Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Refluxo urinário

(Vesicoureteral Reflux)

Por

Ronald Rabinowitz

, MD, University of Rochester Medical Center;


Jimena Cubillos

, MD, University of Rochester School of Medicine and Dentistry

Última revisão/alteração completa abr 2019| Última modificação do conteúdo abr 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

Refluxo urinário é quando a urina flui de volta, da bexiga para o ureter e, às vezes, para o rim, geralmente por causa de um defeito congênito do trato urinário.

Cada rim filtra continuamente os resíduos do sangue para produzir urina. A urina, então, é drenada pelos ureteres para a bexiga em baixa pressão. A partir da bexiga, a urina drena através da uretra para sair do corpo. Nos homens, a uretra fica localizada no pênis. Nas mulheres, a uretra termina na área da vulva (a área dos órgãos genitais femininos externos).

A Look Inside the Urinary Tract

A Look Inside the Urinary Tract

Causas

Normalmente, as pessoas têm dois ureteres. Um ureter conecta o rim esquerdo à bexiga e o outro ureter conecta o rim direito à bexiga. Muitos defeitos congênitos da bexiga ou defeitos congênitos dos ureteres envolvem a junção onde o ureter se conecta à bexiga. Normalmente, esses pontos de união permitem um fluxo urinário em apenas um sentido, dos rins para a bexiga. Defeitos desse ponto de união podem permitir um retorno do fluxo de urina da bexiga para os rins. Além disso, outros defeitos que bloqueiam o fluxo de urina podem aumentar a pressão na bexiga e causar refluxo urinário. O refluxo pode afetar um lado ou ambos os lados.

Complicações do refluxo urinário

O refluxo urinário pode causar infecções do trato urinário (ITUs) frequentes. Refluxo grave e infecções frequentes podem danificar os rins e os ureteres com o passar do tempo. Danos renais podem causar hipertensão arterial e, em casos raros, insuficiência renal.

Sintomas

O refluxo urinário em si não causa sintomas. Mas as crianças podem ter sintomas se houver o desenvolvimento de infecção do trato urinário. Em seguida, as crianças podem ter febre, dor no abdômen ou nas costas e podem urinar mais do que o normal ou sentem ardor ao urinar.

Diagnóstico

  • Ultrassonografia

  • Às vezes, uretrocistografia miccional ou cistografia com radionuclídeos

Os médicos suspeitam de refluxo urinário se bebês ou crianças pequenas tiverem uma infecção do trato urinário grave o suficiente para causar febre. Geralmente, eles fazem uma ultrassonografia do trato urinário para procurar por anomalias.

Se os resultados da ultrassonografia forem anômalos ou se a criança tiver infecções do trato urinário repetidas, os médicos podem fazer um teste mais complicado chamado uretrocistografia miccional. No caso da uretrocistografia miccional, um cateter é inserido na bexiga através da uretra; um líquido que aparece em radiografias (meio de contraste) é administrado através do cateter e são feitas radiografias antes e depois de a criança urinar.

A uretrocistografia radioisotópica é similar à uretrocistografia miccional, mas um agente radioativo é colocado na bexiga e imagens são feitas usando-se um aparelho de visualização nuclear. Esse teste expõe os ovários ou testículos das crianças a menos radiação do que a uretrocistografia miccional.

Tratamento

  • Às vezes, antibióticos preventivos (profiláticos)

  • Às vezes, cirurgia

O tratamento do refluxo urinário depende do defeito congênito específico e da gravidade das complicações.

Em geral, não é necessário administrar tratamento a crianças que têm poucos sintomas e nenhuma complicação.

Crianças com infecções frequentes do trato urinário, sinais de danos renais ou ambos normalmente precisam de tratamento. Se os sintomas não forem muito graves, às vezes o médico receita à criança antibióticos preventivos para serem tomados diariamente para prevenir infecções. Crianças com sintomas mais graves normalmente precisam de cirurgia para corrigir o problema e garantir que a urina está sendo adequadamente drenada.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS