Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

honeypot link

Síndrome do túnel do carpo

Por

David R. Steinberg

, MD, Perelman School of Medicine at the University of Pennsylvania

Última modificação do conteúdo out 2018
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
Recursos do assunto

A síndrome do túnel do carpo consiste na compressão do nervo mediano quando passa pelo túnel do carpo. Os sintomas incluem dor e parestesias na distribuição do nervo mediano. O diagnóstico é sugerido por sinais e sintomas, sendo confirmado por teste de velocidade da condução nervosa. Os tratamentos incluem aprimoramentos ergonômicos, analgesia, talas e, algumas vezes, infiltração de corticoide ou cirurgia.

A síndrome do túnel do carpo é muito mais comum e ocorre com mais frequência em mulheres de 30 a 50 anos. Os fatores de risco são artrite reumatoide ou outra artrite do punho (algumas vezes é a primeira manifestação), diabetes melito, hipotireoidismo, acromegalia, amiloidose primária ou associada à diálise e edema gestacional do túnel do carpo. Atividades ou trabalhos que requerem flexão e extensão repetitiva do punho podem contribuir. A maioria dos casos é idiopática.

Sinais e sintomas

Os sintomas da síndrome do túnel do carpo são dor na mão e no punho associada a parestesia e falta de sensibilidade classicamente distribuída ao longo do território do nervo mediano (face palmar do polegar, indicador, dedo médio e metade radial do dedo anelar); porém, há possibilidade de comprometer toda a mão. Normalmente, o paciente acorda à noite com queimação ou dor forte, com falta de sensibilidade e formigamento, movimentando a mão para obter alívio e restaurar a sensação. Atrofia tênar, fraqueza da oposição e abdução do polegar desenvolvem-se mais tarde.

Diagnóstico

  • Avaliação clínica

  • Algumas vezes, testes da condução neural

O diagnóstico da síndrome do túnel do carpo é fortemente sugerido pelo sinal de Tinel, no qual a parestesia do nervo mediano é reproduzida pela percussão da superfície palmar do punho sobre o nervo mediano no túnel do carpo. Reproduzir o formigamento com flexão do punho (sinal de Phalen) ou com pressão direta sobre o nervo no punho em posição neutra (teste de compressão do nervo mediano) também é sugestivo. O teste de compressão do nervo mediano é positivo se os sintomas aparecerem em até 30 segundos. No entanto, a diferenciação clínica dos outros tipos de neuropatia periférica pode, algumas vezes, ser difícil.

Se os sintomas forem graves ou o diagnóstico incerto, o teste de condução deve ser feito no membro superior afetado para o diagnóstico e para excluir neuropatia mais proximal.

Tratamento

  • Colocação de tala

  • Tratamento das doenças subjacentes

  • Às vezes infiltração de corticoides/anestésicos

  • Algumas vezes, descompressão cirúrgica

Mudanças da posição do teclado do computador e outras correções ergonômicas podem promover alívio. Por outro lado, o tratamento da síndrome do túnel do carpo é feito pelo uso de tala ou imobilização leve e neutra no punho ( Tala do punho neutra), especialmente durante a noite, além do uso de analgésicos leves (p. ex., paracetamol, AINEs).

O tratamento de possíveis doenças subjacentes (p. ex., diabetes melito, artrite reumatoide, hipotireoidismo) pode ajudar a aliviar os sintomas.

Se essas medidas falharem no controle dos sintomas, uma mistura de um anestésico e corticoide (p. ex., 1,5 mL de solução de dexametasona 4 mg/mL misturado com 1,5 mL de lidocaína a 1%) deve ser injetada no túnel do carpo, na face ulnar, junto ao tendão palmar longo e proximal à crista distal do punho.

Se algum sintoma persistir, recorrer ou se a fraqueza ou a perda de massa tenar progredirem, o túnel do carpo pode ser cirurgicamente descomprimido com o uso de uma técnica aberta ou endoscópica.

Tala do punho neutra

Tala do punho neutra

Pontos-chave

  • Embora a síndrome do túnel do carpo tenha muitos fatores de risco, a maioria dos casos é idiopática.

  • Os sintomas típicos incluem dor na mão e no punho associada a formigamento e falta de sensibilidade ao longo do lado palmar do polegar, indicador, dedos do meio e porção radial do dedo anelar.

  • Reproduzir os sintomas com a flexão do punho ou pressão sobre o nervo mediano pode fornecer pistas diagnósticas úteis.

  • Tratar primeiro com correções ergonômicas, então tentar talas e analgésicos, injeção de corticoide e, para fraqueza, perda de massa muscular e/ou sintomas graves que não respondem, descompressão cirúrgica.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS