Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Vaginose bacteriana (VB)

Por

Oluwatosin Goje

, MD, MSCR, Cleveland Clinic, Lerner College of Medicine of Case Western Reserve University

Última revisão/alteração completa set 2019| Última modificação do conteúdo set 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A vaginose bacteriana é uma infecção vaginal que ocorre quando o equilíbrio de bactérias na vagina é alterado.

  • A mulher com uma doença sexualmente transmissível, que tem vários parceiros sexuais ou que usa um dispositivo intrauterino está mais propensa a ter vaginose bacteriana.

  • A vaginose bacteriana pode causar um corrimento ralo cinza ou branco, que pode ser abundante e ter odor fétido.

  • Se os sintomas sugerirem uma infecção vaginal, o médico examina uma amostra do corrimento e/ou do líquido do colo do útero e a analisa quanto à presença de micro-organismos que causam infecção.

  • Antibióticos, aplicados na forma de gel ou creme ou tomados por via oral, são eficazes.

  • A vaginose bacteriana frequentemente se repete.

Causas

Muitas bactérias normalmente residem na vagina. Um tipo, o chamado lactobacilo, mantém a acidez normal da vagina. Ao fazer isso, os lactobacilos ajudam a manter o revestimento da vagina saudável e previnem o crescimento de certas bactérias que causam infecções. A vaginose bacteriana, a infecção vaginal mais comum, ocorre quando o número de lactobacilos protetores diminui e o número de outras bactérias que estão normalmente presentes (por exemplo, as bactérias Gardnerella vaginalis e Peptostreptococcus) aumenta.

Não se sabe por que essas mudanças ocorrem e se a doença é sexualmente transmissível. O que se sabe sobre a vaginose bacteriana é que ela ocorre com mais frequência em mulheres que:

Contudo, a vaginose bacteriana pode ocorrer em virgens.

A vaginose bacteriana pode surgir em mulheres que tenham relações sexuais com mulheres, sobretudo quando tiverem várias parceiras sexuais.

Sintomas

Na vaginose bacteriana, o corrimento vaginal pode ser cinza ou branco, ralo e abundante. Geralmente, o corrimento tem odor fétido. É possível que o odor fique mais intenso após a relação sexual e durante a menstruação. Coceira, vermelhidão e inchaço não são comuns.

Vaginose bacteriana pode levar a complicações sérias, como doença inflamatória pélvica e, nas gestantes, a infecção das membranas que envolvem o feto (infecção intra-amniótica), trabalho de parto prematuro e parto prematuro e infecções uterinas após o parto ou após um aborto.

Diagnóstico

  • Avaliação de um médico

  • Análise de uma amostra do corrimento e/ou do líquido do colo do útero

Se a menina ou a mulher tiver um corrimento vaginal que seja incomum ou dure mais de alguns dias, ela deve consultar um médico.

O médico suspeita da presença de vaginose bacteriana com base nos sintomas, como corrimento cinza com odor fétido. Depois disso, ele faz perguntas sobre o corrimento e possíveis causas (como doenças sexualmente transmissíveis).

O médico faz um exame pélvico para confirmar o diagnóstico. Ao examinar a vagina, o médico coleta uma amostra do corrimento com um cotonete. A amostra é examinada por microscopia. Munido das informações geradas por esse exame, o médico geralmente consegue identificar o micro-organismo causador dos sintomas. Se os resultados forem inconclusivos, outros exames mais novos podem ser feitos usando as amostras obtidas durante o exame pélvico.

Normalmente, o médico também usa um cotonete para coletar uma amostra de líquido do colo do útero (a parte inferior do útero que se abre para a vagina). Essa amostra será analisada quanto à presença de doenças sexualmente transmissíveis.

Para determinar se existem outras infecções na pelve, o médico verifica o útero e os ovários, inserindo os dedos indicador e médio utilizando luva dentro da vagina e pressionando do lado de fora da parte inferior do abdômen com a outra mão. Caso essa manobra cause dor significativa ou se houver febre, é possível que outras infecções estejam presentes.

Você sabia que...

  • Alguns cremes antibióticos utilizados para tratar a vaginose bacteriana enfraquecem os preservativos de látex e os diafragmas.

Tratamento

  • Antibióticos

A vaginose bacteriana é tratada com um antibiótico (por exemplo, metronidazol ou clindamicina). Metronidazol tomado por via oral durante 7 dias é o tratamento preferido para mulheres que não estão grávidas. Contudo, ele pode causar efeitos colaterais que afetam todo o organismo. Por isso, os médicos preferem administrar metronidazol a gestantes na forma de gel ou creme vaginal (que é inserido na vagina com um aplicador, uma vez ao dia, durante 5 dias). A mulher que usa creme de clindamicina não pode confiar em produtos de látex (preservativos ou diafragmas) para o controle da natalidade, pois o medicamento enfraquece o látex.

Outro tratamento possível é o antibiótico secnidazol. Sua vantagem é a necessidade de apenas uma dose.

A vaginose bacteriana geralmente se resolve em poucos dias, mas frequentemente se repete. Se ela se repetir muitas vezes, talvez seja necessário tomar antibióticos por um longo tempo.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Adesivo para controle de natalidade
Vídeo
Adesivo para controle de natalidade
O sistema reprodutor feminino inclui o útero, as trompas de Falópio e os ovários. Os ovários...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Conteúdo da pelve feminina
Modelo 3D
Conteúdo da pelve feminina

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS