Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

honeypot link

Ceratopatia bolhosa

Por

Melvin I. Roat

, MD, FACS, Sidney Kimmel Medical College at Thomas Jefferson University

Última modificação do conteúdo ago 2018
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
Recursos do assunto

A ceratopatia bolhosa consiste na presença de bolhas epiteliais na córnea, resultante de doença endotelial da córnea.

A ceratopatia bolhosa é causada por edema da córnea decorrente da falha do endotélio corneano em manter o estado normal de desidratação da córnea. Mais frequentemente, é resultante de distrofia endotelial corneana de Fuchs ou trauma endotelial corneano. A distrofia de Fuchs é uma doença genética que causa perda celular progressiva e bilateral do endotélio corneano, algumas vezes levando ao desenvolvimento de ceratopatia bolhosa por volta dos 50 a 60 anos de idade. A distrofia de Fuchs pode ser dominante autossômica com penetrância incompleta. Outra causa frequente de ceratopatia bolhosa é o trauma endotelial corneano, que pode ocorrer durante uma cirurgia intraocular (p. ex., remoção de catarata) ou após a colocação de um implante de lente intraocular mal projetada ou mal posicionado. A Ceratopatia bolhosa após remoção da catarata é chamada de pseudofácica (se um implante de lente intraocular está presente) ou afácica (se um implante de lente intraocular não está presente).

Bolhas subepiteliais contendo líquido se formam na superfície da córnea à medida que o estroma da córnea fica edemaciado (camada mais profunda de tecido conjuntivo denso da córnea) levando à diminuição da acuidade visual, perda de contraste, ofuscamento e fotofobia. Algumas bolhas se rompem e podem ser invadidas por bactérias, levando à formação de uma úlcera corneana. O principal sintoma da ruptura das bolhas é dor ocular moderada a intensa.

As bolhas e o edema do estroma corneano podem ser vistos à biomicroscopia.

O tratamento é feito por um oftalmologista com agentes desidratantes [p. ex., solução hipertônica de cloreto de sódio a 5% em gotas e pomada], agentes de redução de pressão intraocular, uso ocasional de lentes de contato gelatinosas terapêuticas nos casos leves a moderados e tratamento de qualquer infecção microbiana secundária. Transplante de córnea geralmente apresenta sucesso.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS ANDROID iOS
PRINCIPAIS