Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Carregando

Doença de Peyronie

(Doença de Peyronie)

Por

Patrick J. Shenot

, MD,

  • Associate Professor and Deputy Chair, Department of Urology
  • Sidney Kimmel Medical College at Thomas Jefferson University

Última modificação do conteúdo ago 2019
Clique aqui para acessar Educação para o paciente

A doença de Peyronie compreende a fibrose das bainhas cavernosas causando contratura da fáscia que reveste o corpo cavernoso, resultando em desvio e, algumas vezes, ereção dolorosa.

A doença de Peyronie ocorre em adultos. A causa é desconhecida, mas parece ser semelhante à contratura de Dupuytren e pode estar relacionada com trauma anterior, possivelmente durante a relação sexual (1). Em geral, a contratura resulta em desvio do pênis ereto para o lado envolvido, ocasionalmente causa ereções dolorosas e pode impedir a penetração. A fibrose pode se estender para dentro do corpo cavernoso, comprometendo distalmente a tumescência.

O diagnóstico é feito clinicamente. Ultrassom ou outro exame do pênis ereto pode ser usado para documentar a fibrose.

Pode haver regressão espontânea ao longo de vários meses. A doença de Peyronie leve que não causa disfunção sexual não necessita de tratamento.

Tratamento

  • Vitamina E oral e para-aminobenzoato de potássio

  • Substituição cirúrgica da fibrose com enxerto

  • Injeções locais de verapamil ou corticoides de alta potência ou colagenase de clostridium histoliticum

  • Ultrassom, radioterapia ou prótese

Os resultados do tratamento são imprevisíveis. A vitamina E oral e o para-aminobenzoato de potássio têm sucesso variável. Remoção cirúrgica da fibrose e reposição com enxerto podem ser bem-sucedidas ou podem causar cicatrizes futuras e exagerar o defeito. Uma série de injeções locais de verapamil ou corticoides de alta potência na placa pode ser eficaz, mas os corticoides orais não o são. Para uma curvatura peniana de > 30° acompanhada por uma placa palpável, podem ser utilizadas uma ou mais injeções de colagenase de clostridium histoliticum na placa seguido de remodelação manual do pênis.

O tratamento com ultrassom pode estimular o fluxo sanguíneo, que pode prevenir o surgimento de mais fibrose. A radioterapia pode diminuir a dor; entretanto, a radiação geralmente piora a lesão tecidual. Para auxiliar a penetração, pode-se implantar uma prótese peniana, mas esta pode necessitar de um retalho e enxerto para endireitar o pênis.

Referência geral

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS