Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Prurido genital

Por

David H. Barad

, MD, MS, Center for Human Reproduction

Última revisão/alteração completa set 2018| Última modificação do conteúdo set 2018
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais

O prurido (coceira) genital pode envolver a vagina ou a região genital (vulva), que contém os órgãos genitais externos. O prurido é uma sensação desagradável que aparentemente exige o ato de coçar para aliviá-la.

Ocasionalmente, muitas mulheres apresentam breves episódios de prurido (coceira) vaginal que se resolve sem tratamento. A coceira (prurido) é considerada um problema apenas quando é persistente, intensa, recorrente ou acompanhada de secreção vaginal.

Causas

As causas mais comuns do prurido genital incluem:

  • Infecções: Vaginose bacteriana, candidíase (um tipo de infecção fúngica) e tricomoníase (uma infecção causada por protozoário)

  • Irritação ou reações alérgicas: Produtos químicos que entram em contato com a vagina ou região genital, como aqueles em detergentes de roupa, alvejantes, amaciantes de roupa, fibras sintéticas, banhos de espuma, sabonetes, sprays para higiene feminina, perfumes, absorventes menstruais, corantes de tecido, papel higiênico, cremes vaginais, duchas, preservativos e esponjas contraceptivas

  • Após a menopausa, vaginite atrófica: Adelgaçamento e ressecamento do revestimento da vagina em virtude da diminuição da concentração de estrogênio

Causas menos comuns incluem distúrbios da pele, como psoríase e líquen escleroso. O líquen escleroso caracteriza-se por regiões brancas e finas na vulva ao redor da abertura da vagina. Caso não seja tratado, o líquen escleroso pode causar a formação de tecido cicatricial e pode aumentar o risco de ter câncer de vulva.

Avaliação

Geralmente, o médico determina a causa perguntando sobre os sintomas e examinando a região genital e a vagina.

Sinais de alerta

Não há sinais de alerta para prurido genital a menos que ele seja acompanhado de dor e/ou secreção vaginal. Nesse caso, os sinais de alerta são os mesmos sinais de alerta da dor pélvica e/ou os sinais de alerta de secreção vaginal.

Quando consultar um médico

A mulher deve consultar um médico, caso a coceira persista por mais de alguns dias ou for intensa ou se houver o surgimento de outros sintomas que sugerem infecção, tais como dor ou secreção vaginal.

O que o médico faz

Inicialmente, o médico faz perguntas à mulher sobre seus sintomas, principalmente se ela apresentar algum sintoma de infecção, e seu histórico clínico. Pergunta também se ela usa algum produto que possa causar irritação da região. Em seguida, o médico realiza um exame físico, que se concentra no exame pélvico.

Se a mulher apresentar secreção, o médico utiliza um cotonete para coletar uma amostra da secreção da vagina ou do colo do útero. A amostra é examinada sob o microscópio em busca de micro-organismos que causam candidíase, vaginose bacteriana e vaginite causada por Trichomonas. O médico geralmente envia uma amostra ao laboratório para exame de gonorreia e infecção por clamídia (que são sexualmente transmissíveis).

Tratamento

Corrige-se ou trata-se o quadro clínico subjacente se possível. Medidas básicas podem aliviar os sintomas.

Medidas gerais

Trocar as peças íntimas e tomar banho de banheira ou chuveiro uma vez ao dia ajudam a manter a vagina e a região genital limpas e menos propensas à irritação. Lavar com muita frequência pode causar secura excessiva, que pode aumentar a coceira. Usar pó corporal sem aroma à base de amido de milho pode ajudar a manter a região genital seca. A mulher não deve utilizar pós à base de talco. Recomenda-se lavar a área apenas com água morna. Contudo, se for necessário usar sabonete, recomenda-se usar um sabonete hipoalergênico. Não se deve aplicar à região vaginal outros produtos (como cremes, sprays ou duchas para higiene feminina). Essas medidas básicas podem minimizar a exposição a agentes irritadores que causam coceira.

Se a coceira persistir, um banho de assento talvez ajude. Toma-se o banho de assento na posição sentada com a água cobrindo apenas a região genital e retal. Os banhos de assento são tomados na banheira com um pouco de água ou em uma bacia grande.

Caso algum produto médico (por exemplo, um creme receitado) ou alguma marca de preservativo aparentemente cause irritação e coceira, ele não deve ser usado. A mulher deve conversar com seu médico antes de interromper o uso de medicamentos sob receita.

Medicamentos

Aplicar creme à base de corticosteroides leves (de baixa intensidade), como hidrocortisona, na região genital pode proporcionar alívio temporário. O creme não deve ser inserido na vagina e ele deve ser usado por apenas por um curto período.

No caso de coceira intensa, tomar anti-histamínico por via oral pode ajudar temporariamente. Anti-histamínicos também causam sonolência e talvez ajudem caso os sintomas interfiram no sono.

Trata-se líquen escleroso com cremes ou pomadas que contenham corticosteroides de alta intensidade, como clobetasol, disponibilizados com receita médica.

Pontos-chave

  • A coceira é um problema apenas quando for persistente, intensa, recorrente ou acompanhada de dor ou secreção com aspecto ou odor anômalo, o que sugere uma infecção.

  • Manter a região genital limpa e seca e não usar produtos que possam causar irritação pode ajudar.

  • Às vezes, creme à base de corticosteroides leve alivia a coceira temporariamente.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Episiotomia
Vídeo
Episiotomia
Durante a gravidez, o útero da mulher abriga e protege o feto em desenvolvimento. Depois de...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Síndrome do Ovário Policístico
Modelo 3D
Síndrome do Ovário Policístico

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS