Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Carregando

Vaginite inflamatória

Por

Oluwatosin Goje

, MD, MSCR, Cleveland Clinic, Lerner College of Medicine of Case Western Reserve University

Última modificação do conteúdo mai 2018
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família

Vaginite inflamatória é uma inflamação vaginal sem evidências das causas infecciosas comuns de vaginite.

(Ver também Visão geral da vaginite.)

A etiologia da vaginite inflamatória pode ser autoimune.

As células epiteliais da vagina necrosam-se superficialmente e os estreptococos crescem em demasia.

O principal fator de risco é

A atrofia genital predispõe à vaginite inflamatória e aumenta o risco de recorrência.

Sinais e sintomas

Corrimento vaginal purulento, dispareunia, disúria e irritação vaginal são comuns. Prurido vaginal e eritema podem ocorrer. Queimação, dor ou sangramento leve ocorrem com menos frequência. O tecido vaginal pode parecer fino e seco. A vaginite pode recidivar.

Diagnóstico

  • pH vaginal e exame direto a fresco

Como os sintomas da vaginite inflamatória se sobrepõem aos de outras formas de vaginite, são necessários exames complementares (p. ex., medida de pH do líquido vaginal, exame microscópico, teste das aminas).

Diagnostica-se a vaginite inflamatória se

  • O pH do fluido vaginal é > 6.

  • O exame das aminas é negativo.

  • Exame microscópico mostra predominância de leucócitos e células parabasais.

Tratamento

  • Creme vaginal de clindamicina

O tratamento da vaginite inflamatória é com 5 g de clindamicina em creme vaginal, todas as noites, por 2 semanas. Após o tratamento com clindamicina, avalia-se a paciente quanto à atrofia genital. A atrofia genital pode ser tratada com estrogênios tópicos (p. ex., 2 a 4 g de estradiol em creme vaginal a 0,01% 1 vez/dia, durante 1 a 2 semanas, seguido por 1 a 2 g, 1 vez/dia, durante 1 a 2 semanas, e depois 1 g de 1 a 3 vezes/semana; 10 mcg de hemi-hidrato de estradiol em comprimidos vaginais, 2 vezes/semana; anéis de estradiol a cada 3 meses). A terapia tópica é geralmente preferida devido a preocupações com a segurança da terapia hormonal oral; a terapia tópica pode ter menos efeitos sistêmicos.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Como tratar a hemorragia pós-parto
Vídeo
Como tratar a hemorragia pós-parto
Modelos 3D
Visualizar tudo
Parto vaginal
Modelo 3D
Parto vaginal

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS