Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

honeypot link

Sistema de antígeno leucocitário humano (HLA)

Por

Peter J. Delves

, PhD, University College London, London, UK

Última modificação do conteúdo dez 2018
Clique aqui para acessar Educação para o paciente

O sistema de antígenos leucocitários humanos (HLA), o principal complexo de histocompatibilidade (MHC) em seres humanos, é uma parte importante do sistema imunológico e é controlado por genes localizados no cromossomo 6. Ele codifica moléculas na superfície das células especializadas na apresentação de peptídeos antigênicos ao TCR nas células T. (Ver também Visão geral do sistema imunitário.)

As moléculas do MHC que apresentam antígeno dividem-se em 2 classes principais:

  • Moléculas do MHC classe I

  • Moléculas do MHC classe II

Moléculas do MHC classe I estão presentes como glicoproteínas de transmembrana na superfície de todas as células nucleadas. As moléculas intactas classe I são formadas por uma cadeia alfa pesada ligada a uma molécula de beta 2 microglobulina. A cadeia pesada consiste em 2 domínios de ligação de peptídeo, um domínio tipo Ig e uma região que atravessa a membrana com um prolongamento no citoplasma. A cadeia pesada da molécula de classe I é codificada por genes nos lócus HLA-A, HLA-B ou HLA-C. Células T que expressam moléculas CD8 reagem às moléculas do MHC classe I. Esses linfócitos geralmente têm uma função citotóxica, sendo necessário que sejam capazes de reconhecer qualquer célula infectada. Como todas as células nucleadas expressam moléculas MHC da classe I, todas as células infectadas podem agir como uma CAA para células T CD8 (CD8 se liga na região não polimórfica da cadeia pesada de classe I). Alguns genes MHC da classe I codificam moléculas MHC não clássicas, como HLA-G (que pode ter um papel na proteção do feto contra a resposta imunitária materna) e HLA-E (que apresenta peptídeos para certos receptores nas células NK).

As moléculas MHC da classe II geralmente encontram-se nas células apresentadoras de antígenos “profissionais” (células B, macrófagos, células dendríticas e células de Langerhans), no epitélio tímico e ativadas nas células T ativadas (mas não nas células T em repouso); a maior parte das células nucleadas podem ser induzidas a expressar MHC da classe II pelo IFN gama. [As moléculas MHC da classe II são formadas de 2 cadeias polipeptídicas [alfa (α) e beta (β)]; cada cadeia possui um domínio de ligação do peptídeo, um domínio tipo imunoglobulina e uma região que atravessa a membrana com prolongamento no citoplasma. Ambas as cadeias polipeptídicas são codificadas por genes nas regiões HLA-DP, HLA-DQ ou HLA-DR do cromossomo 6. As células T reativas às moléculas classe II expressam CD4 e são geralmente células T auxiliares.

A região do MHC classe III do genoma codifica algumas moléculas importantes no processo inflamatório, como componentes do sistema complemento C2, C4 e fator B, fator de necrose tumoral (TNF alfa), linfotoxina alfa, linfotoxina beta e três proteínas de choque térmico.

Antígenos individuais serologicamente definidos codificados pelo lócus dos genes da classe I e II no sistema HLA recebem designações padronizadas (p. ex., HLA-A1, HLA-B5, HLA-C1 e HLA-DR1). Os alelos definidos por sequenciamento de DNA são nomeados para identificar o gene, seguido por um asterisco, os números que representam o grupo de alelos (frequentemente o antígeno serológico codificado por esse alelo), um dois pontos e os números que representam o alelo específico (p. ex., A*02:01, DRB1*01:03, DQA1*01:02). Às vezes, acrescentam-se números adicionais depois de um dois pontos para identificar variantes alélicas que codificam proteínas idênticas, e depois de outro dois pontos, adicionam-se outros números para denotar os polimorfismos em introns ou nas regiões não traduzidas 5 ou 3 (p. ex., A*02:101:01:02, DRB1*03:01:01:02).

Moléculas do MHC da classe I e II são os antígenos mais imunogênicos encontrados durante a rejeição de um transplante alogênico. O determinante mais forte é o HLA-DR, seguido pelo HLA-B e -A. Esses 3 loci são, portanto, os mais importantes a serem correlacionados entre doador e receptor.

Algumas doenças autoimunes estão ligadas a alelos de HLA específicos — por exemplo,

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS ANDROID iOS
PRINCIPAIS