Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Defeitos do ouvido

Por

Simeon A. Boyadjiev Boyd

, MD, University of California, Davis

Última revisão/alteração completa mai 2020| Última modificação do conteúdo mai 2020
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

Os ouvidos e orelhas podem estar ausentes, deformados ou apresentar desenvolvimento incompleto no nascimento.

Os defeitos congênitos do ouvido incluem:

  • Microtia, que é quando a orelha (pina) é pequena e deformada

  • Atresia do canal auditivo externo, que representa um encerramento total ou parcial do canal auditivo

  • Orelhas com implantação baixa, localizadas abaixo da posição típica das orelhas na cabeça

  • Depressões e crescimentos na orelha, que são defeitos menores normalmente localizados na frente da orelha

A microtia e a atresia do canal auditivo externo costumam ocorrer concomitantemente e são identificadas assim que o bebê nasce ou logo depois.

Orelhas com implantação baixa podem ocorrer em várias síndromes genéticas e as crianças frequentemente têm atrasos de desenvolvimento. As orelhas são consideradas de implantação baixa se o topo da orelha estiver abaixo dos cantos dos olhos.

Depressões e crescimentos na orelha podem ser sinais de que a criança tem outros problemas; portanto, os médicos muitas vezes fazem testes para perda auditiva e outros defeitos congênitos.

Exemplos de defeitos congênitos do ouvido

Os médicos podem identificar muitos defeitos na orelha durante um exame físico. Os médicos também fazem testes de audição para ver se a audição está afetada e fazem exames de imagem do crânio para procurar por problemas com os ossos.

Tratamento

  • Cirurgia

  • Aparelho auditivo

O tratamento de defeitos do ouvido pode incluir cirurgia reconstrutiva para criar uma orelha com aparência normal e para criar um canal auditivo externo.

Às vezes, é necessário um aparelho auditivo.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS