Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Consultas de saúde preventivas para adolescentes

Por

Deborah M. Consolini

, MD, Sidney Kimmel Medical College of Thomas Jefferson University

Última revisão/alteração completa abr 2019| Última modificação do conteúdo abr 2019
Clique aqui para a versão para profissionais

Consultas de saúde anuais (também chamadas consultas preventivas) permitem que os médicos e outros profissionais de saúde monitorem o crescimento físico e a maturação sexual (puberdade) e ofereçam conselhos e orientações. As consultas de saúde anuais para adolescentes devem ter início aos onze anos de idade e continuar até aproximadamente os 21 anos de idade.

As avaliações de saúde rotineiras também incluem uma revisão do registro de vacinações e administração das vacinas recomendadas ( Cronograma de vacinação na infância).

Os médicos podem também encorajar atividades como participação em atividades esportivas, artísticas e serviço comunitário. A maioria dos médicos entrevista e examina os adolescentes individualmente, ainda que os pais possam ser convidados a participar e compartilhar preocupações e receber seus conselhos e orientações no começo e no final da consulta.

Exame

O peso, a altura e a pressão arterial do adolescente são medidos em todas as consultas de saúde anuais. O médico, então, faz um exame físico completo. Depois que as crianças passam a ser adolescentes, algumas áreas do corpo precisam de um exame mais detalhado. Por exemplo, o exame da pele para acne, a avaliação do grau de maturação sexual e o exame das costas para detectar escoliose são particularmente importantes na adolescência.

Meninas adolescentes devem realizar um exame pélvico e um exame de Papanicolau quando se tornarem sexualmente ativas. É possível que o médico ensine às meninas como fazer o autoexame das mamas.

Meninos adolescentes mais velhos serão examinados para a presença de massas testiculares e meninos de todas as idades serão examinados para a presença de hérnias inguinais. É possível que o médico ensine aos meninos como fazer o autoexame testicular para identificar massas.

Triagem

Um exame do nível de colesterol no sangue deve ser feito em todas as crianças entre nove e onze anos de idade e, pelo menos, uma vez em todos os adolescentes entre 17 e 21 anos de idade. Pode ser recomendado fazer exames com mais frequência se o adolescente for obeso ou tiver histórico familiar de colesterol alto.

O exame de tuberculose pode ser feito em adolescentes que foram expostos à tuberculose, que têm um familiar que teve tuberculose, se seus pais forem imigrantes recém-chegados ou cumpriram pena de prisão recentemente ou viajaram para áreas do mundo em que existe prevalência da tuberculose ou nasceram nessas áreas.

Exames preventivos para doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) comuns podem ser feitos em adolescentes sexualmente ativos. O médico fará triagem para infecções, como gonorreia e clamídia. O exame preventivo para detectar a infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (human immunodeficiency virus, HIV) pode ser discutido com todos os adolescentes, e todos os adolescentes sexualmente ativos ou que usam drogas injetáveis devem ser incentivados a fazê-lo. O médico fará exames preventivos para detectar a presença de alterações pré-cancerosas no colo uterino (displasia cervical) e gravidez em adolescentes sexualmente ativas.

A maior parte de uma consulta de saúde de rotina abrange uma entrevista e orientação de natureza psicossocial. A entrevista de triagem consiste em perguntas sobre o ambiente familiar, as conquistas e metas acadêmicas, atividades e hobbies, participação em atividades arriscadas e saúde emocional. A orientação em geral envolve o desenvolvimento psicossocial e físico, estilos de vida saudáveis e prevenção de lesões.

Segurança

A prevenção de lesões será discutida com os adolescentes. A orientação normalmente inclui uma diversidade de tópicos, tais como:

Nutrição e exercício

Sobrepeso e obesidade são comuns nos Estados Unidos e estão associados a doenças cardíacas e ao diabetes tipo 2 (anteriormente chamado de diabetes não insulinodependente). Para combater o risco da obesidade, os pais devem continuar a oferecer aos adolescentes várias opções de alimentos saudáveis e limitar seu consumo de alimentos não saudáveis. Refrigerantes ou o consumo excessivo de sucos de fruta já foram implicados como sendo um dos principais fatores que contribuem para a obesidade.

A inatividade está diretamente ligada à obesidade. Os pais devem limitar o tempo que seus filhos adolescentes passam assistindo televisão, jogando videogames ou participando de atividades não educativas em frente ao computador. A participação em esportes e atividades físicas deve continuar a ser incentivada conforme os adolescentes crescem.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
PRINCIPAIS