Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Incontinência fecal em crianças

(Encoprese)

Por

Matthew D. Di Guglielmo

, MD, PhD, Sidney Kimmel Medical College at Thomas Jefferson University

Avaliado clinicamente abr 2021
VISUALIZAR A VERSÃO PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE

A incontinência fecal é a defecação involuntária que não é causada por doença ou anomalia física.

A incontinência fecal ocorre aproximadamente 3 a 4% das crianças com quatro anos de idade e se torna menos comum à medida que a idade aumenta. Ela acontece mais frequentemente em conjunto com ensinar a usar a privada Ensinando a usar a privada A maioria das crianças pode aprender a usar a privada entre dois a três anos de idade. Geralmente, a criança aprende primeiro a usar a privada para defecar. A maioria das crianças pode ser ensinada... leia mais ou ao iniciar a escola.

Causas de incontinência fecal em crianças

As principais causas da incontinência fecal são

  • Constipação

  • Ocasionalmente, causas físicas ou doença

  • Causas psicológicas

Ainda que isso pareça contraditório, a incontinência fecal é em geral causada pela constipação. Constipação intestinal A constipação nas crianças Constipação se refere ao atraso ou dificuldade de evacuar por um período de, pelo menos, um mês em bebês e crianças pequenas, e por um período de dois meses em crianças mais velhas (consulte... leia mais é o atraso ou a dificuldade em evacuar e pode ter muitas causas, especialmente causas comportamentais (por exemplo, medo de usar o vaso sanitário ou de evacuar fezes duras) e relacionados à dieta (por exemplo, não comer fibra o suficiente). Porém, independentemente da causa, enquanto as fezes permanecem nos intestinos, água é absorvida, o que as faz endurecer. Uma vez que pode ser doloroso eliminar fezes grandes e duras, as crianças bloqueiam ainda mais a necessidade de evacuar, resultando em um círculo vicioso que só piora a constipação. A criança pode não conseguir eliminar fezes duras, que permanecem no reto (fezes impactadas). Fezes moles e úmidas da parte mais acima do intestino grosso podem vazar passando ao redor do acúmulo de fezes endurecidas, resultando em incontinência fecal. Caso a constipação continue, a parede do reto e do intestino grosso se alarga. Esse estiramento mantido reduz a sensação da criança de que o intestino está cheio e prejudica o controle muscular, aumentando ainda mais o risco de vazamento de fezes.

E algumas ocasiões, o médico precisa fazer exames na criança quanto à presença de uma causa ou doença. Às vezes, a incontinência fecal pode ser causada por fatores psicológicos.

Você sabia que...

  • A evacuação acidental costuma ser causada pela constipação.

Diagnóstico de incontinência fecal em crianças

  • Avaliação médica

O médico faz o diagnóstico tomando por base o histórico da criança e um exame físico. Em crianças mais velhas, os médicos podem usar um dedo enluvado para examinar o reto suavemente para aferir a sensibilidade e determinar se há fezes impactadas. Às vezes, o médico faz outros exames, como radiografias do abdômen, para descartar outras causas.

Tratamento de incontinência fecal em crianças

  • Para constipação, laxantes, conforme prescrição médica

  • Plano comportamental

  • Manutenção

Caso a causa seja constipação, um laxante ou outro agente é receitado para esvaziar completamente o intestino, o que é necessário como ponto de partida. Após o intestino ser esvaziado, o que é às vezes confirmado mediante radiografias abdominais, as crianças iniciam um esquema regular com laxantes e um plano comportamental para garantir evacuações regulares. Depois que um hábito intestinal regular tenha sido alcançado, a criança começa uma fase de manutenção.

Plano comportamental

O plano comportamental normalmente inclui horas determinadas para ir ao banheiro, nas quais as crianças se sentam no vaso sanitário por cinco a dez minutos após cada refeição quer sintam ou não necessidade de evacuar. No caso das crianças com acidentes durante certas horas do dia, elas também devem se sentar no vaso sanitário imediatamente antes dessas horas. Pequenas recompensas são frequentemente úteis. Dar à criança adesivos para colocar em um quadro a cada vez que ela se sentar no vaso sanitário (mesmo que não haja produção de fezes), pode, por exemplo, aumentar o desejo da criança de seguir o plano. Um programa em etapas é com frequência usado, no qual as crianças recebem pequenas recompensas (tais como adesivos) por se sentar no vaso sanitário e recompensas maiores por seguir o plano de maneira consistente. Pode ser necessário mudar as recompensas com o tempo para manter o interesse das crianças no plano.

Se um plano comportamental iniciado pelo cuidador não obtiver sucesso, a criança pode ser encaminhada para um terapeuta comportamental ou psicólogo infantil especializado no tratamento de crianças com incontinência fecal. Esses especialistas recomendam fortemente que os cuidadores frustrados pela incontinência e pelo comportamento que suja a roupa com fezes evitem punir a criança ou demonstrar para a criança que estão desapontados pela falta de progresso ou por qualquer regressão para comportamentos antigos depois do progresso ter sido alcançado. Terapeutas comportamentais e psicólogos infantis costumam advertir os cuidadores contra o uso de elogios excessivamente positivos.

Manutenção

Assim que evacuações regulares são estabelecidas, a incontinência em geral cessa. A manutenção de fezes moles por vários meses pode ser necessária para que o alargamento das paredes intestinais retorne ao normal e para que a conscientização da sensação de intestino cheio retorne. Na fase de manutenção, alguns laxantes e horas regulares para se sentar no vaso sanitário ainda serão necessárias para encorajar uma evacuação antes de a necessidade de evacuar ser sentida.

Após essa fase de manutenção, a dose de laxantes é lentamente reduzida, depois interrompida, e o número de vezes para se sentar no vaso sanitário reduzido. Essa é, com frequência, a época na qual ocorrem recaídas. Por isso, os profissionais da área da saúde continuam a monitorar as crianças.

Caso essas medidas falhem, exames diagnósticos podem ser realizados, como radiografias abdominais e, em raras ocasiões, biópsia da parede retal, na qual se retira uma amostra de tecido para ser examinada ao microscópio. Se uma causa física para a constipação for encontrada, ela pode com frequência ser tratada. Nos casos mais graves, pode ser necessário aconselhamento psicológico para as crianças cuja incontinência fecal é a causa ou o resultado de problemas emocionais ou comportamentais.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: VISUALIZAR A VERSÃO PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE
VISUALIZAR A VERSÃO PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE
quiz link

Test your knowledge

Take a Quiz! 
ANDROID iOS
ANDROID iOS
ANDROID iOS
PRINCIPAIS