Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Doenças de refração

(Erros de refração)

Por

Deepinder K. Dhaliwal

, MD, L.Ac, University of Pittsburgh School of Medicine

Última revisão/alteração completa abr 2019| Última modificação do conteúdo abr 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

Nas doenças refrativas (erros de refração), raios de luz que entram nos olhos não são focalizados na retina, causando visão embaçada.

  • O formato do olho ou da córnea, ou a rigidez do cristalino devido à idade, pode reduzir o poder de foco do olho.

  • Os objetos podem parecer embaçados vistos de longe, de perto, ou ambos.

  • Um oftalmologista ou optometrista recomenda como melhorar a visão.

  • A visão pode ser corrigida com a ajuda de óculos, lentes de contato ou cirurgia refrativa.

Entendendo a refração

Normalmente, a córnea e o cristalino desviam (refratam) os raios de luz que penetram, focando-os na retina. Quando há um erro de refração, a córnea e o cristalino não conseguem focalizar os raios de luz sobre a retina. Os erros de refração podem ser corrigidos com a ajuda de óculos, lentes de contato ou cirurgia.

Entendendo a refração

Normalmente, a córnea e o cristalino desviam (refratam) os raios de luz que penetram, focando-os na retina. A forma da córnea é fixa, mas o cristalino muda de forma para focalizar objetos situados a diferentes distâncias do olho. Ao se tornar mais redondo, o cristalino permite que objetos próximos entrem em foco. Ao ficar mais fino, o cristalino permite focalizar objetos distantes. Ocorre um erro de refração quando a córnea e o cristalino não conseguem focalizar nitidamente a imagem de um objeto na retina.

Você sabia que...

  • O cristalino do olho é flexível e muda de formato para focalizar objetos a distâncias diferentes, mas começa a perder essa flexibilidade a partir dos 43 anos aproximadamente.

Causas

Existem diversas causas para a córnea e o cristalino não conseguirem dirigir corretamente os raios de luz para a retina.

A miopia ocorre quando o globo ocular está muito longe do poder de refração da córnea e do cristalino. Devido à curvatura da córnea e ao tamanho relativamente longo, a luz é focalizada à frente da retina (em vez de diretamente nela), e a pessoa tem dificuldade em ver com clareza objetos distantes. Nas crianças, a miopia aumenta quase sempre até a criança parar de crescer.

A hipermetropia ocorre em algumas pessoas quando o globo ocular está muito perto do poder de refração da córnea e do cristalino. Devido ao tamanho relativamente curto, a luz é focalizada atrás da retina. Crianças e adultos jovens que têm hipermetropia leve podem conseguir enxergar com clareza se o cristalino for flexível o suficiente para refocalizar corretamente a luz na retina. No entanto, com a idade o cristalino se endurece. Assim, com a idade, adultos hipermétropes têm mais dificuldade de enxergar claramente objetos próximos e também se torna difícil enxergar objetos distantes. Os objetos ficam mais embaçados na meia-luz ou penumbra.

O astigmatismo é a córnea ou cristalino de formato imperfeito (não perfeitamente redondo ou esférico), o que pode fazer com que os objetos pareçam embaçados, indistintos, a qualquer distância.

Na anisometropia, a pessoa tem uma significativa diferença entre os erros de refração dos olhos.

A presbiopia ocorre com o avanço da idade. Conforme a pessoa vai passando dos 40 anos, o cristalino vai se tornando cada vez mais rígido. O cristalino não altera a sua forma com facilidade e, portanto, não consegue focalizar os objetos próximos. Na idade adulta, as pessoas quase sempre têm dificuldade de enxergar objetos próximos. Essa dificuldade ocorre porque o cristalino perde a capacidade de mudar o formato.

Afaquia é a ausência do cristalino resultante de um defeito congênito, lesão ocular ou cirurgia ocular para remoção da catarata. Se for extraído o cristalino de uma pessoa para tratamento da catarata e não houve implante de uma lente, esta pessoa verá os objetos indistintos a qualquer distância.

Sintomas

Uma pessoa que tem um erro de refração pode perceber que a visão está embaçada para objetos distantes, próximos ou ambos. Por exemplo, uma criança míope pode ter dificuldade de enxergar o quadro-negro. Muitas vezes as pessoas têm dor de cabeça por estar sempre apertando os olhos ou franzindo a testa para tentar enxergar. Nas crianças, franzir a testa ao ler e piscar ou esfregar os olhos excessivamente pode indicar que a criança tem um erro de refração. Às vezes, quando uma pessoa olha fixamente por um longo tempo tentando ler alguma coisa, os olhos podem ficar secos, vermelhos ou irritados e a visão pode parecer temporariamente embaçada.

Diagnóstico

  • Exame visual, incluindo medição da acuidade visual

Todas as pessoas devem se submeter a exames visuais por um oftalmologista (médico especialista na avaliação e tratamento [cirúrgico e não cirúrgico] de doenças oculares) ou um optometrista (um profissional de saúde especializado no diagnóstico e tratamento de erros de refração). Este exame ocular deve ser repetido a cada 1 ou 2 anos. O exame nas crianças ajuda a detectar erros de refração antes que interfiram no aprendizado.

Durante o exame, um gráfico ocular é usado para determinar a nitidez da visão (acuidade visual). A acuidade visual é medida em relação ao que uma pessoa com visão normal (sem distúrbios) vê. Por exemplo, uma pessoa com 20/60 de visão vê a cerca de 6 metros o que uma pessoa com visão normal vê a mais ou menos 18 metros. Em outras palavras, a pessoa precisa estar a 6 metros de distância para ler as palavras que uma pessoa com visão normal pode ler a uma distância de 18 metros. Ainda que os erros de refração geralmente ocorram nos olhos saudáveis, o exame também inclui avaliações não relacionadas com erros de refração, como o teste do campo visual, pressão ocular e movimentos oculares.

Tratamento

  • Óculos

  • Lentes de contato

  • Cirurgia

O tratamento habitual para os erros de refração é o uso de óculos e lentes de contato (lentes corretoras). No entanto, alguns procedimentos cirúrgicos e tratamentos a laser alteram a forma da córnea e também podem corrigir erros de refração.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Degeneração macular
Vídeo
Degeneração macular
A degeneração macular, comumente referida como ARMD ou degeneração macular associada à idade...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Glaucoma
Modelo 3D
Glaucoma

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS