Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Carregando

Granuloma inguinal

(Donovanose)

Por

Sheldon R. Morris

, MD, MPH, University of California San Diego

Última modificação do conteúdo jul 2019
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
Recursos do assunto

Granuloma inguinal é uma infecção cutânea genital e perineal progressiva e rara causada por Klebsiella (anteriormente Calymmatobacterium) granulomatis). A doença é caracterizada por lesões cutâneas lentamente progressivas de coloração vermelha intensa, proeminentes, indolores e muitas vezes ulceradas; linfadenopatia regional é incomum. O diagnóstico é feito por critérios clínicos e microscopia. O tratamento é feito com antibióticos, em geral, tetraciclinas, macrolídios, ou sulfametoxazol-trimetoprima (SMX-TMP).

Infecções por K. granulomatis são extremamente raras, mas foram anteriormente relatadas em regiões como Papua-Nova Guiné, Austrália, no sul da África, no Caribe e em partes do Brasil e da Índia.

Sinais e sintomas

São locais de infecção

  • Pênis, escroto, virilha e coxas em homens

  • Vulva, vagina e períneo em mulheres

  • Ânus e região glútea em pacientes que praticam sexo anal receptivo

  • Face, em ambos os sexos

Após um período de incubação de cerca de 1 a 12 semanas, um nódulo avermelhado e indolor aumenta lentamente, evoluindo para uma placa elevada, aveludada, com mau odor, granulada e ulcerada. A lesão aumenta de modo lento, frequentemente provoca úlceras e pode se disseminar para outras áreas da pele. As lesões regridem lentamente com tecido cicatricial. Infecções secundárias com outro microrganismo são comuns e podem provocar destruição extensa de tecidos. Linfadenopatia é incomum.

Às vezes, o granuloma inguinal se dissemina pela corrente sanguínea para ossos, articulações ou fígado; sem tratamento ocorrem anemia, desgaste e, raramente, morte.

Imagens do granuloma inguinal

Diagnóstico

  • Exame microscópico mostrando corpos de Donovan no líquido de uma lesão

Suspeita-se de granuloma inguinal em pacientes em áreas endêmicas que apresentem lesões características.

Confirma-se o diagnóstico do granuloma inguinal microscopicamente pela presença de corpos de Donovan (numerosos bacilos no citoplasma de macrófagos, demonstrados por coloração de Giemsa ou de Wright) em lâmina com líquido de raspado das bordas das lesões. Esfregaços de tecido contêm muitos plasmócitos.

Amostras para biópsia são retiradas se o diagnóstico não for confirmado ou se líquido adequado de tecido não for obtido porque as lesões estão ressecadas, escleróticas, ou necróticas. Os microrganismos não crescem em meio de cultura comum.

Tratamento

  • Antibióticos (vários)

Muitos antibióticos orais matam o microrganismo, mas tetraciclinas, macrolídios e sulfametoxazol-trimetoprima (SMX-TMP) são muito eficazes, seguidos por ceftriaxona, aminoglicosídios, fluoroquinolonas e cloranfenicol.

Os esquemas orais recomendados incluem

  • Doxiciclina, 100 mg duas vezes por dia, durante 3 semanas

  • Sulfametoxazol-trimetoprima (SMX-TMP) 800/160 mg duas vezes por dia durante 3 semanas

  • Eritromicina, 500 mg, 4 vezes ao dia, durante 3 semanas

  • Azitromicina 1 g/semana durante 3 semanas

Antibióticos IV ou IM (p. ex., ceftriaxona) são alternativas.

A resposta ao tratamento deve ser iniciada dentro de 7 dias, mas a cura para a doença extensa pode ser lenta e as lesões podem recidivar, necessitando de terapia mais prolongada. Pacientes infectados pelo HIV também podem precisar de tratamento prolongado ou intensivo. Seguimento deve continuar por 6 meses após tratamento aparentemente satisfatório.

Os parceiros sexuais devem ser examinados e, se infectados, tratados.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Visão geral da tuberculose (TB)
Vídeo
Visão geral da tuberculose (TB)
Modelos 3D
Visualizar tudo
Sars-CoV
Modelo 3D
Sars-CoV

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS