Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Tumores benignos do intestino delgado

Por

Minhhuyen Nguyen

, MD, Fox Chase Cancer Center, Temple University

Última revisão/alteração completa mar 2021| Última modificação do conteúdo mar 2021
Clique aqui para a versão para profissionais

A maioria dos tumores do intestino delgado não é cancerosa (benigna). Incluem tumores das células adiposas (lipomas), células nervosas (neurofibromas), células do tecido conjuntivo (fibromas) e células musculares (leiomiomas).

Diagnóstico

  • Enteróclise

  • Endoscopia

  • Exame de cápsula endoscópica

Uma enteróclise é geralmente realizada. Neste procedimento, é inserida grande quantidade de uma solução de bário por um tubo nasal e são tiradas radiografias, à medida que o bário se move pelo trato digestivo. Este procedimento é ocasionalmente feito em conjunto com uma tomografia computadorizada Imagem por tomografia computadorizada e ressonância magnética do trato digestivo leia mais (TC) em vez de radiografias simples, pois nesse caso a pessoa pode apenas ingerir o líquido contendo bário sem precisar da instalação do tubo nasal.

O médico pode utilizar um endoscópio (um tubo flexível de visualização — Endoscopia Endoscopia leia mais ) introduzido pela boca até alcançar o duodeno e parte do jejuno (a seção intermediária e anterior do intestino delgado), para localizar o tumor e realizar uma biópsia (extração de amostra de tecido para análise ao microscópio). O médico pode, ocasionalmente, visualizar tumores do íleo (segmento distal do intestino delgado) pela introdução de um colonoscópio (endoscópio usado para examinar a parte inferior do trato digestivo) por via anal, através de todo o intestino grosso até atingir o íleo.

Uma cápsula sem fio, alimentada a bateria, que contém uma ou duas câmeras pequenas (exame de cápsula endoscópica Exame de cápsula endoscópica leia mais ) pode ser utilizada para mostrar imagens de tumores do intestino delgado.

Ocasionalmente, é necessária uma cirúrgica exploratória para identificação de tumores no intestino delgado.

Tratamento

  • Vários métodos de remoção

Pequenas formações benignas podem ser destruídas por tratamentos aplicados por um tubo flexível de visualização (endoscópio — Endoscopia Endoscopia leia mais ) inserido no intestino. Estes tratamentos incluem aplicação direta de tensão elétrica (eletrocauterização) ou calor (obliteração térmica), e a aplicação de raios de luz de alta energia sobre a formação (fototerapia com laser).

Em casos de formações maiores, uma cirurgia pode ser necessária.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS

Teste os seus conhecimentos

Esofagite eosinofílica
A esofagite eosinofílica é um distúrbio inflamatório, no qual a parede do esôfago, um tubo que leva da garganta até o estômago, se enche de um tipo de glóbulo branco chamado eosinófilo. Qual das opções seguintes é considerada a causa desse distúrbio?
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
PRINCIPAIS