Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Carregando

Ambliopia

Por

Christopher M. Fecarotta

, MD, Phoenix Children’s Hospital;


Wendy W. Huang

, MD, PhD, Phoenix Children’s Hospital

Última modificação do conteúdo out 2018
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família

Trata-se da redução funcional da acuidade visual de um olho, causada por desuso durante o desenvolvimento visual. Perda grave da visão pode ocorrer se a ambliopia não for diagnosticada e tratada antes dos 8 anos de idade, a cegueira pode ocorrer no olho afetado. O diagnóstico baseia-se na avaliação da diferença na melhor acuidade visual corrigida entre os dois olhos que não é atribuível à outra patologia. O tratamento depende da causa.

A ambliopia afeta cerca de 2 a 3% das crianças e geralmente se desenvolve antes dos 2 anos de idade; mas qualquer criança com menos de aproximadamente 8 anos de idade pode desenvolver ambliopia.

O cérebro deve receber simultaneamente a imagem clara, focada, alinhada adequadamente de cada olho para que o sistema se desenvolva apropriadamente. Este desenvolvimento acontece principalmente nos 3 primeiros anos de vida e somente se completa por volta dos 8 anos de idade. A ambliopia aparece quando há interferência persistente na imagem vinda de um olho, mas não do outro. O córtex visual suprime a imagem do olho afetado. Se a supressão persistir por muito tempo, pode ocorrer perda permanente da visão.

Etiologia

Existem 3 causas:

  • Estrabismo

  • Anisometropia

  • Obstrução do eixo visual

O estrabismo pode causar ambliopia porque a falta de alinhamento dos olhos faz com que diferentes imagens na retina sejam enviadas para o córtex visual. Quando ocorre esse desalinhamento, o encéfalo de uma criança pode prestar atenção apenas em um olho de cada vez, e os estímulos do outro olho são suprimidos. Como as vias visuais já estão totalmente desenvolvidas em adultos, a apresentação de 2 imagens diferentes resulta em diplopia em vez de supressão de uma das imagens.

Anisometropia (desigualdade de refração nos 2 olhos decorrente de astigmatismo, miopia ou hiperopia) também pode causar ambliopia porque ela resulta em diferentes focos das imagens na retina, sendo mal focalizada a imagem do olho com maior erro de refração.

A obstrução do eixo visual em algum ponto entre a superfície do olho e a retina (p. ex., catarata congênita) interfere ou impede completamente a formação de uma imagem na retina do olho afetado. Essa obstrução pode causar ambliopia.

Sinais e sintomas

Em geral, a ambiopia é assintomática e comumente diagnosticada por triagem de rotina da visão. As crianças raramente se queixam da perda de visão unilateral, embora tenham olhar estrábico ou cubram um olho. Crianças muito pequenas ou não percebem ou são incapazes de explicar que sua visão é diferente em um olho quando comparado com o outro. Por sua vez, algumas crianças maiores conseguem informar sobre uma diminuição visual no olho afetado ou demonstrar uma percepção deficiente. Quando o estrabismo é a causa, o olhar desviado é notável. Uma catarata provocando oclusão do eixo visual pode não ser notada.

Diagnóstico

  • Triagem precoce

  • Fototriagem

  • Exames adicionais (p. ex., exame com tampão, teste alternado com e sem cobertura, refração, oftalmoscopia, lâmpada de fenda)

Recomenda-se triagem para ambliopia (e estrabismo) para todas as crianças antes de entrarem na escola, idealmente em torno dos 3 anos de idade.

A fototriagem é uma das abordagens para examinar crianças muito pequenas e aquelas que não podem ser submetidas a testes subjetivos por causa de transtornos de aprendizagem e desenvolvimento. A fototriagem envolve o uso de uma câmera para registrar imagens dos reflexos pupilares durante a fixação em um alvo visual e reflexos vermelhos em resposta à luz; as imagens são então comparadas por simetria.

Para crianças maiores, a triagem consiste em testes de acuidade com figuras, que não exigem conhecimento do alfabeto (p. ex., figuras E em vários tamanhos, cartões Allen, figuras ou caracteres HOTV) ou gráficos Snellen.

Para identificar a causa básica são necessários testes adicionais. Pode-se confirmar o estrabismo com o uso de cartão para cobrir o olho alternadamente ou com o teste cobre-descobre (ver diagnóstico do estrabismo). A anisometropia pode ser confirmada avaliando o poder de refração de cada olho. A obstrução do eixo visual pode ser confirmada pelo exame com oftalmoscópio ou lâmpada de fenda.

Prognóstico

A ambliopia pode ser irreversível se não for diagnosticada e tratada antes dos 8 anos de idade, quando o sistema visual está normalmente desenvolvido. A maioria dos casos identificados e tratados antes dos 5 anos tem a visão melhorada. O tratamento precoce aumenta a probabilidade de recuperação total da visão. Em determinadas circunstâncias, o tratamento da ambliopia em crianças maiores pode melhor a visão. Em certos casos, há possibilidade de recorrência (recidiva) até que haja amadurecimento do sistema visual. Alguns pacientes têm diminuição da acuidade visual, mesmo após a maturação visual ter ocorrido.

Tratamento

  • Óculos ou lentes de contato

  • Remoção de catarata

  • Tampão

  • Atropina em colírio

  • Tratamento do estrabismo se presente

O tratamento da ambliopia deve ser feito por um oftalmologista experiente no controle de distúrbios oculares em crianças. Qualquer problema de base deve ser tratado (p. ex., óculos ou lentes de contato para corrigir erros de refração, remoção da catarata, tratamento do estrabismo). Deve-se, então, encorajar o uso do olho com ambliopia, utilizando um tampão para cobrir o olho normal ou administrando gotas de atropina no olho normal, dando, assim, uma vantagem visual para o olho afetado. A adesão ao tratamento é melhor com o uso das gotas de atropina.

Tratamento de manutenção para prevenir recorrências pode ser recomendado após a melhora se estabilizar, até que a criança tenha cerca de 8 a 10 anos de idade.

Pontos-chave

  • A ambliopia consiste na perda visual em um dos olhos causada pela falta de inputs corretamente focados e devidamente alinhados no córtex visual de cada olho durante a primeira infância, antes da maturação das vias visuais.

  • O diagnóstico é principalmente por testes de triagem, que devem ser feitos por volta dos 3 anos de idade.

  • O tratamento é direcionado para causa (p. ex., correção dos erros de refração, remoção de cataratas, tratamento do estrabismo), seguido pela aplicação de tampões ou administração de atropina em colírio no olho melhor.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Visão geral do defeito do septo ventricular
Vídeo
Visão geral do defeito do septo ventricular
Modelos 3D
Visualizar tudo
Fibrose cística: transporte defeituoso de cloreto
Modelo 3D
Fibrose cística: transporte defeituoso de cloreto

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS