Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Carregando

Estenose medular lombar

Por

Peter J. Moley

, MD,

  • Hospital for Special Surgery
  • Weill Cornell Medical College

Última modificação do conteúdo ago 2019
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
Recursos do assunto

Estenose do canal da coluna lombar é o estreitamento do canal da medula lombar comprimindo as raízes dos nervos espinhais ou as raízes do nervo da cauda equina antes de sua saída pelos forames. Ela causa dor lombar posicional, sintomas de compressão da raiz nervosa no forame, e dor nos membros inferiores ao andar ou suportar peso.

A estenose medular pode ser congênita ou adquirida. Isso pode envolver as colunas cervical ou lombar. A estenose medular lombar (EML) adquirida é uma causa comum de ciatalgia nos pacientes de meia-idade ou idosos. A maioria das causas de estenose medular lombar são ostoartrite, doença discal degenerativa, espondilose e espondilolistese com compressão da cauda equina. Outras causas são doença de Paget e espondilite anquilosante.

Sinais e sintomas

A estenose lombar produz dores na região glútea, coxas ou panturrilhas ao andar, correr, subir escadas ou mesmo ao ficar de pé. Essa dor causa claudicação neurogênica. A dor não é aliviada apenas por ficar de pé, mas por flexão da região lombar e por sentar-se (embora a parestesia possa continuar). Subir ladeiras é menos doloroso que descer, pois a coluna lombar pode estar levemente flexionada. Podem ocorrer dores, parestesias, fraqueza e diminuição dos reflexos na distribuição da raiz nervosa afetada. Raramente, a compressão repentina das raízes dos nervos espinhais resultante de EML ou de uma grande hérnia de disco grande pode causar síndrome da cauda equina com paresia distal nas pernas e perda sensorial no interior e ao redor do períneo e do ânus (anestesia em sela), além de disfunção vesical, intestinal e pudenda; diferentemente da lesão medular, o tônus muscular e os reflexos profundos do tendão diminuem nas pernas.

Diagnóstico

  • Avaliação clínica

  • Às vezes RM, estudos eletrodiagnósticos ou ambos

A estenose medular é suspeitada por sintomas característicos. Os estudos diagnósticos são obtidos da mesma forma que os da ciatalgia. Os sintomas nas panturrilhas podem simular a claudicação vascular intermitente. A claudicação pode ser diferenciada por alívio com o repouso (não mudança de posição), atrofia da pele e anormalidades nos pulsos, além de preenchimento capilar e testes vasculares.

Tratamento

  • Atividades conforme tolerado, analgesia e algumas vezes fármacos que aliviam a dor neuropática

  • Fisioterapia

  • Possivelmente, injeções epidurais de corticoides

  • Cirurgia para casos graves

Os tratamentos conservadores e indicações para cirurgia são similares aos feitos para ciatalgia.

Injeções peridurais de corticoides algumas vezes propiciam um alívio transitório. Nos pacientes sintomáticos que não são bons candidatos à intervenção cirúrgica, a combinação de injeções peridurais e fisioterapia com flexão pode resultar em alguma melhora dos sintomas.

A cirurgia para estenose medular avançada é feita pela descompressão do sequestro da raiz nervosa pels invasões do canal medular e dos forames vertebrais, algumas vezes com indicação de laminectomia em 2 ou 3 níveis e foraminotomia; por vezes, cirurgia de fusão.

A estabilidade medular deve ser preservada. Pode-se indicar a fusão da coluna se houver instabilidade ou alterações artríticas graves bem localizadas em 1 ou 2 interespaços vertebrais, embora estudos recentes destaquem a natureza controversa dessa abordagem (1, 2).

Referências sobre tratamento

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS