Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Síndrome da pessoa rígida

(Síndrome do homem rígido)

Por

Michael Rubin

, MDCM, New York Presbyterian Hospital-Cornell Medical Center

Última revisão/alteração completa dez 2020| Última modificação do conteúdo dez 2020
Clique aqui para a versão para profissionais

A síndrome da pessoa rígida causa rigidez muscular que piora gradualmente.

  • A síndrome da pessoa rígida ocorre frequentemente em pessoas com diabetes tipo 1, certas doenças autoimunes ou certos tipos de câncer.

  • Os músculos se tornam cada vez mais rígidos e aumentam de tamanho, começando no tronco e no abdômen, mas posteriormente afetando os músculos do corpo todo.

  • Os médicos suspeitam de síndrome da pessoa rígida com base nos sintomas, mas usam eletromiografia e exames de sangue para ajudar a confirmar o diagnóstico.

  • O tratamento é focado no alívio dos sintomas e pode incluir diazepam (um sedativo), baclofeno (um relaxante muscular), corticosteroides e, às vezes, rituximabe ou plasmaférese.

A síndrome da pessoa rígida (antes conhecida como síndrome do homem rígido) afeta principalmente o cérebro e a medula espinhal (o sistema nervoso central), mas ela causa sintomas semelhantes aos das doenças de junções neuromusculares Considerações gerais sobre as doenças de junções neuromusculares Os nervos ligam-se aos músculos na junção neuromuscular. Aqui, as terminações das fibras nervosas ligam-se a regiões especiais, localizadas na membrana do músculo, denominadas placas motoras... leia mais (distúrbios que afetam a conexão entre nervos e músculos).

A causa da síndrome da pessoa rígida pode ser uma reação autoimune Doenças autoimunes Uma doença autoimune é um mau funcionamento do sistema imunológico, levando o corpo a atacar os seus próprios tecidos. Ainda não se sabe o que desencadeia as doenças autoimunes... leia mais − quando o corpo produz anticorpos que atacam seus próprios tecidos. Na síndrome da pessoa rígida, esses anticorpos atacam as células nervosas na medula espinhal que controla os movimentos musculares. A maioria dos indivíduos com síndrome da pessoa rígida possui anticorpos que atacam uma enzima denominada descarboxilase do ácido glutâmico. Esta enzima está envolvida na produção de um mensageiro químico (neurotransmissor) que ajuda a prevenir os nervos de superestimularem os músculos. Quando essa enzima é produzida em menor quantidade, os nervos superestimulam os músculos, que ficam tensos e rígidos.

Às vezes, a causa da síndrome da pessoa rígida é desconhecida.

Sintomas de síndrome da pessoa rígida

Em pessoas com síndrome da pessoa rígida, os músculos do tronco e do abdômen gradualmente ficam mais rígidos e aumentam. Os músculos dos braços e das pernas são afetados em menor grau.

Geralmente, a síndrome da pessoa rígida avança, conduzindo à invalidez e à rigidez de todo o corpo.

Diagnóstico de síndrome da pessoa rígida

  • Eletromiografia

  • Exames de sangue

O diagnóstico de síndrome da pessoa rígida é sugerido pelos sintomas. São realizados exames para ajudar a confirmar o diagnóstico. Eles incluem eletromiografia Eletromiografia Em algumas ocasiões, é necessário recorrer a procedimentos diagnósticos para confirmar o diagnóstico sugerido pelo histórico clínico e pelo exame neurológico. A eletroencefalografia... leia mais Eletromiografia e exames de sangue para detectar anticorpos que estão presente em muitas pessoas com síndrome da pessoa rígida.

Tratamento de síndrome da pessoa rígida

  • Diazepam (um sedativo) ou outro medicamento para relaxar os músculos

  • Imunoglobulina

  • Algumas vezes, corticosteroides

  • Às vezes, rituximabe ou plasmaférese

O tratamento da síndrome da pessoa rígida é focado no alívio dos sintomas. O sedativo diazepam pode aliviar a rigidez muscular de forma constante. Se o diazepam for ineficaz, outros medicamentos, tais como baclofeno (um relaxante muscular) pode ser tentado.

A imunoglobulina (solução que contém diferentes anticorpos coletados de um grupo de doadores) administrada por via intravenosa, pode ajudar a aliviar os sintomas por até um ano.

Se a imunoglobulina não ajudar, às vezes se tenta utilizar rituximabe (um medicamento que modifica a atividade do sistema imunológico) ou plasmaférese Plaquetaférese (doação de plaquetas) Além da transfusão e doação de sangue normais, algumas vezes são usados procedimentos especiais. Na plaquetaférese, o doador doa somente plaquetas e não sangue total. O sangue... leia mais , que envolve a filtragem de substâncias tóxicas (incluindo os anticorpos anormais) do sangue.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
ANDROID iOS
ANDROID iOS
ANDROID iOS
ANDROID iOS
ANDROID iOS
ANDROID iOS
PRINCIPAIS