Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Lesões do sistema nervoso por radioterapia

Por

Steven A. Goldman

, MD, PhD, University of Rochester Medical Center;


Nimish A. Mohile

, MD, University of Rochester Medical Center

Última revisão/alteração completa set 2018| Última modificação do conteúdo set 2018
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A radioterapia é um componente no tratamento de tumores do sistema nervoso. Quando as pessoas têm vários tumores ou um tumor que não têm fronteiras distintas, é direcionada para uma área geral (por exemplo, toda a cabeça). Quando o tumor tem fronteiras distintas, a terapia pode ser dirigida especificamente para o tumor.

A radiação desses tratamentos, por vezes, danifica o sistema nervoso, apesar dos melhores esforços para evitar danos.

A ocorrência de danos e sua severidade dependem de vários fatores:

  • Quanta radiação é administrada ao longo de todo o curso do tratamento (a dose total cumulativa)

  • Quanta radiação é dada em cada dose

  • A duração do tratamento

  • A extensão do sistema nervoso que é exposta à radiação

  • Quão suscetível a pessoa é à radiação

A administração de radioterapia todos os dias tende a aumentar sua eficácia e a reduzir os danos ao tecido normal.

Os sintomas de danos da radiação podem ser

  • Aguda: ocorrendo nos primeiros dias

  • De tipo precoce: ocorrendo nos primeiros meses de tratamento

  • De tipo tardio: ocorrendo vários meses ou anos após o tratamento

Os sintomas podem continuar iguais ou piorar e podem ser temporários ou permanentes.

Encefalopatia aguda pode resultar de radiação para o cérebro. O líquido se acumula temporariamente no interior das células do cérebro, provocando o inchaço de todo o cérebro (chamado de edema cerebral). Os sintomas incluem cefaleia, náuseas, vômitos, sonolência e confusão. Encefalopatia aguda geralmente começa logo após a administração da primeira ou segunda dose de radiação. Geralmente, os sintomas diminuem à medida que os tratamentos de radiação prosseguem. Corticosteroides, como dexametasona, podem ajudar a prevenir ou reduzir o edema cerebral.

Danos de radiação de tipo precoce podem provocar sintomas semelhantes aos da encefalopatia aguda. Os sintomas de danos do tipo precoce podem se desenvolver em crianças quando a radioterapia de cérebro inteiro é usada para tratar leucemia. Esses sintomas geralmente diminuem por si só ao longo de vários dias ou semanas e, às vezes, diminuem mais rapidamente se forem usados corticosteroides.

Você sabia que...

  • A radioterapia, utilizada no tratamento de tumores cerebrais e da medula espinhal, pode danificar o cérebro e a medula espinhal.

Se a radiação for direcionada para a coluna vertebral no pescoço ou nas costas, pode ocorrer mielopatia por radiação do tipo precoce. Essa doença causa, ocasionalmente, uma sensação similar a uma descarga elétrica. A sensação começa no pescoço ou nas costas, muitas vezes quando se inclina o pescoço para a frente, e desce rapidamente até pernas. A mielopatia por radiação do tipo precoce em geral se resolve sem tratamento.

Lesões por radiação de tipo tardio causam sintomas que ocorrem vários meses ou anos após a radioterapia. Esse tipo de dano surge em muitas crianças e adultos que recebem radioterapia cerebral de cabeça inteira se elas sobreviverem tempo suficiente. A causa mais comum em crianças é a radioterapia para prevenir leucemia ou para tratar um tipo de tumor cerebral chamado meduloblastoma. Os sintomas podem consistir em demência progressiva, perda de memória, dificuldade de raciocínio, alterações na personalidade e, em adultos, marcha instável.

A radiação direcionada a tumores próximos à coluna vertebral pode danificar a própria coluna. Quando isso acontece, pode surgir a mielopatia do tipo tardio. Essa doença provoca fraqueza, perda de sensibilidade e, por vezes, síndrome de Brown-Séquard. Na síndrome de Brown-Séquard, um lado da medula espinhal está lesionado, originando fraqueza num lado do corpo e perda da sensibilidade à dor e à temperatura do outro lado. No lado do corpo que está fraco, o sentido de posição pode ser perdido. Ou seja, as pessoas podem ser incapazes de perceber onde estão as mãos e os pés sem olhar. A mielopatia por radiação do tipo tardio não cede e causa habitualmente uma paralisia.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Mielografia
Vídeo
Mielografia
A medula espinhal é protegida pela coluna enquanto transporta mensagens do cérebro e para...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Artérias do cérebro
Modelo 3D
Artérias do cérebro

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS