Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Tumores estromais gastrointestinais

Por

Minhhuyen Nguyen

, MD, Fox Chase Cancer Center, Temple University

Última revisão/alteração completa mar 2021| Última modificação do conteúdo mar 2021
Clique aqui para a versão para profissionais

Os tumores estromais gastrointestinais são tipos raros de câncer que têm origem em células específicas na parede do trato digestivo.

Os tumores estromais gastrointestinais (gastrointestinal stromal tumors, GISTs) são tumores cancerosos (malignos) que se desenvolvem a partir de um tipo específico de célula (células precursoras mesenquimais) na parede do esôfago Garganta e esôfago A garganta (faringe – Garganta) está atrás e abaixo da boca. Quando os alimentos e líquidos saem da boca, eles passam através da garganta. A deglutição de alimentos e líquidos começa voluntariamente... leia mais , estômago Estômago O estômago é um órgão muscular grande, oco, em forma de feijão e composto por três partes: Cárdia Corpo (fundo) Antro (Consulte também Considerações gerais sobre o sistema digestivo.) leia mais ou intestino. A maioria dos tumores estromais gastrointestinais é causada por uma mutação em um gene denominado C-KIT, que controla o crescimento das células. A maioria (60 a 70%) desses tumores ocorre no estômago, 20 a 25% ocorrem no intestino delgado Intestino delgado O estômago libera alimentos no duodeno, que é o primeiro segmento do intestino delgado. Os alimentos entram no duodeno através do esfíncter pilórico, em quantidades que o intestino delgado possa... leia mais e uma pequena porcentagem ocorre no esôfago, cólon Intestino grosso O intestino grosso consiste no Ceco e cólon ascendente (direito) Cólon transverso Cólon descendente (esquerdo) O cólon sigmoide (que é conectado ao reto) leia mais e reto Reto e ânus O reto é uma câmara que começa no fim do intestino grosso, imediatamente após o cólon sigmoide, e que termina no ânus ( Considerações gerais sobre o ânus e o reto). Em geral, o reto permanece... leia mais .

A idade média de diagnóstico é de 50 a 60 anos. Pessoas que receberam radioterapia no abdômen para o tratamento de outros tumores podem apresentar tumores estromais gastrointestinais no futuro. Esses tumores geralmente crescem lentamente, mas alguns podem crescer mais rapidamente e se disseminar em outros locais (sofrer metástase).

Sintomas

Os sintomas de tumores do estroma gastrointestinal dependem da localização do tumor, mas incluem dor abdominal, sangramento, indigestão e uma sensação de saciedade após a ingestão de uma pequena refeição. Náusea e vômito podem ocorrer se o tumor apresentou um crescimento suficiente para bloquear o trato digestivo.

Diagnóstico

  • Endoscopia ou colonoscopia

  • Exames de diagnóstico por imagem

O médico pode utilizar um endoscópio ou colonoscópio (um tubo de visualização flexível – Endoscopia Endoscopia leia mais ) para localizar o tumor e realizar uma biópsia (remover uma amostra de tecido para ser examinada ao microscópio). Uma cápsula sem fio, alimentada a bateria, que contém uma ou duas câmeras pequenas ( Exame de cápsula endoscópica Exame de cápsula endoscópica leia mais ) também pode ser utilizada para mostrar tumores do intestino delgado, porém, essa técnica não permite que o médico realize uma biópsia.

Para determinar se o câncer se disseminou para outros órgãos, o médico realiza uma tomografia computadorizada Imagem por tomografia computadorizada e ressonância magnética do trato digestivo leia mais (TC) do abdômen ou ultrassonografia Ultrassom (ultrassonografia) do abdômen leia mais Ultrassom (ultrassonografia) do abdômen endoscópica (onde uma sonda ultrassonográfica é colocada na extremidade do endoscópio e mostra o revestimento do trato digestivo mais claramente do que muitos outros tipos de exame).

Tratamento

  • Remoção cirúrgica

Caso o câncer não tenha se disseminado para outros órgãos, ele será removido cirurgicamente pelo médico.

Caso o câncer tenha se disseminado, ele geralmente será tratado com um determinado tipo de medicamento quimioterápico (imatinibe) pelos médicos. Se o imatinibe não ajudar, é possível que o médico administre outros medicamentos quimioterápicos como, por exemplo, o sunitinibe e o regorafenibe.

Outro medicamento chamado avapritinibe pode ser administrado a pessoas que têm tumores estromais gastrointestinais que não podem ser tratados com cirurgia ou que tenham se espalhado para outras partes do corpo e que são causados por uma mutação genética denominada mutação no exão 18 do gene PDGFRA.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS

Teste os seus conhecimentos

Esofagite eosinofílica
A esofagite eosinofílica é um distúrbio inflamatório, no qual a parede do esôfago, um tubo que leva da garganta até o estômago, se enche de um tipo de glóbulo branco chamado eosinófilo. Qual das opções seguintes é considerada a causa desse distúrbio?
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
PRINCIPAIS