Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Idosos que moram sozinhos

Por

Daniel B. Kaplan

, PhD, LICSW, Adelphi University School of Social Work;


Barbara J. Berkman

, DSW, PhD, Columbia University School of Social Work

Última revisão/alteração completa mai 2019| Última modificação do conteúdo mai 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais

Nos Estados Unidos, cerca de 30% dos 46 milhões de idosos que vivem na comunidade (em comparação com aqueles que vivem em instituições, como uma casa de repouso) vivem sozinhos. Cerca de metade das pessoas que têm 85 anos de idade ou mais que vivem na comunidade vivem sozinhas. Cerca de três quartos das pessoas idosas que vivem sozinhas são mulheres. Os homens são mais propensos a morrer antes do que suas esposas, e homens viúvos ou divorciados são mais propensos a se casarem novamente do que as viúvas e divorciadas.

Viver sozinho pode apresentar muitos desafios:

  • As pessoas que vivem sozinhas são mais propensas a serem pobres, e a pobreza é cada vez mais provável quanto mais tempo vivem sozinhas.

  • Muitas pessoas idosas que vivem sozinhas dizem que se sentem solitárias e isoladas.

  • Já que comer é uma atividade social para a maior parte das pessoas, algumas pessoas idosas que vivem sozinhas não preparam refeições completas e balanceadas. Assim, a desnutrição se torna uma preocupação.

  • Entre as pessoas com problemas de saúde ou dificuldades para ver ou ouvir, é muito fácil que a piora dos sintomas da doença ou novos sintomas passem despercebidos.

  • Muitos idosos que vivem sozinhos têm problemas para seguir as instruções para os tratamentos receitados.

Apesar desses desafios e problemas, a maior parte dos idosos que vivem sozinhos expressam um forte desejo de manter sua independência. Muitos temem se tornar excessivamente dependentes dos outros e desejam continuar a viver sozinhos apesar dos desafios que enfrentam. Comprometer-se com atividades físicas e mentais regulares e se manter conectada com outras pessoas é de grande ajuda para que a pessoa viva sozinha, mantendo sua independência.

As pessoas que voltam para casa depois de uma estada no hospital, especialmente depois de uma cirurgia, podem se beneficiar de uma conversa com um assistente social ou um profissional da área de saúde sobre serviços extras que serão necessários. Tais serviços, que podem incluir auxiliares de saúde domiciliar ou enfermeiros, podem ajudar a garantir que a pessoa continue vivendo de forma independente.

Manter-se conectado

Estudos mostraram que os idosos aos quais falta interação social tendem a ter mais problemas de saúde do que aqueles que não estão socialmente isolados. Os idosos que vivem sozinhos podem precisar fazer um esforço para evitar o isolamento social.

Muitos idosos acham que os trabalhos voluntários são uma boa maneira de usar suas habilidades e experiências de vida para contribuir para a sociedade. Centenas de organizações nos Estados Unidos apreciam as habilidades de adultos idosos. Um exemplo é o Senior Corps, um programa da Corporação para serviços nacionais e da comunidade [Corporation for National and Community Service]. Os programas Senior Corps incluem o programa de avós adotivos (Foster Grandparent Program), o programa Companheiro Sênior (Senior Companion Program), e o programa de voluntariado para idosos e aposentados (Retired and Senior Volunteer Program, RSVP).

Alguns idosos também acham que frequentar cursos é uma boa maneira de manter a mente ativa e conectada com outras pessoas de sua comunidade. Muitas comunidades, escolas e colégios oferecem educação contínua para todas as pessoas e mesmo algumas projetadas especialmente para adultos idosos.

Passatempos e grupos sociais também podem ajudar as pessoas idosas a manterem relações sociais e a capacidade física. Alguns idosos redescobrem um passatempo que foi abandonado quando o tempo livre era ocupado pelo trabalho e pelas preocupações familiares. Outras pessoas podem querer explorar novos interesses.

Mais informações

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Continuidade de cuidados
Vídeo
Continuidade de cuidados

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS