma avaliação médica geral. O tratamento é direcionado à causa.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS

Teste os seus conhecimentos

Infecções da órbita (Celulite pré-septal; Celulite orbital)
Qual tipo de tratamento pode ser necessário para celulite orbital, mas não para celulite pré-septal?
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
PRINCIPAIS