Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Carregando

Oclusão arterial periférica aguda

Por

Koon K. Teo

, MBBCh, PhD, McMaster University, Hamilton, Ontario, Canada

Última modificação do conteúdo jul 2019
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
Recursos do assunto

As artérias periféricas podem sofrer oclusão aguda por trombo, êmbolo, dissecção da aorta ou síndrome de compartimento aguda.

Oclusão arterial periférica aguda pode resultar de:

Sinais e sintomas têm início súbito em algum membro com:

  • Dor (de forte intensidade)

  • Sensação polar (frio)

  • Parestesia (ou anestesia)

  • Palidez

  • Ausência de pulso

A oclusão pode ser aproximadamente localizada na bifurcação arterial, logo abaixo do último pulso palpável (p. ex., bifurcação da femoral comum quando o pulso femoral é palpável e na bifurcação poplítea quando o pulso poplíteo é palpável). Os casos graves podem provocar perda da função motora. Após 6 a 8 horas, podem estar sensíveis quando palpados.

O diagnóstico é clínico. É necessária angiografia imediata para confirmar localização da oclusão, identificar fluxo colateral e orientar terapêutica.

O tratamento consiste em embolectomia (cateter ou cirurgia), trombólise ou cirurgia de revascularização miocárdica. A decisão de fazer tromboembolectomia ou trombólise cirúrgica baseia-se na gravidade da isquemia, na extensão ou localização do trombo e no estado de saúde geral do paciente.

O trombolítico, especialmente quando administrado por infusão regional com cateter, é mais efetivo para tratar oclusões arteriais agudas com < 2 semanas. Com maior frequência, utiliza-se ativador do plasminogênio tecidual e uroquinase. Introduz-se cateter até a área ocluída e administra-se trombolítico a uma velocidade apropriada ao tamanho do paciente e à extensão da trombose. Normalmente, o tratamento é mantido por 4 a 24 horas, dependendo da gravidade da isquemia e dos sinais de trombólise (alívio dos sintomas e retorno dos pulsos ou melhora do fluxo sanguíneo revelada por ultrassonografia com Doppler). Cerca de 20 a 30% dos pacientes com oclusão arterial aguda necessitam de amputação dentro dos primeiros 30 dias.

Pontos-chave

  • A oclusão arterial periférica aguda se caracteriza por dor intensa, sensação de frio, parestesia (ou anestesia), palidez e ausência de pulso no membro comprometido.

  • O tratamento consiste em embolectomia, trombólise ou cirurgia de revascularização miocárdica.

  • Apesar do tratamento, cerca de 20% a 30% dos pacientes com oclusão arterial aguda precisam amputar o membro.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS