Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Candidíase (infecção por levedura)

(Monilíase)

Por

Denise M. Aaron

, MD, Dartmouth-Hitchcock Medical Center

Última revisão/alteração completa out 2018| Última modificação do conteúdo out 2018
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A candidíase é uma infecção provocada pela levedura Candida.

  • A candidíase tende a ocorrer nas áreas úmidas da pele.

  • A candidíase pode causar erupções cutâneas, escamações, coceira e inchaço.

  • Os médicos examinam as áreas afetadas e analisam amostras da pele no microscópio ou numa cultura.

  • Os cremes antimicóticos ou os medicamentos antimicóticos administrados por via oral geralmente curam a candidíase.

A levedura Candida reside, normalmente, na boca, no aparelho digestivo e na vagina e, de forma geral, não causa lesão. No entanto, em determinadas condições, a Candida pode infectar as membranas mucosas e as zonas úmidas da pele. As áreas geralmente afetadas são a mucosa da boca, a virilha, as axilas, os espaços entre os dedos das mãos e dos pés, o pênis não circuncidado, a prega cutânea sob os seios, as unhas e as pregas cutâneas na região do estômago. Levedura é um tipo de fungo.

As condições que permitem a infecção da pele causada pelo fungo Candida incluem:

  • Clima quente e úmido

  • Roupas íntimas apertadas e sintéticas

  • Má higiene

  • Trocas não frequentes de fraldas ou roupas íntimas, principalmente em crianças e idosos

  • Sistema imunológico enfraquecido por causa de diabetes, infecção por HIV/AIDS ou uso de corticosteroides e outros medicamentos que debilitam o sistema imunológico

  • Gravidez, obesidade ou uso de antibióticos

Os pacientes tratados com antibióticos podem desenvolver candidíase, porque os antibióticos matam as bactérias que residem normalmente no organismo, permitindo o crescimento descontrolado de Candida. Os corticosteroides ou a terapia imunossupressora posteriores ao transplante de um órgão também podem reduzir as defesas do organismo contra a candidíase. Os corticosteroides inalados, frequentemente usados por pessoas com asma, podem causar candidíase oral. Mulheres grávidas, pessoas que estão recebendo medicamentos contra câncer, obesos e diabéticos têm mais chance de serem infectados por Candida.

Em algumas pessoas (geralmente as que têm um sistema imunológico enfraquecido), a Candida pode invadir os tecidos mais profundos, bem como o sangue, e provocar uma candidíase sistêmica com risco de morte.

Sintomas

Os sintomas de candidíase variam de acordo com a localização da infecção.

As infecções nas pregas cutâneas (infecções intertriginosas) ou no umbigo geralmente provocam uma erupção de cor vermelho-vivo, por vezes, com rachadura da pele. Podem surgir pequenas pústulas, principalmente nas extremidades da erupção cutânea, que podem ser acompanhadas de coceira ou de ardor intensos. Uma erupção cutânea provocada por Candida em torno do ânus pode ser pruriginosa, esbranquiçada ou avermelhada e ficar em carne viva. Os bebês podem desenvolver uma erupção cutânea por fralda na área coberta pela fralda causada por Candida.

A candidíase vaginal (vulvovaginite, infecção por leveduras — Considerações gerais sobre infecções vaginais) é bastante frequente, especialmente em mulheres grávidas, diabéticas ou tratadas com antibióticos. Os sintomas dessas infecções incluem um fluxo vaginal semelhante ao queijo, de cor branca ou amarelada, e a sensação de ardor, coceira e rubor das paredes e da região externa da vagina.

A candidíase peniana afeta, com mais frequência, homens diabéticos, não circuncidados ou cujas parceiras sexuais sofrem de candidíase vaginal. Às vezes, a erupção cutânea pode não ter sintoma algum, mas geralmente a infecção provoca erupção vermelha, em carne viva, que coça e queima, às vezes dolorosa, na cabeça do pênis.

A candidíase oral é a candidíase dentro da boca. As placas brancas cremosas, típicas da candidíase oral, aderem à língua e a ambos os lados da boca e podem ser dolorosas. As placas podem ser raspadas com o dedo ou algum objeto sem ponta, e podem sangrar ao serem raspadas. Embora sejam frequentes nas crianças saudáveis, nos adultos, a candidíase oral pode ser um sinal de sistema imunológico enfraquecido, possivelmente resultado de câncer, diabetes ou vírus da imunodeficiência humana (HIV). O uso de antibióticos que eliminam as bactérias antagonistas aumenta a possibilidade de contrair candidíase oral.

A queilite angular (boqueira) é a candidíase nos cantos da boca, que provoca rachaduras e pequenas fissuras. Ela pode surgir em consequência de lamber crônico dos lábios, de chupar o dedo, de dentaduras mal adaptadas ou de qualquer outro distúrbio que deixe as extremidades labiais suficientemente úmidas para o desenvolvimento dos fungos.

A paroníquia por Candida é a candidíase nas dobras da unha ou cutículas, que provoca vermelhidão dolorosa e inchaço ( Onicomicose) ao redor da unha. No caso de infecção duradoura, a área sob a unha pode ficar branca ou amarela, e a placa da unha pode se soltar do leito ungueal (onicólise). Esse distúrbio ocorre, normalmente, em pessoas com diabetes ou com um sistema imunológico deficiente, podendo também surgir em pessoas saudáveis que frequentemente submetem as mãos à umidade e lavagens constantes.

A candidíase mucocutânea crônica provoca áreas vermelhas e grossas, com pus e crostas, que lembram psoríase, principalmente no nariz e na testa. As pessoas que apresentam esse quadro clínico também estão propensas a ter afta.

Diagnóstico

  • Um exame médico da pele

  • Exame ou cultura de uma amostra de raspagem

Muitas vezes, o médico pode identificar a candidíase observando sua erupção cutânea característica ou o resíduo espesso, branco e pastoso que origina.

Para confirmar o diagnóstico de candidíase, o médico pode realizar uma raspagem da pele danificada, ou do resíduo, com um bisturi ou uma espátula. A amostra coletada por raspagem é, então, examinada ao microscópio ou depositada num meio de cultura (uma substância que permite o crescimento dos micro-organismos), com vista a identificar o fungo específico.

Tratamento

  • Medicamentos antimicóticos aplicados na pele ou tomados por via oral

  • Medidas para manter a área seca

Normalmente, o tratamento de candidíase depende da localização da infecção. (Consulte também a tabela Alguns medicamentos antimicóticos aplicados na pele (medicamentos tópicos).)

As infecções nas pregas cutâneas são tratadas com cremes, talcos ou soluções antimicóticos, ou outros produtos aplicados diretamente na pele (uso tópico). Alguns exemplos de medicamentos usados no tratamento: miconazol, clotrimazol, oxiconazol, cetoconazol, econazol, ciclopirox e nistatina. Em pessoas saudáveis, as infecções nas pregas cutâneas são geralmente fáceis de curar. Manter a pele seca ajuda a eliminar a infecção e previne o seu reaparecimento. Soluções que ressecam a pele (como a solução de Burow) ou antitranspirantes tópicos ajudam a manter a área da superfície seca. Manter a área seca também pode ajudar a prevenir reincidências. As pessoas com várias pregas cutâneas infectadas podem ter que tomar medicamentos por via oral (como o fluconazol).

A candidíase vaginal é tratada com medicamentos antimicóticos aplicados como um creme na área afetada, ou inseridos na vagina como um supositório, ou administrados por via oral (como o fluconazol).

A erupção cutânea causada por fralda é tratada com a troca de fralda mais frequente, uso de fraldas descartáveis superabsorventes ou ultra-absorventes e creme contendo um medicamento antimicótico (por exemplo, butoconazol, clotrimazol, fluconazol, cetoconazol ou miconazol).

A paroníquia por Candida é tratada protegendo a área afetada da umidade. Os médicos receitam medicamentos antimicóticos que são administrados por via oral ou aplicados na pele. Essas infecções são geralmente difíceis de tratar.

A afta em adultos é tratada com medicamentos administrados por via oral. Um medicamento antimicótico (como o clotrimazol) pode ser prescrito em forma de comprimido ou pastilha que dissolve na boca. Os médicos também podem prescrever a nistatina líquida para gargarejo por tempo máximo possível, e depois as pessoas podem cuspir ou engolir o líquido. Os médicos também podem prescrever medicamentos em forma de comprimido para são engolidos (como o fluconazol).

A afta em recém-nascidos pode ser tratada com nistatina líquida. O líquido pode ser aplicado com os dedos ou cotonetes nas bolsas nas bochechas dentro da boca.

A candidíase mucocutânea crônica é tratada com fluconazol tomado por via oral. Este medicamento é tomado por um longo período.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Acne
Vídeo
Acne
A pele contém muitos folículos pilosos diminutos, ou poros. Cada poro contém um pelo e uma...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Eritema linear
Modelo 3D
Eritema linear

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS